quarta-feira, 1 de setembro de 2021

 


Agosto é sempre a anfitriã perfeita do verão; chega quando a festa já tem vida, calor e energia, e vai embora no timing certo, nem um minuto a mais, nem um minuto a menos. Despede-se sem obedecer aos que lhe pedem para ‘ficar mais um bocadinho’. É sempre assim que simbolizo agosto: completo, protagonista, rico em momentos de verão. Revemos alguns?


Viver o verão dentro de um vestido é uma satisfação recente, mas tenho recuperado o tempo perdido. Na verdade, nunca fui aficionada pelo lilás. Mas, neste vestido romântico, tudo faz sentido, e sinto-me saída de um conto de fadas. É fresco, não amassa e é muito confortável, perfeito para os passeios quentes de verão e para rodopiar entre praças e salões. 


Quando preciso de levar ainda mais mundo do que já levo para a praia — ou para trazer as minhas peças de cerâmica de um lado para o outro — os cestos são o meu go to. E este descobri de uma forma inesperada, mas foi amor à primeira vista. Estava recatado numa prateleira da Casa Serrana, uma loja de artesanato em Aveiro, e trouxe-o no mesmo segundo comigo. Tem um design que, para mim, combina bem o traço artesanal e campestre do vime com um modelo mais geométrico, associado à modernidade.

Sou uma grande fã das opções a granel e entendo que comprar filtros seja contraproducente, mas — e tendo em conta que sou uma grande apreciadora de chá — os filtros metálicos são muito ineficientes. Por mais qualidade que tenha a infusão, há sempre resíduos que passam e dão textura à bebida. E eis que descobri, na loja Zeca, em Aveiro, filtros em papel para o chá! E funcionam na perfeição! Colocam as folhas no interior e depois mergulham na água como fariam com uma saqueta normal. E o melhor é que a Zeca tem uma loja online com entregas para todo o país, portanto, o meu stock está garantido. Este foi o meu achado do outono e a estação ainda nem começou — só para perceberem o quão feliz estou com esta descoberta!


The Good Doctor
_________________

"Esta é uma premissa original e que tenta quebrar 
as tantas barreiras e preconceitos associados ao 
autismo. Embora, com o decorrer dos episódios, 
a história seja capaz de evoluir naturalmente e 
de ramificar para outros desafios e assuntos, o 
tema sobre o autismo é recorrente (umas vezes 
como assunto central, outras vezes de forma mais 
indireta) e mesmo que seja possível que muitas 
situações da série sejam irrealistas ou generalizadas, 
esta é uma história que inspira, informa e tenta 
dar um passo rumo à inclusividade enquanto 
desempenha a sua função primordial: entreter."

REVIEW COMPLETA

Só descobri o Código Secreto este ano, mas já é um dos meus jogos de tabuleiro preferidos! Está disponível na modalidade de palavras, imagens ou ambos, mas o meu preferido é o de imagens. Ao disporem as cartas (com gravuras muito inusitadas e originais!) em cima da mesa, cada equipa seleciona um capitão que irá ter acesso ao código secreto. Esse código indica quais das cartas que estão em cima da mesa são suas, da equipa oposta ou de ninguém (neutras). O objetivo de cada capitão é selecionar o maior número de cartas da sua equipa e inventar uma pista em comum entre as imagens que permita à equipa adivinhar quais são as cartas. A pista só pode ser de uma palavra. O objetivo da equipa é adivinhar, consoante a pista, qual ou quais as cartas a que o capitão se refere. É mais confuso explicar do que jogar, mas é um jogo perfeito para grupos, sem limite máximo de jogadores e que desperta a nossa criatividade (quer para dar pistas, quer para interpretá-las)! É também um dos jogos mais baratos, portanto, se procuram um presente giro para oferecer a uma amante de jogos de tabuleiro, podem apostar neste Favorito com segurança! 


Vocês já viram de tudo nestes Favoritos, portanto, sei que não se vão espantar com este pequeno achado: um aspirador para a secretária. Não tenho nenhum balde do lixo debaixo da minha mesa para me obrigar a levantar e andar cada vez que tenho de deitar algo fora, mas confesso que as aparas de borracha e outros resíduos de lápis e papel sempre foram o meu pesadelo. A situação agravou desde que comecei a modelar em casa, deixando muitas migalhas de pasta na secretária. Este pequeno aspirador tem sido infalível nessas alturas, limpando todas as migalhas, aparas e resíduos da mesa em segundos. É muito eficiente e ainda tem umas pequenas escovas, para aprimorar a limpeza. 


As minhas primeiras peças de cerâmica, fruto das aulas de agosto, começam a chegar a casa. São resultado de diferentes técnicas e aprendizagens, e embora eu saiba que estão longe de serem perfeitas, deixam-me muito feliz. Fiz cada uma com serenidade, alegria e concentração. Não importava o meu estado de espírito, quando entrava no atelier, ficava bem. E isso importa-me mais do que uma chávena lisinha. Confesso, a minha peça preferida ainda não teve alta do atelier, mas essas deixam-me muito contente — principalmente o expositor das joias. 


Estou completamente rendida aos aparelhos sem fios. Depois de receber os meus Airpods — que tenho usado até à exaustão — estes Marshall Major IV juntaram-se à equipa. Uso-os no trabalho e no treino, e são perfeitos. Não magoam a cartilagem das orelhas — mesmo quando uso óculos — e bloqueiam o som exterior de forma incrível. Às vezes, deixo-os sem música, só para bloquear tudo à minha volta e entrar na ‘zona’ mais depressa.
playlist
______________________________


Agosto foi um mês cheio e rico. Marcou as tão deliciosas férias de verão, sem horas contadas, com os dias em tela branca para colorir como quis. Foi um mês de sestas estendida no areal, mergulhos salgados, aventuras nas Berlengas e almoços fora de horas. 


Em agosto, voltei a fazer cerâmica, uma decisão que trouxe muita alegria. O barro continua a ter um efeito terapêutico em mim, e com ele veio o regresso a Lisboa e a desenvoltura para conduzir. Agosto também marcou alguns encontros tão aguardados com amigos que não via há mais de um ano. Colocar a amizade em dia nunca teve um sabor tão especial. 


Recebi notícias que me fizeram estar aos pulos na rua, descansei, passeei por novos lugares e diverti-me. Regressei a Aveiro, reencontrei-me com a família e li até perder a conta. 


De 2ª dose da vacina no braço, agosto marcou uma nova Era. Despeço-me deste mês com a sensação de que durou uma vida e, ao mesmo tempo, cinco minutos. Peço-lhe que fique mais um bocadinho, mas já tem o casaco vestido para sair. 

Setembro, traz vitórias.

3 comentários:

  1. Que Agosto tão bonito! Que Setembro seja ainda melhor :) beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Que mês tão leve e descomplicado! Adorava que o meu tivesse tido metade da sua planitude :)

    Mas acabou em grande!

    (Acho que não comentava um post há mais de um ano; Contudo, continuo uma leitora fiel, Inês!). Um beijinho.

    ResponderEliminar
  3. Ai que incrível, sinto que tiveste um mês inteiro de férias!
    As tuas fotos transmitem uma serenidade... Vais-nos mostrar por onde andaste no Passaporte?

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)