terça-feira, 24 de dezembro de 2019

EVENTOS || Feliz Natal!


Gosto sempre de aproveitar os pequenos momentos de calmaria para me reunir brevemente convosco e partilhar uma mensagem de Natal. O dia começou com presentes para a Belka e com um Sol que premeia a azáfama no mercado a comprar os ingredientes frescos para que a mesa de Natal, essa, seja perfeita. Sem ansiedade com os presentes, todos eles selecionados e preparados há muito. Por aqui, reina um caos coordenado.

O palco principal é a cozinha, com transições entre o fogão e o forno. Pausas estratégicas para responder a uma mensagem ou atender a chamada de quem não vai celebrar o Natal ao nosso lado — mas no nosso coração, sim. O menu está escolhido e cada elemento tem uma receita para preparar, mas isso não nos impede de espreitar os filmes de Natal, de vez em quando. O dia 24 passa sempre com muita rapidez, à medida que a mesa se vai enchendo de entradas, elementos decorativos, pratos gostosos e, mais tarde, pessoas queridas. Sem faltar a das sobremesas, a mesa mais aguardada da quadra. 

O Natal nunca vai ser o que era. Mesmo quando for tudo o que deveria ser. Porque o Natal está envolto numa magia que o torna sempre inatingível. Há sempre elementos que faltam, uma dose de inocência que a maturidade leva connosco, uma variável de distanciamento dos desastres do mundo (o nosso e o que habitamos) que raramente conseguimos concretizar. O Natal perfeito faz parte apenas do nosso imaginário. Mas como é bom o Natal real, quando nos permitimos a assumi-lo. Saber que não é perfeito, mas é bom. Que sobram cadeiras na mesa, mas que não estão vazias, nunca. Pelo contrário, essas pessoas nunca estiveram tão presentes (na nossa memória e corações). Saber que não conseguimos que cada detalhe seja impecável, mas ter a certeza de que foi tudo preparado com carinho. Que a vida não está perfeita mas que há momentos como este para nos realinharmos e ganharmos forças para que venha a ser. Rir dos imprevistos, dos desastres, do que de bom aconteceu, este ano. Comer sem culpa, abraçar sem pudor, oferecer sem meios a medir. O Natal nunca vai ser o que era mas é muito bom. É só deixarem-no acontecer, tal como ele é. Abraçar cada momento banal, lembrar cada acontecimento especial. Fazer dele o melhor Natal imperfeito. Porque é mesmo disso que precisamos: o Natal mais imperfeito do mundo. 

A todos os meus leitores, desejo um Feliz Natal, do fundo do coração. Um abraço apertadinho com a certeza de que esta época já é especial por cada um de vocês existir.

1 comentário:

  1. Obrigada, doce Inês. As tuas mensagens são sempre tão poderosas, obrigada mesmo por todas as mensagens especiais que nos inspiram e nos fazem sempre querer ser melhores :)
    Feliz Natal e um beijinho muito grande <3

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)