sábado, 27 de junho de 2020

ON JOB || Doenças Neurológicas


Para grande alegria da Inês-estudante-universitária, o meu percurso profissional está a passar pelo universo da neurologia, nomeadamente, doenças neurológicas e psicológicas. Soube, desde o primeiro dia, que seria um trabalho de enorme exigência psicológica mas que estava preparada. Afinal, eu sempre disse (com muita intenção) que gostaria de fazer a diferença. Fui de cabeça erguida e vesti a camisola — neste caso, a bata branca. 

Quem trabalha neste ramo sabe que jogamos sempre a perder. Não há uma cura, uma reversão deste processo moroso e cruel. Atrasamos e adiamos progressões, recuperamos pequenas funções, capacidades ou estados de saúde que a doença leva nos primeiros avanços, e a sensação é de enorme vitória quando conseguimos ganhar estas pequenas batalhas, mesmo sabendo que apenas as estamos a atrasar. 

Tenho aprendido imenso. Nunca estive tão inteirada de assuntos como Alzheimer, Parkinson, Esclerose, Demências variadas, AVC (...) mas também sobre Depressão e Ansiedade, quadros muito comuns não só nos pacientes, como também nos familiares e cuidadores. É preciso saber como reagir, o que dizer, como atuar, o que sugerir e o impacto nutricional que todas estas patologias provocam. 

É um trabalho muito extenuante, por vezes injusto, e que já me fez amadurecer muito (pessoal e profissionalmente). Já vi, ouvi e tive de tomar decisões que me marcaram muito e que nunca pensei que fosse experienciar. Tenho, todos os dias, uma enorme responsabilidade nos meus ombros e sinto que toda esta caminhada me deixou preparada para qualquer outra responsabilidade que venha parar às minhas mãos. O fim do mundo deixou de o ser porque há sempre uma solução, uma alternativa, uma resposta. A pressão já não me intimida. 

É uma experiência que retira de mim sensações muito paradoxais. Já lidei com a morte — olhos nos olhos —, com o livro na cabeceira, marcador a meio, sabendo que o leitor nunca mais vai retomar a leitura. Consolar familiares e reconhecer quando perdemos. A minha bata já me secou muitas lágrimas — a maioria, de frustração. Mas sei que só poderia ser esta a emoção possível quando queremos fazer o mundo para lhes trazer o mundo de volta, como antes o conheciam. 

Por outro lado, não há um dia em que não me sinta sortuda e privilegiada por ter tudo aquilo que nós damos como ‘natural’ e garantido. E os meus maiores sorrisos de alegria ficam reservados nos momentos de alta, em que observo os meus utentes a realizar e a serem algo que julgavam ter ficado no passado. Recuperar-lhes características e capacidades da sua identidade é algo que me deixa muito orgulhosa no que fazemos, enquanto equipa e instituição. Não lhes faltam sorrisos e entusiasmo, apesar das circunstâncias. Não estou blindada a que coisas me entristeçam ou desmoralizem na minha vida pessoal, mas faço questão que me vejam sempre de sorriso nos lábios — e no olhar. Já aprendi muito sobre felicidade com eles. 

Há humanidade na saúde, é algo que digo com frequência. Umas vezes como afirmação, outras vezes como prece. Faço questão de o provar, todos os dias. Nunca me faltou rigor e profissionalismo, mas também nunca me faltou empatia. E as três podem conviver perfeitamente quando sabemos em que altura as aplicar. 

Há sempre tempo para ouvir os familiares e utentes, mesmo que a nossa agenda esteja a rebentar pelas costuras de tarefas por completar. Muitos confiam em nós para partilhar informações e reflexões que, por vezes, nunca o tinham exteriorizado. Não existem perguntas estúpidas ou absurdas e o nosso dever é informar e orientar — se soubermos como —, sem julgamentos. Sem desvalorizar o sofrimento e preocupação de quem está à nossa frente. 

Não sei o que o futuro me reserva mas sinto-me muito orgulhosa de atravessar este caminho. De aprender o que tenho aprendido, de contribuir da forma que me é possível para tornar a vida de centenas de pessoas mais confortável. Mas também aprendi muito sobre mim própria, sobre a minha estaleca e tenho uma perspetiva muito mais real e séria sobre o quanto a minha vida é fantástica, mesmo com más notícias, contrariedades e azares. E isso é algo que não consigo, nem quero, esquecer.

3 comentários:

  1. Deves realmente sentir-te orgulhosa, o que fazes é muito importante e com certeza apesar de ter as suas coisas más, as boas compensam. Infelizmente os problemas neurológicos não são fáceis, mas com a ajuda de bons profissionais, as pessoas acabam por ter uma melhor qualidade de vida.

    ResponderEliminar
  2. Nunca duvidei do teu sucesso. Para além de te esforçares por aprender e para além de seres uma excelente profissional, dedicada e empenhada, tens uma característica que também é essencial: a capacidade de te colocares no lugar do outro e não desvalorizar os seus problemas. Sobretudo na área em que trabalhas, e não só com pacientes mas também com famílias, isso é extremamente importante e faz toda a diferença. Infelizmente, já me deparei com profissionais de saúde que nada têm de empáticos e isso fez toda a diferença (pela negativa) no meu progresso. Sei que enfrentas, dia após dia, medos e frustrações, mas fazes tudo com cabeça erguida e vontade de melhorar a vida de quem te rodeia. Isso é uma sorte para quem é acompanhado por ti. Parabéns!

    ResponderEliminar
  3. Admiro muito quem trabalha em áreas como esta, de verdade. é preciso estaleca e muito muito amor. Creio que seja um verdadeiro murro no estômago muitas das vezes mas acredito e sempre acreditarei que és menina de fazer a diferença na vida dos outros sem pensar duas vezes. Dizem-me muitas vezes nos escuteiros "o verdadeiro caminho para a felicidade é contribuir para a felicidade dos outros", e penso que se enquadra muito contigo. Obrigada por fazeres a diferença na vida destas pessoas, um passinho de cada vez <3

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)