segunda-feira, 10 de janeiro de 2022

FAMÍLIA | O Meu Avô


Um retrato do meu avô seria muito simples, especialmente da forma como todos o conhecem: um homem que trabalhou desde que se conheceu como gente, que construiu a sua vida a pulso e que não conheceu outro propósito na sua vida que não o trabalho. Honesto, generoso, com pouco sentido de humor – mas que sabe rir -, que nunca entrou num supermercado na vida, ama o sofá mais do que ama andar, que acerta o relógio da sala ao mesmo tempo que a transmissão do seu programa preferido começa: o telejornal. 

Reservado e introspetivo, nem sempre observador. Uma severidade no olhar, mas uma gentileza no coração. Simples, como disse. 

A beleza de sermos netos, é que levamos os nossos avós para lugares que eles nunca iriam, para serem pessoas que nunca foram. São pais com mel, que podem dar aos novos membros tudo aquilo que a disciplina, a educação e a época deles nem sempre permitiu aos filhos. 

O meu avô trabalhou a vida toda, mas deixava-me mexer na caixa registadora e sentava-se no jardim quando eu era pequena e colecionava pedras. Nunca entrou num supermercado na vida, exceto quando quis oferecer-me uma boneca e fez questão de lá entrar comigo e escolhê-la ao meu lado. De pouco riso, mas que o esboça sempre quando lhe digo algo absolutamente ridículo, só para puxar por ele. Que ama o sofá, mas levava-me de mão dada a passear pela cidade e que foi até ao Porto para me ver fazer um exame da Ordem. Que acerta o relógio, mas perde a noção do tempo quando está em família. Que tem o telejornal como programa preferido, mas que via sorrateiramente os Morangos com Açúcar comigo (um segredo que fica entre nós). 

Aprendi com ele algumas das coisas mais basilares dos meus princípios: a amizade não se agradece, retribui-se; no trabalho, só importa que ele seja honesto e muito bem-feito; dizer 'não' é importante, mas há muita gente que nunca teve um 'sim' na vida e podemos ser nós a dá-lo; é preferível ser ingénuo e de bom coração do que calculista.

Este é um lado do meu avô que só conheço porque sou neta. Poucos o conhecerão assim, mas também não são netos. Crescer e conhecer melhor o meu avô fez-me perceber o quanto mudamos e nos transformamos quando pessoas que amamos visceralmente chegam à nossa vida. Fazemos o que diríamos nunca fazer porque deixa de fazer sentido não o ser e fazer por eles. Porque queremos fazer parte das suas vidas, queremos devorar cada momento. Aliás, ele ainda devora cada momento: quando sei que quer voltar para casa e para a sua sesta, mas fica mais um pouco, só para estar mais um bocadinho connosco. Quando diz à minha frente que não quer sal porque sabe que eu sou melga com ele nas doses. Quando ainda olha para mim e não consegue deixar de me ver como uma miúda (e nunca deixará). 

Os avós são a prova de que o amor nos transforma, mas que há certas partes de nós que só quem realmente amamos vai conhecer. Normalmente, partes mais vulneráveis, mas também as mais verdadeiras. E que privilégio conhecer o Sr. Ivo por inteiro, como poucos o irão conhecer. É o meu avô.

7 comentários:

  1. Que deliciosas lembranças que tens e que construíste com o teu avô. E isso faz-me ter saudades do meu, que morreu quando eu tinha 6 anos.
    ❤️

    ResponderEliminar
  2. eles são mesmo das melhores coisas que o mundo tem, que amor tão bonito! <3

    ResponderEliminar
  3. Texto-retrato tão lindo, cheio de lembranças e pormenores encantadores *-*

    ResponderEliminar
  4. Porra! Que publicação bonita! Gosto tanto de avôs! Melhor pedacinho de ternura embrulhada de amor! Beijo, minha Inês!

    ResponderEliminar
  5. Que texto lindo! Sobretudo sabendo da história por detrás... Que estas palavras fiquem sempre guardadas e sejam sentidas, apesar de tudo! 💛
    Abracinho grande,

    Lyne, Imperium BlogCongresso Botânico - PodcastLivro DQNT

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)