terça-feira, 4 de agosto de 2020


O verão está a derreter-se nas nossas mãos como gelados no pico do calor, mas a melhor parte do Cornetto — aquele pedacinho final do cone — é a prova de que o fim pode ser, também, o momento mais saboroso da estação. Por aqui, Julho foi um mês sem férias e de muuuito trabalho, mas há sempre espaço para momentos bonitos e de (merecido) descanso!


Continuamos na onda do vermelho e, na altura em que encomendei o último que vos mostrei aqui, trouxe mais este. Tem uma informação diferente e até o tom é mais intenso. Não tenho a menor dúvida de que foi desenhado para mim, e prima pelo corte que me assenta na perfeição, pelo tom de vermelho que combina com a minha identidade e com os meus traços físicos e pela versatilidade de ocasiões em que o posso vestir sem medo de parecer mulher. Tem sido perfeito neste tempo mais quente! 


As bandoletes com apliques chegaram para ficar e, sendo uma fã deste acessório, quis arriscar na tendência. Como é uma peça com muita informação, não quis uma bandolete com coroa (aquelas mais almofadadas e altas) e optei por uma versão mais simples e que combina mais comigo. Os apliques de folhas e pérolas dão charme e um up no meu visual. Gosto de a combinar em looks mais simples, para harmonizar o conjunto e gostei da opção do vermelho — arrojado mas combina com peças brancas, jeans e num look monocromático vermelho, se estiver nessa disposição! 


Este vestido foi amor à primeira vista e consagra-se no meu primeiro vestido branco em anos. Não tinha nenhum — o último que usei foi no Baile de Finalistas de 2012 e já nem o tenho comigo — e acho que este tem todos os elementos certos; adoro a manga balão que traz uma mensagem mais feminina e delicada, o decote do peito é lindo e o comprimento e forma como se movimenta com o corpo são perfeitos. Também adoro o facto de o tecido ser um off-white e de ter textura, traz uma informação extra de moda que encaixa muito bem na peça. É um vestido romântico e delicado que combina na perfeição com os dias de verão, além de ser totalmente prático: só preciso de por o vestido, calçar-me e estou pronta! 


A little summer dress, a peça simples e leve que toda a mulher pode ter no armário. Depois do sucesso que foi ter voltado a usar vestidos brancos como o último que vos apresentei, apostei em algo mais rústico e não tão pesado. A minha escolha do vestidinho de verão foi esta; leve mas com estrutura, branco, em bordado suíço. É a minha escolha segura para uma esplanada ou para uma ida à praia. Tem aquele fator prático mas muito composto: só tenho de vestir o vestido e estou pronta para sair, mas os detalhes e pormenores do tecido e do corte fazem com que pareça que coloquei mais esforço no visual. E fica perfeito na minha pele e cabelo de verão...! É romântico, luminoso, delicado e faz-me sentir que tenho 3 metros de perna. O vestido de verão perfeito! 


Tenho investido em mais texturas e tecidos de calça que não os jeans, e essa pesquisa tem-me levado a descobertas incríveis, como estas calças em linho. Gritam “verão”, certo? Primam pelo conforto e frescura e têm sido as minhas protagonistas preferidas em visuais luminosos, para combinar com tops, camisas ou t-shirts, dependendo da ocasião — como eu adoro peças versáteis...! O corte casa bem com o meu biótipo pêra e os elásticos escondidos nas costas da cintura fazem com que a calça fique perfeitamente ajustada ao meu corpo. Adoro-as! 


As minhas primeiras Josefinas! Tinham de ser, obviamente, da primeira coleção — aquela com que me identifico mais! Estive muito indecisa, até ao último momento, entre dois tons mas o Summer Beige acabou por levar o meu coração e, agora que as tenho ao vivo, sei que foi a escolha certa. 

Sinto que não posso destacar estas bailarinas sem destacar o serviço de apoio ao cliente também porque a verdade é que as minhas sabrinas foram e voltaram! O corte original não me assentava bem e o high rise não era o que queria, pelo que acabei por trocar as minhas Josefinas por um corte personalizado e que combinasse com o meu pé. Até chegarmos a este intermédio foi o testemunho certo de que o apoio ao cliente desta marca é sublime e que em nenhum momento as tuas dúvidas, preferências e expectativas são ignoradas. Nunca contactei com um apoio ao cliente tão simpático e paciente, pelo que só posso recomendar o serviço completo. Qualquer dúvida que tenham ou idealizações para o personalizar, contactem o apoio ao cliente porque elas são fantásticas! 

Queria umas sabrinas num tom neutro e versátil, que combinasse com o meu armário sem me encostar no conforto do preto e este tom bege é perfeito. Clássico, sofisticado, combina com o meu tom de pele e com as mais variadas peças de roupa (vestidos, ganga, cores mais garridas...). O conforto é imbatível — já os levei para o trabalho e, se me têm acompanhado, sabem quantos km percorro lá — e a sabrina não deformou, para já! São as sabrinas mais confortáveis que já usei e espero que me acompanhem durante muitos anos. Para já, têm sido a minha escolha segura para usar com vestidos ou nos meus looks work friendly


 Há alguns anos que já andava com vontade de apostar numas sabrinas brancas mas por ser uma cor tão estéril, sabia que que tinha de apostar no modelo certo para ganharem o merecido destaque e alguma graça. A maioria dos modelos são de ponta bicuda — uma tendência que continua a não ser para mim — então fui pesquisando e esperando até ter encontrado este par absolutamente perfeito! O tom é em branco pérola — mais sofisticado, na minha opinião — a ponta é arredondada, como eu gosto, e a diferenciação do corte da boca da sabrina dão o je ne sais quoi que andava à procura. A leveza e conforto do calçado atinge as expetativas e dá-me confiança para as levar para um dia de trabalho intenso. Têm sido a minha escolha para looks black and white (a opção segura), vestidos e com jeans e peças superiores mais luminosas. Tirando os vestidos brancos, tenho evitado o par em looks totalmente claros ou brancos para não enjoar.

A Häagen Dazs é uma das minhas marcas de gelado preferidas e frequentemente ela prova o porquê. Sinto — num ato de egocentrismo — que os seus lançamentos são feitos para me conquistar, para eu manter esta declaração de amor eterna, e o mais recente sabor é a prova disso: uma marca que lança um sabor de gelado chai latte só pode estar a pensar em mim, certo? Tem o mesmo sabor que o chai latte do Starbucks e é absolutamente divinal. Vem com uns pedaços de bolacha deliciosos e é um gelado tão rico em sabores e especiarias que cada colherada é inesquecível. Se gostam da bebida, podem apostar no gelado sem medo de serem felizes. Para já, só existe à venda nas gelatarias próprias da marca ou na coleção Barista, nos supermercados, em pote pequeno. Onde assino a petição para esta delícia começar a ser comercializada em pote normal?!


Este mês, o Diogo meteu as mãos na massa e não só preparou a sua cheesecake de morango como partilhou comigo a receita para que eu a partilhasse com vocês! O resultado foi uma cheesecake bem retro, que me recorda as ilustrações dos livros da Anita. Se quiserem recriar, é só seguir o passo a passo aqui — e partilhem connosco o veredito!


In Five Years
_________________

"Dannie tem, na sua conceção, a vida perfeita: 
trabalha na sociedade de advogados dos seus sonhos, 
está noiva de um namorado atencioso e planeia, 
brevemente, mudar-se para a zona de Nova Iorque 
onde mais ambiciona morar. O seu plano a cinco 
anos é detalhado e altamente metódico, mas tudo 
muda quando acorda numa casa que não é a sua, 
ao lado de um homem que não conhece e, ao olhar 
para o calendário, se apercebe que avançou cinco 
anos no futuro... e nada é o que ela planeou."

REVIEW COMPLETA


The Art of Showing Up
_________________

"The Art of Showing Up procura otimizar a forma 
como nós estamos mais presentes e disponíveis 
na vida dos outros e nas nossas próprias emoções 
e fases de vida. Sabemos que somos mais felizes 
quando conseguimos ser mais assertivos nas nossas 
escolhas, tempo e sentimentos e também mais 
disponíveis para as pessoas que amamos. Este livro 
leva esses fatores em consideração."

REVIEW COMPLETA


Revista Observador Lifestyle
_________________

O Observador lançou uma edição especial para este 
verão só sobre turismo (em bom) por cá. Numa altura 
em que as limitações além fronteiras são muitas e só 
queremos umas férias de verão tranquilas enquanto 
apoiamos negócios nacionais, esta revista reúne sugestões 
para todas os gostos, locais e carteiras. Desde autênticos 
cenários de luxo a opções mais simpáticas, de viagens a 
fundo ao Sul ou escapadinhas pelo Norte, sem esquecer 
as fugas a meia hora de casa. Fiz questão de comprar 
a revista porque acabo por ter, num só lugar, um verdadeiro 
catálogo de lugares imperdíveis para pernoitar — neste ou 
noutros verões. Recomendo imenso! As fotografias são 
de sonho e conhecer os rostos e sonhos por detrás destas 
casas maravilhosas e que tanto sossego nos trazem é ainda 
mais bonito!

COMPRAR

The World's Most Extraordinary Homes
_________________

"Cada episódio é dedicado a um país diferente — 
sendo que já existe um em Portugal! — e apresenta 
sempre quatro casas deslumbrantes, extravagantes 
ou singulares. Não se poupam a detalhes e, ao longo 
de cada episódio, temos acesso a todos os pormenores 
mais incríveis da casa, incluindo esclarecimentos 
acessíveis de como a casa foi pensada ou edificada 
e entrevistas com os arquitetos e residentes."

REVIEW COMPLETA


Next in Fashion
_________________

"Estreado no início do ano e apresentado por Tan 
France e Alexa Chung, Next In Fashion reúne 18 
estilistas que, em pares, vão concorrer para ganhar 
o prémio de 250 mil dólares e ver a sua coleção à 
venda na Net-a-Porter. O twist é que estes concorrentes 
já vestiram, de facto, grandes celebridades e alguns 
trabalham em grandes marcas de luxo mas nunca 
conseguiram a oportunidade certa para vingar em 
nome próprio."

REVIEW COMPLETA

A minha primeira ida ao cinema foi planeada com todo o cuidado e com estreia na aplicação NOS Cinemas. Provavelmente, chego tarde à festa mas, com todo este novo ambiente de incerteza e cuidados, não podia deixar de recomendar, caso nunca tenham experimentado e estejam a planear um regresso (seguro) ao cinema. Através da app, têm acesso ao cartaz e próximas estreias, horários do vosso cinema de eleição — e outros nas redondezas — e podem comprar o bilhete e produtos do bar por lá. Podem consultar todos os novos procedimentos de higiene e também podem ver como é que a sala de cinema está composta no horário que selecionaram — e ainda ver que cadeiras ficam bloqueadas quando selecionam o vosso lugar. O sistema é em cruz, bloqueando todas as cadeiras que estão imediatamente à vossa frente, lados e costas, com exceção se forem acompanhados. Tudo é super intuitivo e muito prático. Fiquei fã e, uma vez que minimiza contactos, e julgo que vai passar a ser o meu sistema de compra de bilhetes de eleição. Como foi a minha primeira utilização, tive ainda direito a um pacote de pipocas gratuito! 


Em 2019, apercebi-me de que tinha comprado um computador que não tem leitor de discos e o meu DVD morreu. Se já me acompanham por aqui há algum tempo, sabem que ainda sou arcaica e tenho CD e DVD que consumo com regularidade. Oh, a tragédia...! Tinha dado o caso como perdido, até ter visto um story da Melina Souza a utilizar um disco ótico para ver um DVD no seu computador. Se eu sabia o que era um disco ótico? Não, mas pesquisei de imediato. Um disco ótico é um aparelho pequeno e portátil, parecido com um disco externo mas que serve para ler CD e DVD. Conecta-se através de USB e pode ligar-se a computadores ou smart tv — depende do modelo, tenham em atenção isso. Há para todas as marcas — e preços — e não tenho, de todo, queixas. Para mim, é excelente porque é muito mais portátil que um leitor de DVD e acabo por fazer dois investimentos num só. É o meu queridinho!


Uma coisa que acho que poucos sabem sobre mim é que alimento muito o meu espírito de sobrevivência. Sou aquela pessoa que tem kits preparados para qualquer eventualidade, não tanto ao nível Apocalipse Zombie mas definitivamente para situações de emergência — ou onde uma ferramenta dava mesmo jeito! Quando descobri as Wallet Ninja, soube de imediato que queria ter uma. Wallet Ninja é uma ferramenta metálica multi-funções do tamanho de um cartão de multibanco e que podem deixar a postos para qualquer eventualidade. Num só “cartão” têm 18 funcionalidades diferentes, entre elas, um abre latas, chave de fenda (de vários diâmetros), chave de rosca, lâmina para poderem abrir caixas ou cartas, régua, abre caricas e até descascador! Se alguma vez vou precisar disto? Não sei, mas a ideia de ser um survival spirit é ter as coisas à mão no dia em que forem precisas! É leve e, como cabe em qualquer carteira, não me atrapalha no dia-a-dia. Comprei a minha no Aliexpress Espanha — nesta loja — e já experimentei algumas das funções — funciona lindamente!


playlist
______________________________

O sétimo mês do ano foi tranquilo e bondoso, por estes lados. Não me poupou ao trabalho e ao cansaço do stress que continuamos todos a viver mas trouxe momentos doces e quentes como só um dia de verão de Julho pode trazer. 


Em Julho, mimei-me mais e trouxe alguns desejos que estavam na minha carta do Pai Natal há anos, voltei a ser mais consistente nos treinos e matei as saudades dele, naquele que foi o nosso segundo reencontro depois de uma distância pandémica imposta, de novo! 



Dei o meu primeiro mergulho do ano no mar paradisíaco da Comporta, fiz sestas na praia e li uma revista na toalha, como eu amo. Aproveitei bem os fins de tarde em Santa Cruz, os mergulhos de piscina e os gelados de sobremesa. Foi o mês do primeiro almoço com toda a família, do meu reencontro com a Bia — a primeira amiga que me permiti a ver depois de todo este caos de pandemia e que me fez perceber do quanto eu já sentia falta de ver amigos em carne e osso — de voltar a tomar pequenos-almoços na esplanada e de dar voltas pela cidade. Enviei presentes, li, fiz coisas pela primeira vez — e que andava a adiar por medo — disfarcei olheiras e devorei fins de semana. Num final de dia de sábado, fizemos um piquenique a rigor num recanto sossegado da Serra enquanto conversávamos sobre tudo e sobre nada.



Fui ao cinema pela primeira vez desde Fevereiro e para ver Insterstellar no grande ecrã. Uma decisão onde tomei todo o cuidado e que onde só avancei na segurança de que tinha a sala só para mim — e que privilégio ver Insterstellar num cinema só para mim. 


Foi um verdadeiro mês de verão, embora não tenha tido um sabor de férias. Entre jantares, passeios em noites quentes, vestidos coloridos e mergulhos — na água salgada e da piscina — tive um Julho à minha medida.

Agosto, dá-me alegrias!

5 comentários:

  1. Olá, Inês! Podes dizer-me onde compraste o vestido vermelho da primeira fotografia? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comprei na Mango Outlet, no início do ano, e já não o encontrei no site. Todos os artigos que eu referi no artigo e que ainda estejam disponíveis nas lojas, deixei link :)

      Eliminar
  2. Hello, ler os teus favoritos significa estar com o google aberto no separador ao lado, adoro!<3 Mas não encontrei o disco ótico, onde compraste o teu?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este modelo e marca em específico comprei na Box mas há discos óticos em todas as lojas habituais (Worten, Fnac, etc) :)

      Eliminar
  3. Tenho adorado a forma como tens aprimorado o teu estilo, és uma autêntica princesinha, Inês, mesmo de EPI! Tenho algum receio dos vestidos midi por sentir que é uma vibe demasiado adulta para mim mas quero taaaanto aventurar-me, o vermelho que mostraste é lindíssimo, e um big hell yeah para as bandoletes que não são coroa! Also, fico radiante que tenhas tido tempo para ti e para os teus e ainda por teres desfrutado um bocadinho deste verão. E amiga, i feel ur pain #NamoradosSintrenses !

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)