segunda-feira, 22 de março de 2021

LIVROS || Matilda


Acredito que a geração dos anos 80 e 90 entenderá perfeitamente quando digo que o filme Matilda fez parte da nossa infância e do repertório audiovisual que consumimos na época. A criança prodígio com poderes extraordinários fez parte do nosso imaginário e eu demorei algum tempo a descobrir que, na verdade, esta é uma adaptação do livro original de Roald Dahl. 

Este também não é um autor desconhecido por vós, já que fez nascer não só Matilda mas outras histórias especiais e que fazem parte das nossas memórias, como Charlie e a Fábrica de Chocolate — e já partilhei uma curiosidade muito gira sobre esta história aqui. Cada vez que leio Roald Dahl, aumento a minha convicção de que é um escritor infantil que não escreve para crianças. Embora as suas narrativas e diálogos sejam muito simples e acessíveis — perfeitos para os mais pequenos — encontramos nas entrelinhas uma série de mensagens claramente direcionadas para os adultos e, por mais incrível que pareça, termino sempre uma leitura dele a refletir (nem sempre sobre o tema principal do livro mas as tais entrelinhas que vai oferecendo aos leitores mais maduros). 

Em Matilda, não houve exceções; a história é muito semelhante à adaptação em filme, embora com alguns detalhes mais explorados e que alimentam a sensação de nostalgia. Para quem desconhece a história, Matilda conta a história da menina que protagoniza o título, dotada de capacidades cognitivas extraordinárias e altamente negligenciada pelos seus pais. É na escola que a criança explora todo o seu potencial, mas a instituição é chefiada por uma insuportável diretora que testa a força capilar dos miúdos — e a sua saciedade com bolos de chocolate!

É uma história simples que fala sobre parentalidade, feminismo, amor e coragem de uma forma suave, adequada para os leitores-alvo e muito inspiradora para as crianças. É um livro reconfortante e muito agradável de ler, perfeito para um domingo leve e para darem play logo de seguida no filme — que está no Disney+.

WOOK

Bertrand

Este artigo contém links de afiliado.

2 comentários:

  1. É dos primeiros que me vêm à memória, quando penso em filmes da minha infância.

    ResponderEliminar
  2. Não conheço. A minha geração é outra mais antiguinha!
    Isabel Sá  
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)