quarta-feira, 30 de março de 2022

FILMES | Março • 2022


O ASSASSINO DE CLOVEHITCH
Baseado em factos reais, O Assassino de Clovehitch conta a história de como um jovem, de forma totalmente inesperada, descobre que o seu pai pode ser um serial killer procurado há anos. A descoberta parece não fazer sentido, já que o rapaz sente que vive numa família estruturada e com um pai que lhe transmitiu todos os valores e que é parte ativa da comunidade. 

Costumo ser sensível a cenas gráficas de filmes mas não às histórias em si, por isso, decidi ver este filme à noite e arrependi-me totalmente. É uma história macabra e que nos implanta o pensamento desconfortável de que não conhecemos realmente as pessoas. Um filme que nos tira o sono e nos deixa inquietos do início ao fim. Parece inacreditável que esta história seja real.

O IMPOSTOR DO TINDER
Tenho de admitir que não tinha a mínima curiosidade em assistir a este documentário, mas uma tarde de chuva, um sofá apetecível e um catálogo desinteressante na Netflix foram o cocktail perfeito para encolhermos os ombros e darmos play nesta história sobre um vigarista que utilizava o Tinder como forma de manipular mulheres e fazer golpes milionários. 

Vejamos, quando ouvi falar sobre este documentário, pensei: como é possível alguém fazer transferências de dinheiro aos milhares para um homem que quer derrotar ‘inimigos’?! Mas rapidamente percebemos que o plano era altamente construído para não levantar suspeitas. O impostor tinha relações de anos com aquelas mulheres ao ponto de, ao pedir ajuda, elas não desconfiarem de todo. 

O documentário está dividido em 3 testemunhas, todas com relações com o impostor diferentes – não, não eram apenas relações amorosas -, sendo que a minha preferida foi, sem dúvida, a terceira. Senti uma tristeza profunda por aquelas mulheres que rapidamente foram ridicularizadas na internet e chamadas de gold diggers, quando, na verdade, foram vítimas que dificilmente irão recuperar tudo aquilo que investiram (monetariamente e emocionalmente) naquela relação. O mais revoltante é que ele ainda está a monte e, mesmo após o lançamento do documentário, a conta de Instagram ainda estava ativa (não está mais, com a popularidade da produção). 

É fácil ouvirmos a premissa destes golpes e pensarmos que os outros é que eram estúpidos, que isso nunca nos aconteceria, mas são planos tão bem engendrados que me deixam absolutamente perplexa. Não sei se cairia neste golpe em particular – havia aspetos da própria relação que me faziam confusão -, mas simpatizei muito com aquelas mulheres. 

A PIOR PESSOA DO MUNDO
Este filme norueguês está a ser um êxito de bilheteira e tem conquistado por um conjunto de fatores que torna a produção muito original. A Pior Pessoa do Mundo é quase como um conjunto de crónicas em filme, que divide a vida da protagonista Julie em vários capítulos onde, em todos eles, se observa a sua jornada em busca do sentido da vida e do seu propósito. 

Este género de filmes new adult – uma espécie de coming of age mas para a malta que está na luta da reta final dos 20 e começo dos 30 – tem sempre uma grande componente refletiva e filosófica, que tem tudo para eu, em princípio, gostar. No entanto, não consegui sair deste filme satisfeita. Não consegui sentir empatia pelas personagens – alguns dos seus comportamentos, inclusive, irritaram-me – e achei as questões mais desconfortáveis do que reconfortantes. Talvez seja esse o propósito do filme e, se assim foi, tem o meu reconhecimento. Mas foi a prova de que este tipo de filmes não é, de todo, para mim. Não me encaixo com este tipo de personagens e com o tipo de história que estes filmes procuram contar.

1 comentário:

  1. Ainda não vi nenhum destes, mas talvez em breve lhes dê uma oportunidade. Obrigada pela sugestão.

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)