domingo, 28 de fevereiro de 2021

SÉRIES || Pretend It's a City


Dei uma oportunidade a esta minissérie documental sem estar muito a par da premissa e tornou-se num dos conteúdos que mais gostei de consumir. Pretend It’s a City, de Martin Scorsese, acompanha os insights de Fran Lebowitz sobre a cidade de Nova Iorque, um lugar que odeia e ama na mesma medida. 

Admito, com alguma vergonha, que não conhecia, de todo, a autora Fran Lebowitz, mas é impossível ficarmos indiferentes à sua personalidade logo nos primeiros minutos: carismática, sagaz e com um toque de acidez. O mais interessante é que, através do ponto de partida de Nova Iorque, a autora aborda outras temáticas da atualidade e do passado, sempre como gancho para esta cidade controversa e popular. 

É uma produção muito original e sem grandes pretensões. Não há planos dinâmicos, edições estrondosas nem um storytelling excêntrico, deixando todo o protagonismo na cidade que nunca dorme e em Fran Lebowitz, que enche toda uma casa com as suas opiniões corrosivas e muito cómicas. Em vários momentos, senti que esta série era um podcast visual por me proporcionar os mesmos estímulos e sensações.

Não vos posso recomendar mais. Se estão à procura de algo diferente e muito bom para assistir na Netflix, recomendo Pretend It’s a City de olhos fechados.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

APP || 3 Apps do Meu Telemóvel


MEDITO
Estou empenhada em tentar incutir a meditação na minha vida pelos benefícios comprovados pela literatura científica. A app Medito é a única que conheço que oferece todas as guias de meditação gratuitas, sem necessitarmos de aderir a planos premium. Tem guias de meditação para os mais variados temas, desde o dia-a-dia, sono, relações, stress, trabalho, gratidão e até um separador para meditações de emergência ou enquadradas no cenário de pandemia. Algumas têm várias opções de tempo e de voz e ainda podem encontrar pacotes de sons. Tudo gratuito. Um tesouro, certo? 

HABIT
Tento ao máximo acompanhar a minha evolução nos hábitos a que me comprometo e a app Habit é a minha preferida pela interface simples e intuitiva, com relatório de dados. O aspeto que mais acho interessante nesta app é que, conforme a meta e frequência do objetivo a que se propõem, a app calcula em que percentagem estão até o novo hábito estar formado, sendo que 100% representa inclusão total do hábito na vossa vida. Quanto mais vezes cumprirem a vossa meta e fizerem esse objetivo, maior será a percentagem. É uma forma muito interessante de analisar e que me motiva a cumprir os objetivos a que me propus. 

1SE
Estou empenhada em voltar a gravar o meu 1 Segundo por Dia Durante 1 Ano e uso sempre a app 1SE para esta tarefa. Especificamente desenhada para o efeito, permite-vos, de forma muito simples e prática, adicionarem um clip de vídeo por dia. A app já reúne as ferramentas de edição básicas (como a duração do vídeo ou a dimensão dos planos) e, no final, basta fazerem o download e a aplicação faz o mashup automático de todos os vídeos que carregaram com a respetiva legenda temporal. Mais simples é impossível — e tem ainda a opção de vos enviar alertas para não se esquecerem de fazer o registo diário!

Quais são as apps mais originais que têm no vosso telemóvel?

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021

MÚSICA || Bobby Pins: A Playlist


O que começou de forma despretensiosa, acabou por se tornar numa tradição: já é comum celebrar cada aniversário do Bobby Pins com um desafio ou uma proposta mais dinâmica e bilateral que me permita dar mais a conhecer ou conhecer-vos a vocês. 

Este ano, procurei resgatar a música a este espaço e convidei-vos a partilharem comigo se associavam alguma música ao Bobby Pins e, se sim, qual. E nunca esperei que fosse receber tanto e tão bom feedback, com partilhas tão especiais e simbólicas. Porque cada música que partilharam conta uma história, seja por associarem a um artista que conheceram pelo blog, ou pela letra, ou pela sensação que a música vos oferece e que reconhecem quando visitam este espaço. Cada música diz muito sobre a forma como encaram este espaço e, na impossibilidade de fazer um encontrinho de leitores do Bobby Pins — que seria um sonho! — consigo percebê-lo pelas melodias que partilharam. 

Tudo isto resultou numa playlist amorosa que agora partilho convosco e que só vos posso garantir que é a playlist mais feel good do universo; é impossível não sorrir e sentir uma energia boa. Há espaço para vários géneros mas a positividade reina por lá. 

Convido-vos a ouvir, afinal de contas, foi feita por vocês. Com um pedido de desculpas a quem não encontrar a sua música por aqui — só não adicionei as músicas que não constavam no Spotify, mas estão anotadas.


Uma vez mais, obrigada.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

LIVROS || The Brain: The Story of You


É quase surreal que num lugar escuro do crânio esteja a nossa ferramenta que nos permite percecionar a nossa existência, idealizar como será o Universo, amar ou até ler este artigo. Muito do cérebro ainda é um total desconhecimento para nós, mas já existem alguns fenómenos e operações cerebrais incríveis que podemos conceptualizar e dar a conhecer ao mundo. 
 
É esta a premissa de The Brain: The Story of You, da autoria do neurocientista David Eagleman, que responde a curiosidades como, por exemplo, como tomamos decisões? Como é que temos auto-perceção? Qual é a lógica das necessidades sociais? Porque é que vemos tudo em câmara lenta quando estamos a presenciar um acidente ou um evento traumático? Qual o futuro da relação da tecnologia com humanos? 

Numa leitura rápida e muito acessível, o autor aproxima a neurociência do público através da desconstrução de conceitos complexos, exemplos do quotidiano e experiências curiosas. Um bom complemento do Deus Cérebro, se me permitem a sugestão.

WOOK

Bertrand

Este artigo contém links de afiliado.

domingo, 21 de fevereiro de 2021

ISTO É TÃO INÊS || (Mais) 4 Coisas que Já Não Consumo


Em 2019, partilhei convosco 5 coisas que já não usava ou fazia e foi uma troca incrível, na qual vocês também partilharam aquilo que descartaram da vossa rotina. Hoje, volto a trazer mais quatro coisas que deixei de usar e consumir! 

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

DAILY || 4 Razões Para Fazeres Um Gratitude Journal (Ainda em Pandemia)


No ano passado, preenchi o meu Gratitude Journal que encapsulou os meus 25 anos mas também uma pandemia. Quando os primeiros efeitos da mesma se abateram, dei por mim a pensar se valeria a pena continuar a escrever num estado tão atípico e limitador. Mas continuei e, agora, quero dar-vos 4 razões para começarem um (ainda) em pandemia. 

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021

SÉRIES || Deus Cérebro


O cérebro e o universo da neurociência são um dos segmentos da ciência que mais me fascina. É muito cruel no sentido em que temos muito poucas respostas para uma infinidade de perguntas, temos poucas curas para as patologias com que nos cruzamos e, no geral, ainda não compreendemos integralmente o órgão mais fascinante, não só do corpo humano, mas de todo o universo. E a RTP decidiu extrapolar este fascínio através de uma produção nacional que conta com alguns dos mais experientes profissionais da neurociência e psicologia — incluindo portugueses — para fazer chegar a beleza do cérebro às massas. 

Deus Cérebro é uma minissérie documental de 4 episódios, já terminada e disponível na RTP Play, que explora as todas as componentes admiráveis sobre o cérebro, desde emoções, memória, criatividade, patologias neurológicas e mentais, concentração, entre outros. Tem uma linha condutora excecional e reúne os insights de cada especialista para comunicar esta área interessante, mas desafiante. 

Com uma fotografia e edição sublimes e a locução muito original e arrojada de Inês Meneses e Luís Pacheco, cada episódio tem a duração média de 1 hora e é a série que eu gostava que toda a gente — sem escapar ninguém! — assistisse. Porque aproxima a ciência, porque desconstrói alguns mitos e preconceitos com doenças mentais ou doenças de espectro, ajuda-nos a compreender como é que certos mecanismos se operam no cérebro de forma a tornar-nos... quem somos. Tudo isto com uma linha de partida muito poética e filosófica, o que acaba por envolver a ciência na arte, uma ideia em que acredito há muito tempo. 

Já não me lembro da última vez em que assisti a algo tão rico e fico orgulhosa por ser uma produção nossa. Foi uma das minhas melhores descobertas do ano (que, na verdade, já ansiava pela estreia desde 2020). Embora desconfie que só uma parte do mundo vá assistir, o seu todo precisava desta produção.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021

LIVROS || Faz a Tua Cama


Em 2014, o almirante William H. McRaven protagonizou um dos discursos mais populares de sempre, partilhando com todos os finalistas da Universidade do Texas 10 princípios simples que aprendeu na Marinha e pelos quais se rege até então. O seu discurso foi tão inspirador — e viral, com milhões de visualizações no Youtube — que o público implorou por um desenvolvimento de cada princípio. O título é o ponto de partida e a provocação certa para os leitores mais desprevenidos. 

Faz a Tua Cama explora, então, como é que o almirante William H. McRaven aprendeu estas 10 lições, evocando as memórias do seu percurso desafiante e muito exigente pela Marinha. Embora não tenha o mínimo fascínio pelo universo militar e considere algumas das suas experiências questionáveis para a minha realidade, os seus dez princípios podem ser transversais à vida e compreensíveis. Dei por mim, durante a leitura, a resgatar quais foram as minhas próprias experiências que me fizeram chegar aquela lição, um exercício muito interessante. 

É um livro curto, com um ótimo ritmo de leitura e que não tenta ser mais do que o que foi pedido. Não há nenhum princípio ou premissa que provoque o leitor pelo prazer sensacionalista, muito pelo contrário: a maioria são aprendizagens familiares, mas reconfortantes, que nos relembram que, às vezes, são mesmo as lições mais primordiais e simples que devemos levar connosco em todas as situações de vida — e não apenas para quem tem de nadar à noite num mar infestado de tubarões.

WOOK

Bertrand

Este artigo contém links de afiliado.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2021

DAILY || Morning Routine


A MINHA CHÁVENA DE CHÁ
É uma das primeiras atividades do meu dia, uma grande chávena de Earl Grey ou English Breakfast. Costumo tomar isolado e desfrutar do calor da chávena nas mãos. Não costumo fazer nada a acompanhar porque quero começar o dia devagar e ter, pelo menos, um momento em que consiga saborear a ocasião. 

FAZER A CAMA
Se acham infantil acrescentar este ponto, permitam-me convencer-vos do contrário: fazer a cama tem um impacto psicológico brutal em vários sentidos. Por um lado, ajuda a dar ao vosso espaço uma imagem mais organizada e isso tem influência na gestão do stress ao longo do dia. Por outro, tenho a certeza de que não sou a única com uma lista interminável de tarefas para o dia mas costumo colocar mentalmente ‘fazer a cama’ no topo da lista porque estou a começar o dia com uma tarefa cumprida. Dá-me ânimo para ir completando outras tarefas. 

PEQUENO-ALMOÇO
A parte ótima de acordar muito cedo é que não me lembro da última vez que comi um pequeno-almoço à pressa. Sei que muitos ex-colegas meus têm uma opinião mais ‘liberal’ sobre o pequeno-almoço (toma quem quer, quem não quer não toma) mas eu sempre tentei convencer os meus clientes a não deixar escapar por uma simples razão: mesmo que durmam uma média de 6-7 horas, já pensaram que estão todo este bloco de tempo em jejum? É muito tempo sem ter qualquer input de energia. E o nosso cérebro consome uma quantidade absurda de energia, mesmo quando estamos a dormir. Por isso, acho essencial que não façamos mais atividades exigentes (incluindo pensar e escrever e-mails) sem que forneçamos alguma energia ao nosso corpo. Costumo acordar com fome, portanto, gosto de caprichar no meu pequeno-almoço (estou sempre a variar e não obedeço a nenhuma regra em particular) mas gosto de preparar a mesa e saborear esse tempo — se estiver a acompanhar alguma série, é nesta altura que aproveito para ver um episódio. 

ESTUDAR
Como estou, de momento, a tirar um curso online e a (continuar a) aprender alemão, alterno entre uma destas para estudar de manhã. Revejo apontamentos, vejo as aulas, estruturo os meus resumos. Gosto de o fazer de manhã porque é quando sou mais produtiva. 

TREINAR
Reservo sempre o treino para a manhã porque já sei que no final do dia estarei de rastos e porque o exercício interfere com o nosso ciclo de sono. Normalmente, só reservo treinos para o final do dia quando são exercícios de pouco impacto ou explosão, como barra de chão ou alongamentos. Tudo o resto, faço logo pela manhã e aproveito o ritmo para tratar da higiene pessoal e arranjar-me para começar o meu dia de trabalho.

Como é que é a vossa rotina matinal? Contem-me tudo!

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2021

BOBBY PINS || 7 anos


Bem sei que nem todos dão grande importância ao aniversário dos seus projetos, mas o aniversário do meu blog é algo que guardo com muito carinho. Hoje, o Bobby Pins celebra 7 anos. Ainda não processei muito bem este facto. 

Ao longo de todos estes anos, orgulho-me muito de cumprir aquilo que sempre considerei ser o propósito deste espaço: trazer, com regularidade, conteúdos sobre aquilo que me faz sentir bem e que pode proporcionar a mesma sensação em quem me lê. E é com orgulho que também reflito no quanto fui assídua a trazer novos artigos, em não deixar as minhas rubricas morrer, em nunca abandonar este lugar. Quantos projetos é que já conseguimos sustentar com regularidade durante 7 anos? 

Este foi um blog que me acompanhou na faculdade, que testemunhou o meu crescimento, amadurecimento, as minhas mudanças de opinião, os pensamentos que deixaram de me servir e os interesses novos que surgiram. Aqui, abri o meu coração, mas a mente também, através dos vossos comentários, testemunhos e opiniões. Partilhei convosco o início dos meus desafios profissionais, a minha mudança de carreira e (curioso!) até foi este projeto que me ajudou a conseguir o emprego que tanto queria. 

Já começo a perder conta dos imensos temas que partilhei convosco e das oportunidades incríveis que consegui graças a este espaço com que nutro tanto cuidado e amor. Fiz amizades, fui a eventos, consegui parcerias. E sei que isto não seria possível se não existisse uma pequena comunidade envolvida, que faz deste meu espaço o seu espaço de conforto também. 

Celebrar este aniversário numa época onde os blogs são cada vez mais abandonados dá-me mais força do que desmotivação. E é por isso que as minhas palavras se repetem muito nesta data, mas são genuínas e imperativas de partilhar: obrigada. Obrigada por lerem, comentarem, partilharem comigo os vossos testemunhos, recomendações e opiniões. Obrigada por todas as vezes que me disseram que fizeram ou experimentaram algo porque recomendei. Obrigada por todas as vezes em que se sentiram confortáveis para discordar de mim. Obrigada por associarem o Bobby Pins a um lugar de conforto. Obrigada por fazerem parte disto. Não é ao acaso que tenho na minha caixa de comentários a frase que mais faz sentido partilhar agora: obrigada por estares aqui.