quarta-feira, 18 de setembro de 2019

BLOGOSFERA || Estou Desmotivada, E Agora?


Nos últimos tempos, tenho recebido algumas perguntas — e desabafos — sobre desmotivação na hora de criar conteúdo. Mais especificamente, a ausência de retorno. Como continuar a trabalhar com vontade quando parece que ninguém está interessado no que temos para comunicar?

A partilha digital tem sofrido transformações rápidas e drásticas ao longo das décadas e isso reflete-se na nossa própria postura a criar conteúdo — seja onde for; há uns anos, a perspetiva comercial estava fora de questão e o conceito de rede ainda era muito real. Não que se tenha perdido completamente mas surgiram novas formas de consumir este conteúdo — a própria palavra denuncia-nos: já não estamos em rede, somos consumidores.

Acompanhados pelas transformações digitais, surgiram também uma série de possibilidades rápidas, embora quase impessoais, de mostrar para o outro que a sua partilha não nos deixou indiferentes; um like, por exemplo. Dura dois toques de polegar. Pouco ou nada exige e torna-se feedback instantâneo. Mas não há likes nos blogs. Há formulários para comentar que exigem preenchimento além de escrever qualquer coisa. Não é uma caixa de comentários simplificada e intuitiva como temos no Instagram. É um formulário que não muda desde, pelo menos, 2008. A preguiça fala mais alto. É mais fácil ler e apreciar em silêncio, esquecendo-nos que o produtor do conteúdo não desconfia que gostámos, que não nos deixou indiferentes, que agregou algo à nossa vida. Eu própria sou culpada.

Onde quero chegar? Que é natural desmotivar. Mas que é também um reflexo da nossa ânsia por feedback instantâneo. E criar conteúdo é um desafio que leva muito tempo a colher frutos.

Como em quase todos os desafios da vida, não há um grande segredo para vencer a desmotivação a não ser contrariá-la com inspiração e vontade de criar. Não estou a ser hipócrita: adorava que o feedback dos meus conteúdos refletisse o meu esforço e dedicação mas a minha postura nunca foi a de cobrar — ou comparar com o sucesso dos outros — porque não me faz sentido. Quero, isso sim, oferecer mais para ter mais razões para merecer um bom feedback (que é tão gostoso!).

Lembrar por que razão começámos. Quando comecei a criar, sabia perfeitamente o número da minha audiência: um redondo zero. Mas mesmo assim eu quis fazê-lo. Claro que tinha perspetivas de criar uma comunidade de leitores mas algo mais me move: comunicar, partilhar, quiçá inspirar. Tenho muito presente a ideia de que, tal como muitas vezes sou uma leitora silenciosa, outros tantos também serão. Devo muitos agradecimentos a bloggers, youtubers, criadores de conteúdo que me reconfortaram em momentos difíceis graças aos seus conteúdos. Que me desanuviaram, inspiraram, mudaram a minha vida graças às suas dicas, reflexões, partilhas. E eu limitei-me a consumir. Parece irreal mas o mesmo acontece com o nosso próprio conteúdo.

É desconcertante quando temos um conteúdo que nos deu o maior dos trabalhos, que exigiu investimento de tempo e dedicação a ser esquecido no arquivo. Mas não foi. Alguém leu, alguém gostou, alguém se inspirou, alguém agradeceu por dentro este conteúdo ter surgido precisamente no momento em que a pessoa mais precisava de escapar, por uns momentos, à realidade. Não é arrogância ou prepotência; isto existe e é real. Só que nem sempre vamos sabe-lo. Resta-nos lembrar por que começámos e aceitar que nem todos os nossos momentos a criar são repletos de ideias e fases de sucesso. Por vezes, o melhor a fazer é dar descanso ao nosso projeto, falar com outras pessoas, conhecer novas coisas e voltar com ideias e com vontade de partilhar de novo. Porque é isso que nos move e nos cativa. E talvez olhemos para estes momentos de desmotivação como uma oportunidade para despirmos a pele de leitores silenciosos e reagirmos aos conteúdos que consumimos e não nos deixam indiferentes. Porque não há maior gesto de empatia do que nos lembrarmos que, provavelmente, o outro também pode estar a pensar que ninguém valorizou um conteúdo que gostámos tanto.

12 comentários:

  1. Eu faço parte dessa categoria de leitores silenciosos mas este texto deixou-me a pensar. Realmente tens razão, era bom receber um pouco de feedback de quem lê/vê os conteúdos... Aproveito então para dizer que adoro o teu blog e leio as tuas publicações há já algum tempo!! Bom trabalho, Inês 😊

    ResponderEliminar
  2. E já agora 😅 Adoro o teu novo corte de cabelo, fica-te mesmo bem!

    ResponderEliminar
  3. Concordo com cada palavra. Acho que todos chegámos já a duvidar do nosso potencial pela falta de feedback. Faz parte. Os tempos mudam e temos de nos adaptar à nova realidade da internet. E é uma pena que a própria plataforma não se reinvente e se adapte à realdade atual também. O Blogger há muito que deixou de ser apelativo para os leitores, acho que os criadores de conteúdos daqui merecem o mundo porque continuam a apostar nisto e a dar vida aos cantinhos da melhor maneira que podem.

    ResponderEliminar
  4. Que coincidência. O meu artigo do blog esta semana também foi sobre a falta de feedback que abunda no meio da criação de conteúdos, apesar de numa perspectiva diferente. Deixo aqui o link porque acho que poderás ter interesse. Eu, como sou criadora de conteúdos, para além de consumidora e sinto também essas dores, então tento sempre interagir genuinamente e dar feedback, porque de facto faz toda a diferença :)
    http://ilhoa.pt/2019/09/17/apoiem-os-projectos-dos-vossos-amigos-e-conhecidos/
    Beatriz de Ilhoa.pt

    ResponderEliminar
  5. Este post comeveu-me imenso! Estava a precisar de ler isto. Infelizmente, as pessoas pouco lêm blogs, o que me entristece imenso. Gostava de ter mais leituras, comentários e retorno das pessoas e sei que torna-se difícil na época de hoje, onde tudo é mais automático como disseste. Beijinhos xx

    Breeze Of Beauty  |  Instagram   |   Canal do Youtube   ♡

    ResponderEliminar
  6. Este texto disse tudo o que andava a refletir há uns tempos. Leitores silenciosos. Consumimos sem dar feedback e inconscientemente esperamos que os outros nos consumam em "outloud mode".
    Parabéns pela capacidade refletiva, Inês! E estás giríssima, boa aposta no novo look :)

    ResponderEliminar
  7. Neste momento encontro-me numa fase em que estou tão entusiasmada para criar conteúdo que se calhar não me estou a importar tanto com isso, é mais para ficar registado. No entanto, já me encontrei muitas vezes na situação onde eventualmente esse entusiasmo se desvanece com a falta de feedback
    Tenho notado um crescimento dos leitores silenciosos nos últimos anos aqui na blogosfera, mas confesso que é algo que já me incomodou mais. Como disseste, enquanto criadores acabamos por estar dos 2 lados: somos leitores silenciosos e temos leitores silenciosos.
    Acho que podemos ou aceitar esta mudança (referente ao crescimento do número de leitores silenciosos) ou se calhar arranjar outras estratégias que agradem mais ao público "consumidor"

    ResponderEliminar
  8. Já ha muito que não vagueava pelo mundo dos blogues. Mas, realmente, agora que regressei ao meu cantinho apercebi-me da diferença por estas bandas. O blog já não é o que era. Tantos blogues incríveis que eu seguia e que agora estão "abandonados" e os blogues que continuam activos têm muito pouco feedback dos respectivos leitores. Este texto retrata perfeitamente a realidade dos últimos tempos nesta rede!

    https://glamourandsparkletrends.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  9. Muito obtigada por estes palavras!
    Eu, sendo muito pequenina nisto, já sinto esse peso todo e sei bem o que é essa desmotivação! Acabei de voltar ao blogue porque precisei de um tempo afastada da frustração que sentia.
    Gosto muito do teu cantinho e espero que continues!

    ResponderEliminar
  10. Ando numa fase de desmotivação que dura já alguns meses (4 meses se não estou em erro) e sinceramente não sei bem o que fazer porque quando tento contrariar notasse que o resultado final foi algo que saio sobre pressão e não gosto, no entanto também não tenho uma solução melhor...

    ResponderEliminar
  11. Apercebi-me de que, anualmente, há uma altura em que sinto uma grande necessidade de me renovar, e isso implica deixar de lado muitas coisas de que gosto, incluindo o blogue. Nunca deixo de pensar nele, é certo, mas quando reconheço não ter a energia total e necessária para dar tudo por ele, prefiro deixá-lo descansar e, consequentemente, descansar a minha cabeça. Consumir outros conteúdos, dar um certo feedback - peco bastante por não fazê-lo, por exemplo, no YouTube -, retomar certas rotinas que me ajudarão a estimular o pensamento... Deixar de ter medo destes buracos criativos, deste engenho, também é bastante importante, para que possamos dar uma certa abertura aos nossos próprios objetivos! Nada como nos aconchegarmos num novo casulo e dar lugar a uma nova borboleta! 💫

    Há imenso que não te leio, confesso, e penso ter recomeçado pelo texto ideal!! Beijinhos, Inn!

    LYNE, IMPERIUM BLOG

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)