sábado, 14 de maio de 2022

SÉRIES | Bridgerton

Vocês já sabem que eu sou perita em assistir a séries e filmes muito mais tarde do que o hype e, por isso, sinto que este artigo será a falar para a parede porque toda a gente já assistiu à série Bridgerton, verdade? 

Para quem tem-se mantido à margem do fenómeno – ninguém -, Bridgerton é uma série de época que explora a vida da família que dá o nome a esta história. Mas se o mercado dos filmes e séries já estava saturado de histórias de realeza e de época, Bridgerton traz alguns pontos de originalidade que, confesso, foram o que me convenceram ainda antes mesmo do enredo: para além dos figurinos de sonho, dos cenários sumptuosos e dos tons pastel adoráveis, Bridgerton tem muita representatividade, apresentando personagens de várias origens como integrantes da nobreza – e até da realeza – sem se preocupar em ser fiel à realidade histórica. 

Bem sei que também isto já teve algumas críticas (entre elas, muitos espectadores criticaram que era o ‘apagar do passado’), e estou num lugar de privilégio para comentar, mas não me parece que foi essa a intenção nesta abordagem e sim uma tentativa da produção de idealizar um lugar onde a cor da pele e a origem das personagens não era limitativa. A história continua a ter uma hierarquia social (realeza, nobreza e plebe) mas a cor da pele não é uma questão e eu achei muito interessante. A par do que também comentei n’Os Segredos de Dumbledore, acho que é a tentativa da arte em mostrar uma realidade possível e justa e isso é mais crucial do que imaginamos. Um outro detalhe que tenho achado interessante é a perda de poder da religião nesta narrativa - não existem grandes figuras de poder do clero ou com influência e achei isso curioso. 

Um outro detalhe que gostei bastante na série é que – aparentemente – cada temporada está a focar-se em diferentes elementos da família, dando espaço para conhecermos cada personagem e adorarmos cada vez mais a família Bridgerton. Na 1ª temporada, conhecemos Daphne, a filha mais velha, inocente e muito delicada, que inicia a sua vida de debutante e procura fazer um percurso perfeito e imaculado para que as irmãs tenham o seu processo facilitado. Na 2ª temporada, conhecemos Anthony, o filho mais velho e visconde da família que também inicia o seu processo de casamento, mas com aspirações totalmente diferentes da irmã. Muita gente sentiu falta da Daphne como protagonista, mas eu gostei desta frescura. O arco dela foi fechado na 1ª temporada e isso dá espaço para explorar outras histórias sem tudo se tornar repetitivo. 

A par destas histórias de romance, amor proibido, sinais confusos, bailes e muitos diálogos poéticos, temos uma Lady Whistledown, de entidade secreta (mas que um espectador atento adivinha num par de episódios), que espalha pela cidade a sua coluna de mexericos, revelando todos os segredos de Londres e fazendo comentários mordazes à sociedade. Todos querem descobrir quem é, mas ninguém tem os seus segredos a salvo. 

Perante esta fórmula, é fácil compreender porque é que a série se tornou numa das produções mais assistidas da Netflix. Não há nada de novo no enredo que vamos assistindo a cada episódio – na verdade, são narrativas tão fatalistas, algumas com personagens tão obtusas que nos sentimos a assistir a uma novela -, mas é o toque de originalidade e o imaginário rico que nos faz carregar no próximo episódio. 

É uma série leve, muito romântica – na 1ª temporada, “”romântica”” demais (confesso que gostei que, na 2ª temporada, o foco estivesse mais orientado para a história) e, pessoalmente, não sendo fã de reality shows e derivando sempre para conteúdos mais ‘pesados’, soube bem ter esta série como um escape da realidade para descontrair um pouco e simplesmente mergulhar na história.

1 comentário:

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)