segunda-feira, 28 de junho de 2021

LIVROS || Em Casa


Entrávamos no segundo confinamento quando descobri a existência deste livro. Inicialmente, julguei que tinha sido uma jogada brilhante de Bill Bryson, lançando um livro sobre a vida doméstica em plena pandemia, mas rapidamente descobri que a 1ª edição tinha sido publicada há 11 anos — o que só confirma a minha ideia de que este é um autor com muita visão.
 
É natural que, quando pensamos em História, sejamos levados para lugares, conquistas, batalhas, monarquias, repúblicas e acontecimentos ou épocas extraordinárias que mudaram o curso de uma nação ou do mundo. Mas a verdade é que muita da história, cultura, tradição e investigação de uma sociedade foi construído com um propósito mais simples: melhorar a qualidade de vida no quotidiano e na vida privada.
 
Sob este ângulo, Bill Bryson faz uma visita guiada à casa, usando a sua própria planta como ponto de partida para falar sobre a evolução das habituações, das divisões, do conceito de vida doméstica e dos próprios elementos que, hoje em dia, fazem da nossa casa um lar confortável e seguro.
 
Não será novidade para ninguém que Bill Bryson é um autor que tem a minha admiração. É extraordinário como ele consegue sintetizar e partilhar conceitos, curiosidades e biografias de uma forma simples, despretenciosa e com boa disposição. Mas neste livro sinto que ele foi além das expectativas: muito mais do que um livro sobre casas, este é um livro sobre a evolução da alimentação, sobre arquitetura e decoração, sobre a evolução da ciência e a magnitude das invenções falhadas de tantas figuras da ciência que, entre erros, desvendaram soluções indispensáveis aos dias de hoje. Acima de tudo, é um livro que nos faz pensar no quanto damos por garantido algumas das comodidades que, há bem pouco tempo na História, eram um sonho longínquo.
 
Numa leitura voraz, dei por mim a ir contra os meus princípios e a sublinhar as inúmeras curiosidades que Bill Bryson partilha Em Casa, desejando nunca mais as esquecer e poder reler de forma ágil. Terminei esta leitura com alguma introspeção e com a sensação de que, embora nos consideremos uma sociedade evoluída e com costumes apurados, muitas das idiossincrasias e hábitos que mantemos entre 4 paredes nasceram de algumas ideias que tiveram a coincidência de sobreviver até hoje. Um livro obrigatório para quem é curioso com tudo na vida — a começar pelo sítio onde habita. Quem diria que o meu escape de casa durante o confinamento seria... numa casa?

WOOK

Bertrand

Este artigo contém links de afiliado.

2 comentários:

  1. Tenho para ler há algum tempo! Acho que o Bill Bryson é o tipo de escritor que consegue escrever sobre tudo e ser igualmente bom seja qual for o tema.


    A Sofia World

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)