domingo, 21 de agosto de 2022

PASSAPORTE | Palácio de Charlottenburg


Schloss Charlottenburg é o maior e mais simbólico palácio de Berlim. É também um dos pontos turísticos mais afastados do roteiro turístico habitual, pelo que, se estão numa primeira visita a Berlim – e o mais provável será ficarem pelas áreas mais nucleares da cidade -, é importante anteciparem este desvio. 


O Palácio de Charlottenburg nasceu e cresceu num cruzamento entre a nobreza de Brandemburgo, reis da Prússia e imperadores alemães. Um cruzamento de tantas gerações e Eras só poderia resultar numa igual variedade de correntes arquitetónicas e decorativas, desde o Barroco à influência do séc. XX.


Ainda assim, a figura mais associada ao palácio é também aquela que lhe atribuiu o nome: a Rainha Sophia Charlotte era uma mulher notável, apaixonada pelas artes e pela ciência. A sua inteligência e interesse por aquilo que ainda não era considerado ‘adequado’ no crescimento intelectual das mulheres tornou-a numa soberana à frente do seu tempo e numa impulsionadora da ciência e arte não só durante o seu reinado, como também nos espaços que podemos visitar no Palácio. 


Infelizmente, a II Guerra Mundial provocou danos graves ao Palácio de Charlottenburg e exigiu que várias partes deste complexo fossem reconstruídas e restauradas num processo que levou cerca de 20 anos. Ainda assim, alguns elementos foram irreparáveis e perderam-se para sempre – os mais fáceis de identificar são os quartos com paredes ou tetos brancos, sem papel de parede ou tapeçaria, em que apenas através do áudio-guia e da imaginação podemos ter uma descrição de como seriam, já que a guerra levou a melhor sobre a arte. 


A sumptuosidade dos salões e quartos não vos vai passar despercebida, assim como as coleções de arte notáveis. Tentando manter o mais possível a disposição do mobiliário e decoração fiel ao original, todos os interiores são de encantar, mas alguns dos salões de destaque vão para a Sala da Porcelana, o Quarto de Friedrich I (Rei e marido da Rainha Sophia Charlotte) e a Sala Dourada. 



Inspirado no Palácio de Versailles, esta antiga residência de verão reserva-nos também um jardim fabuloso que se estende para um parque público, para o qual vos recomendo reservarem algum tempo para passearem e apreciarem a paisagem, o lago e os recantos tão românticos. 



O mais incrível? Embora a visita ao Palácio seja de acesso pago – mas com direito a áudio-guia, o que torna tudo mais interessante! – os jardins e parque são públicos e neles podemos encontrar muitos locais a aproveitar estes espaços para correr, fazer piqueniques, ler e ter encontros de amigos e família. Sinto que temos muita sorte por Portugal ser excecional em muita coisa, mas no que toca a parques públicos, acho que o resto da Europa é imbatível; dá gosto de caminhar por jardins tão arranjados e parques de km, onde há sempre um refúgio para se estar sossegado a apanhar sol, a ler ou a namorar. 



O Palácio de Charlottenburg foi uma das minhas visitas preferidas de Berlim e um ponto turístico, na minha opinião, a não perder.

2 comentários:

  1. Guardo os teus posts sobre viagens numa caixinha (uma com andorinhas cravadas e cheiro a earl grey), um dia, hei-de seguir as recomendações, com a minha mala verde às flores, e lembrar-me da tua cor-de-rosa.

    ResponderEliminar
  2. Fotos lindas, como sempre. Obrigada por partilhares as tuas viagens connosco. 🤍

    Segue-me:
    Blog | Instagram

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)