quarta-feira, 16 de junho de 2021

LIVROS || The City Baker's Guide to Country Living


Iniciei esta leitura pouco tempo depois de ter terminado a minha aventura por Gilmore Girls, que deixou a vontade de continuar a pautar os meus serões com uma história leve e quentinha no coração. 

Admito: The City Baker’s Guide to Country Living convenceu-me pelo pequeno selo na capa, dizendo que este livro era 100% Gilmore Girls e não é, de todo, mentira: Olivia, a protagonista, provoca um pequeno acidente no restaurante onde era uma Chef consagrada e foge de Boston para uma cidade pequena, residência da sua melhor amiga, onde tudo é pitoresco e tudo se sabe; os habitantes daquela cidade interagem entre si como se todos pertencessem à mesma família, e tudo obedece a certas tradições e idiossincrasias. E se isto não nos convence de onde a história deste livro é inspirada, a personalidade principal não deixa margem para dúvidas, fazendo-nos trocar as voltas e chamá-la de Lorelai, de vez em quando. 

Estavam reunidas as condições para uma leitura leve e aconchegante, que devorei em pouco tempo pela fluidez de leitura e pela facilidade da narrativa. No entanto, o sensação final que restou desta leitura foi de desilusão. Creio que a inspiração é aquilo que salva e que resgata magia e carisma para uma história que, sem todos estes apetrechos, é expectável, desinteressante e um pouco irritante. Todas as personagens estão balizadas com uma série de traços, comportamentos e pensamentos pouco originais e também pouco humanos, na minha opinião. Nenhuma é devidamente desenvolvida, assim como as relações que Olivia vai desenvolvendo ao longo da história. Todas as dinâmicas apenas existem para servir a protagonista, uma estratégia que roça sempre à preguiça. 

Não é uma história terrível: tem os elementos aconchegantes e fala, de uma forma subtil, sobre amor, sobre irmos atrás das nossas ambições, sobre luto, amizade e sobre sermos mais assertivos nas nossas capacidades. Mas não é um livro inesquecível (tive, aliás, de reler a sinopse antes de escrever este artigo) e serve um propósito muito específico: fazer companhia numa noite de outono, sem agregar muito mais do que isto.

Fotografia: Louise Miller

WOOK

Bertrand

Este artigo contém links de afiliado.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)