sábado, 25 de setembro de 2021

LIVROS | O Tempo Entre Costuras


Cruzei-me com esta livro de uma forma inesperada. No ano passado, o catálogo da Netflix sugeriu-me uma série espanhola que estava prestes a sair da rede de streaming chamada O Tempo Entre Costuras. Fiquei imediatamente rendida aos episódios, porém, o facto de existir uma contagem decrescente para a série sair do catálogo não foi suficiente para eu perder o hábito de ver tudo muito devagar. Moral da história: a série saiu do catálogo precisamente no momento em que estava a descobrir o enredo principal desta história! 

Uma pessoa normal teria ido atrás da série e continuado a ver. Mas depois existo eu, que só praticamente um ano depois comprei o livro para continuar a história. 

Sila é uma mulher de origens humildes, delicada e muito talentosa para a costura. Vive em tempos instáveis e numa Madrid que depressa vai sofrer grandes transformações. Uma série de acontecimentos e decisões — que não vou revelar para manter o efeito surpresa — levam-na a Tetuán, onde conhece personagens improváveis e é levada para uma verdadeira aventura onde quem vence são os espertos e oportunistas. 

O livro está dividido em quatro partes, mas eu diria que toda a narrativa estaria, facilmente, segmentada em três acontecimentos principais que influenciam a protagonista e, por conseguinte, toda a história. Embora seja um volume de páginas considerável, a leitura faz-se a bom ritmo e sem espaço para grandes divagações — embora eu sinta que esta é uma perceção influenciada pelo facto de uma parte da história eu já conhecer graças à série. Em outras opiniões que tive a oportunidade de ler, muitos leitores queixaram-se do ritmo da primeira parte, sem saberem ao certo para onde estavam a ser encaminhados. 

O Tempo Entre Costuras tinha tudo para correr mal, na verdade: a narrativa tem três locais principais, fala sobre duas culturas distintas, decorre em três regimes políticos diferentes e ainda envolve temas como alta costura e espionagem, sem contar com o enredo natural entre as personagens. É tanta informação, contexto, detalhe e referências que é muito fácil um livro acabar confuso, com pontas soltas ou frágil em alguns temas — raso. E é por isto que tiro o meu chapéu à autora, María Dueñas, por conseguir pegar em todos estes temas e fazer um verdadeiro remate sem pontas soltas e com muita substância. É um livro que denuncia o empenho da autora em saber do que escreve — e isto é mais raro e louvável do que se pensa. 

Envolvente, feminino e muito interessante, O Tempo Entre Costuras promete uma história cheia de reviravoltas, uma protagonista evolutiva e descrições que nos transportam para uma Madrid empobrecida, uma Tetuán cheia de cores e uma Lisboa desconfiada. Não tenho curiosidade para ler os livros que se seguem desta história — eu gostei do final e, honestamente, fico desiludida por quererem dourar a pílula — mas fiquei feliz por ter terminado esta história entre páginas e não entre episódios.

WOOK

Bertrand

Este artigo contém links de afiliado.

2 comentários:

  1. Desconhecia por completo! Obrigada pela partilha.

    ResponderEliminar
  2. Li o livro há já algum tempo e gostei bastante do enredo mas recordo-me que o início não me prendeu. Só depois de alguns capítulos me rendi a Sira. 😊

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)