segunda-feira, 15 de agosto de 2022

PASSAPORTE | Porta de Brandemburgo


Inaugurada em 1791, a Porta de Brandemburgo é o prémio de consolação de todos os que atravessam corajosamente a infinita rua Unter den Linden. O seu recorte ao fundo – ainda mais especial ao pôr do sol – deixou-nos maravilhadas. 

A Porta de Brandemburgo é o ex-libris da cidade de Berlim e um símbolo reconhecido da paz. Com uns imponentes 26 metros de altura, apresenta um estilo neoclássico e 6 colunas com 5 entradas, sendo que a central, em tempos, era de exclusivo acesso à família real e a algumas figuras emblemáticas. 

No topo, podemos encontrar a deusa Vitória numa carruagem puxada por cavalos. Esta estátua é também ela irreverente, uma vez que, ao contrário da maior parte das portas espalhadas em várias capitais da Europa, em que as estátuas estão de costas para a entrada da cidade, a deusa Vitória está posicionada com o olhar para dentro da cidade, como se se dirigisse para Berlim, num sinal de proteção à cidade – olha por ela

Esta já não é uma estátua original, uma vez que foi destruída durante a II Guerra Mundial, a par da restante estrutura, que foi bastante destruída. Em 1956, os dois territórios da Alemanha uniram-se numa surpreendente colaboração para reparar os danos, ficando a Berlim Ocidental com a responsabilidade de reerguer uma nova estátua da deusa Vitória, que ficou concluída em 1969. 

Porém, com a construção do Muro de Berlim, a Porta de Brandemburgo ficou praticamente abandonada, presa entre os dois lados e sem que ninguém a atravessasse. Foi só depois da reunificação da Alemanha que foi devolvida toda a glória a este monumento. 

Quando nos aproximamos da Porta de Brandemburgo, percebemos o quanto este monumento viveu e testemunhou; é possível observar as diferenças de tom da pedra, sinalizando os locais onde a guerra danificou a estrutura. Atravessá-la é uma atividade obrigatória numa primeira visita a Berlim. Abaixo, na fotografia, conseguem ver as zonas danificadas nas colunas.


Aquando da nossa visita, testemunhámos um pedido de casamento ao pôr do sol e por baixo da passagem central. Fez-me pensar que não havia nada mais real do que isto: sobreviver ao caos do mundo e abrigar momentos em que nada mais importa do que a ternura. 


Ainda regressámos lá à noite e tem o seu encanto – com muito menos turistas. Recomendo as duas visões e que aproveitem a caminhada para, após passarem a Porta, se dirigirem a Groβer Tiergarten.

(qualquer semelhança com as renas rodolfo é real: Berlim estava gelada em maio)

1 comentário:

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)