quarta-feira, 24 de agosto de 2022

FILMES | Agosto • 2022



Talvez seja importante começar esta review com a declaração de que Top Gun nunca esteve no meu TOP de filmes preferidos. Nunca foi um filme inesquecível, para mim. Mas o mesmo não se pode dizer do meu pai – ou de qualquer homem que tenha seguido aviação nos anos 80/90, passando a generalização – portanto, coube-me fazer de companhia neste regresso. 

Sequelas de filmes – especialmente de obras que marcaram o cinema – carregam sempre às costas a pressão do sucesso, mas diria que Top Gun: Maverick conseguiu entregar uma sequela muito competente: nostálgica o suficiente para o seu verdadeiro público (pegando em alguns elementos da primeira história para dar seguimento a esta nova aventura), mas com um elenco e narrativa frescos, que conseguem convencer uma nova geração de espectadores. E há que reconhecer a teimosia notável do Tom Cruise em manter esta produção com a menor intervenção possível de CGI e green screen. O grande defeito a apontar? O trágico bigode do Miles Teller. 

Confesso que tinha tentado assistir a Enola Holmes na altura em que tinha saído na Netflix e que desisti ao fim de uns minutos. Uma tarde de férias e a moleza do pós almoço fizeram-me ceder a mais uma tentativa de assistir a esta história onde descobrimos que Sherlock Holmes tem uma irmã astuta que procura a mãe – que desapareceu inesperadamente. 

Um facto que acho que nunca ficou muito evidente no Bobby Pins: eu sou muito fã de Sherlock Holmes. Mesmo. Um gosto que começou quando a minha amiga Raquel me ofereceu a coleção completa de histórias de Sherlock Holmes (obrigada!) e que devorei num sopro. Custa-me, por isso, ver um filme onde tudo está… errado! Onde se inventam personagens que não existem naquele universo, onde o traço de personalidade das personagens originais é infiel (…). Enola Holmes aproveita a sombra do sucesso de Sherlock Holmes para criar uma história centrada numa personagem feminina e com uma mensagem feminista. E sinto que a história, pela protagonista carismática e pela mensagem relevante, não precisava de nenhum Sherlock ali, sabem?

Admito que possa ser uma atitude um pouco conservadora com os clássicos da literatura. É um filme leve, perfeito para um domingo pachorrento e com uma mensagem importante. Se conseguirem ignorar que o Sherlock Holmes é a maquilhagem do filme, é perfeito para entreter. 

Já sabem que eu e o cinema estamos numa constante relação de descoberta e aprendizagem, mas cada vez mais consigo solidificar o meu tipo de filmes preferido, e Bullet Train encaixa na perfeição neste género. 

Bullet Train apresenta-nos várias personagens com histórias e origens tão discrepantes que a única coisa que as parece ligar é terem apanhado um TGV no Japão. Toda a história decorre durante aquela viagem de comboio e começamos a perceber de que forma é que todas aquelas personagens interferem na vida umas das outras.

Aquele que seria um filme banal de ação, tiros e muitas lutas, tem uma pitada de comédia que abrilhanta toda a história, seja pela dinâmica divertida com que tudo acontece, seja pelos diálogos non-sense das personagens. 

Bullet Train é um filme da escola de Tarantino, mas prende-nos do início ao fim, faz-nos rir e deixa-nos sentados na ponta da cadeira para perceber o que vai acontecer de seguida. Ouvi dizer que a crítica arrasou-o com comentários destrutivos, mas não consigo mesmo compreender como: foi um dos meus preferidos do ano.

Que filmes assistiram em agosto? O que recomendam?

2 comentários:

  1. Olá!

    Da tua lista só me falta ver o "Bullet Train". Obrigada pela sugestão.

    Beijinhos,

    https://sobomeuolhar7.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Quero imenso ver o Top Gun. Adorei o primeiro.

    Segue-me:
    Blog | Instagram

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)