quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

2019 || TOP19 Músicas de 2019


Música é a arte que mais consumo e pela qual eu sou devota. Talvez seja por isso que preparar este TOP me dá tanto gozo. Refletir e selecionar quais foram os lançamentos do ano que me conquistaram, emocionaram e transformaram os meus dias em algo mais mágico. Gosto de constatar que, embora surjam sempre entradas inesperadas — e algumas batotices! —, me mantenho fiel aos meus gostos e artistas. Este ano, o meu Spotify Wrapped diz que escutei música de 68 países, uma salada de géneros — mas isso não é surpresa para vocês, basta verem as playlists de cada Favoritos do mês!! — e que mais de 35 mil minutos deste ano foram passados a escutar música. Penso que isso me dá alguma propriedade para vos apresentar os 19 lançamentos que eu acho que valem a pena ouvir com mais atenção!

19 | INCEPTION: TIME
The World of Hans Zimmer
Começamos pelas entradas batoteiras, para as arrumar de vez. E esta entrada tinha de estar aqui. Simboliza o maravilhoso concerto que tive oportunidade de testemunhar, uma celebração às composições de Hans Zimmer. O momento alto do concerto, sem dúvida, foi durante a música Time, uma das suas melhores obras. E numa perspetiva mais simbólica, romântica e pessoal, foi a música que o Diogo escolheu tocar para mim. E que vale por 4 mil Hans Zimmers.

18 | PAINT THE TOWN GREEN
The Script
Mais uma música que não é lançamento do ano mas, como já sabem, simbolizo cada viagem com uma música. A minha aventura por Dublin fica marcada por esta canção dos The Script. Visitámos a Irlanda muito perto do St. Patrick’s Day e a cidade já estava festiva, desde as decorações às cantigas que os Dubliners orgulhosamente cantavam nas ruas e pubs. Uma que ouvimos incessantemente foi esta. Eu já gostava muito da música, portanto, foi o enquadramento perfeito para gostar ainda mais dela e de a ouvir em todo o seu esplendor pela cultura que a própria representa. Sempre que oiço Paint The Town Green sou transportada, de novo, para as animadas ruas de Dublin. Tão bom...

17 | SONHOS LINDOS
Cuca Roseta
Já a Sonhos Lindos leva-me, pois claro, para o universo encantado da Disney que tive oportunidade de rever neste regresso à Disneyland. Esta versão portuguesa da canção da Cinderella sempre me encantou e acho que representa na perfeição esta viagem mágica, onde o sonho se realizou e voltei a sentir-me criança no lugar mais feliz da Terra. Cada vez que a escuto, volto a olhar para o famoso castelo cor-de-rosa.

16 | THE LAST TIME - ACOUSTIC
The Script
Regressamos à banda irlandesa, desta vez, sem batotas. The Script lançou um álbum, este ano, e confesso que a minha música preferida foi The Last Time na versão acústica. Um registo já familiar para quem gosta e ouve a banda, sem surpresas, mas que traz o conforto de quem já sabe que vai sair algo bom. Por vezes, é bom quando os artistas entregam exatamente aquilo que esperávamos — ou queríamos.

15 | ALL OVER NOW
The Cranberries
A partida de Dolores O’Riordan, em 2018, marcou-me e deixou um vazio que nunca pensei vir a sentir por um artista. É um sentimento egoísta mas profundamente inocente: mentalizarmo-nos que não há mais. Que aquela voz desapareceu do mundo, para sempre. E por isso é que é sempre surpreendente quando a podemos escutar mais uma vez, de forma inédita. The Cranberries estavam a preparar novos materiais quando a vocalista faleceu e, no aniversário da morte de O’Riordan, os restantes elementos da banda lançaram esta música para que os fãs, como eu, a pudéssemos escutar mais uma vez. Um miminho que eu recebi com carinho, alguma emoção e gratidão por ter vivido numa época em que O’Riordan encantava todos com a sua poderosa e corrosiva voz. Um artista nunca morrerá enquanto existir um fã a tocar a sua música.

14 | I MAKE SPARKS
Novo Amor
Em Maio, tive a oportunidade que achei que ia demorar muito tempo para a ganhar: assistir a Novo Amor ao vivo, num concerto intimista e pequenino — como eu gosto. Foi tudo de bom e esta música, um lançamento de 2019, simboliza este momento que foi tão emocionante e feliz. I Make Sparks segue o registo de sempre de Novo Amor, sem surpresas. Mantém a calma reconfortante do artista e faz-nos sonhar. Eu regresso sempre aquela noite memorável e especial.

13 | GRAVITY - DAY 1
Ludovico Einaudi
Ludovico Einaudi regressou com um álbum bastante experimental e que, mantendo a sinceridade, não adorei. Não o achei tão memorável quanto os seus outros projetos e passou-me um pouco ao lado entre tantas descobertas e lançamentos incríveis. No entanto, algumas músicas destacaram-se e fizeram-me companhia durante dias a fio; Gravity - Day 1 foi uma delas, fazendo as minhas delícias. Se só puderem escutar uma música do álbum, sem dúvida que recomendo esta. Inconfundivelmente Einaudi.

12 | AMOR, A NOSSA VIDA
Capitão Fausto
Lançada no mês do amor, os Capitão Fausto surpreenderam-nos a todos com esta balada de (puro) amor. A letra é irresistível e familiar a qualquer desgosto romântico. Damos por nós a cantar de alma e coração o refrão, sofrendo por e com eles. Confesso, foi uma das minhas melhores surpresas musicais de 2019. A balada que mais cantei no carro!

11 | UMA FRASE NÃO FAZ A CANÇÃO
Isaura, Luísa Sobral
Ainda na temática das baladas — em 2019, fomos invadidos por elas! —, este dueto da Isaura com a Luísa Sobral foi puro amor. A delicadeza da letra e de cada acorde abraça-nos de uma forma que só uma balada de (des)amor pode fazer. Admito que não sou a maior fã da sonoridade da Luísa Sobral — embora seja mega fã da Isaura — mas este dueto ficou magistral.

10 | THE RIVER
AURORA
Eu adoro Aurora e cada lançamento dela é recebido com a certeza de que vou amar. São sempre canções emocionantes e que despertam em nós uma espécie de urgência — ou, pelo menos, é o que sinto quando escuto as suas produções. A sua voz angelical surge em todo o seu esplendor com The River, que me dá uma vontade incessante de correr — o plano de treinos da Bia agradece. A palavra-chave será, talvez, motivação: sinto-me sempre motivada quando escuto esta canção. A atmosfera da música é envolvente.

9 | BATHROOM DANCE
Hildur Guðnadóttir
Admito que embora tenha gostado bastante de Joker e que a prestação do protagonista tenha sido ímpar, o que mais me fascinou neste filme foi a banda sonora. O som triste, pesado e aveludado das cordas arrepiou-me e marcou-me. Acredito que este é o poder da boa música: deixar uma marca invisível na nossa pele, despertar uma emoção, arrebatar-nos. E esta música fez tudo isso, sendo que me esforcei muito, durante vários momentos do filme, para não fechar os olhos e simplesmente escutar as canções na maravilhosa acústica do cinema. Eu imagino que se a tristeza tivesse uma música, seria esta. Não é uma afirmação feliz, mas a música é isto: transformar a realidade (incluindo o seu lado cruel e injusto) em arte.

8 | LOSE YOU TO LOVE ME
Selena Gomez
Confesso que foi a minha maior surpresa do TOP19, mas estaria a ser desonesta se excluísse esta balada — mais uma. Já todos estamos familiarizados com os verdadeiros poderes vocais da Selena Gomez mas temos de lhe tirar o chapéu pela inteligência a fazer recurso das artes mágicas da produção. Como que por magia, a sua voz fica encantadora e melódica, o que resulta nestas músicas comovedoras. Não consigo identificar qual é o elemento diferenciador de Lose You To Love Me que fez com que me sentisse tão impressionada com a música mas a verdade é que, desde o seu lançamento, a ouvi incessantemente, cantando cada parte da letra com o dramatismo esperado. A sonoridade do refrão apanha-me, sempre.

7 | GO
The Black Keys
A música do meu verão — o pouco que tive. Cada vez que escuto este lançamento dos The Black Keys, penso nos dias de céu azul, nas viagens de carro, a vidro aberto, para Santa Cruz, na despreocupação de uma tarde de esplanada, na frescura dos gelados, na rebeldia das ondas, nos fatos de banho coloridos e na coolness de um rosto com óculos de sol. Transporta-me para dias felizes em que colocávamos esta música bem alto no carro e metíamos as mãos fora da janela. Não tive praticamente verão mas cada segundinho dele é recordado por esta música genial.

6 | LOVER
Taylor Swift
Sim, este podia ser um TOP de baladas e não demonstro qualquer arrependimento. Faço parte do grupo de fãs assumidos da Taylor Swift porque esta miúda sabe o que faz — e faz (muito) bem. Esta balada é um exemplo disso, uma declaração de amor dramática e doce que nos evoca para a inocência e entrega do amor verdadeiro, aquele que sentimos de forma visceral e incondicional. Para dançar a dois, bem agarradinhos e descalços, na sala. Ou para cantar com amigas no karaoke. O bom da música é a sua versatilidade.

5 | EARTHBOUND
Hailaker
Não consigo imaginar nada melhor: estar num concerto e, enquanto aguardamos a tão esperada entrada do artista, descobrimos uma nova sonoridade. Foi o que me aconteceu enquanto aguardava por Novo Amor; descobri Hailaker e não os larguei mais. De tal forma que a descoberta foi em Maio e o Spotify Wrapped mencionou-os múltiplas vezes como uns dos artistas mais ouvidos do meu 2019. Foi amor ao primeiro acorde e marcou muitos, muitos, muuuuitos dos meus dias. Para mim, é Novo Amor no feminino; o registo é muito semelhante. Earthbound foi a primeira música que ouvi — a que passou, precisamente, enquanto aguardávamos por Novo Amor — e foi uma das que mais ouvi. A minha descoberta de 2019, sem dúvida!

4 | HEY, MA
Bon Iver
Talvez tenha de dividir Go com Hey, Ma em relação à música do meu verão. Porque Hey, Ma marcou muitos finais de tarde, a calma do Sol que se põe sem pressa, as caminhadas ao final do dia para espairecer depois de um dia de trabalho. Tornou-se numa das minhas músicas preferidas de Bon Iver e, cada vez que a escuto, sinto a brisa de verão a soprar-me no rosto.

3 | PARTILHAR
Rubel, Anavitória
Chegamos ao TOP3 com a letra mais amorosa de 2019, de longe. A junção de Rubel com Anavitória só podia resultar num trabalho especial, gracioso e romântico. O refrão fica no ouvido e temos vontade de o cantar para a nossa pessoa porque é simples e simboliza, na perfeição, o que é amar alguém: é querer partilhar a vida boa. A clareza e descomplicação das letras de Anavitória e Rubel nunca deixam de me surpreender e este é só mais um doce exemplo.

2 | CHURCH
Coldplay
Os meus estimados Coldplay regressaram em grande, este ano, com um trabalho que me surpreendeu muito pela positiva. Menos colorido, com alguns elementos que evocam aos primeiros tempos dos Coldplay — mas não sendo um regresso — senti-me ligada às músicas deles como já não me sentia há algum tempo. Não me interpretem mal, sempre gostei mas... estas impressionaram-me, surpreenderam-me e cativaram-me de uma forma diferenciadora. Church é a minha música preferida do álbum, embora tenha sido uma escolha difícil. São muitas as faixas que me conquistaram e, se pudesse, o álbum inteiro estaria presente neste pódio, merecidamente. Mas esta música está qualquer coisa de especial.

1 | PRA VOCÊ GUARDEI O AMOR
Anavitória
Terminamos com chave d’ouro: Anavitória. Na reta final deste ano, lançaram um álbum de covers de Nando Reis que me arrebatou. Sabem quando escutam um disco com letras perfeitas e sonoridades incríveis? Eu senti isso com N, em cada faixa. Pra Você Guardei o Amor foi a que mais me tocou, uma vez mais pela clareza, simplicidade e honestidade da letra, de quem quer deitar os sentimentos cá para fora sem grandes subterfúgios. O amor tal como ele é (ou devia ser). É uma letra sincera e linda que só podia ficar ainda mais bonita nas vozes graciosas da Ana e da Vitória. Foi uma entrada arriscada, quando estava quase a fechar o pódio, mas que é tão boa que chegou ao primeiro lugar.

Como sempre, há uma playlist com todas as músicas referidas. E agora gostava de saber: qual foi a vossa música de 2019?


2014 | 2015 | 2016 | 2017 | 2018

1 comentário:

  1. A Hey, Ma não me sabe só a verão, mas a tudo o que é bom na vida, sabe-me às minhas pessoas, aos meus sítios, às minhas pequenas felicidades pessoais e às conquistas dos que gosto. É uma música tão perfeitinha e bonita.

    Bem, vou ouvir esta tua playlist. Até jazzz, meu amor!

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)