quarta-feira, 20 de novembro de 2019

FILMES || Outubro • 2019


Hereditary
Considerado o melhor filme de terror de 2018, Hereditário revelou-se um filme desconfortável e estranho — mas creio que era precisamente esse o objetivo. A história centra-se nos inusitados comportamentos e momentos que acontecem após a morte da matriarca da família e a confusão pode estender-se até muito depois dos créditos. Não é um filme de terror típico de blockbuster; diria que apela mais ao desconforto do que aos jump scares — embora as cenas em plano único escondam pequenas 'surpresas' que nos fazem arrepiar com pavor. Confesso que tive de ir pesquisar alguns pormenores para compreender o filme já que a história em si é rebuscada. Não achei mau mas... não voltaria a assistir.

Joker
A evolução do meu interesse para ver este filme foi caricata. Inicialmente tinha-o descartado automaticamente por fazer parte dos 'filmes de super heróis e vilões'. No entanto, à medida que chegavam novas críticas, imediatamente me apercebi de que Joker tinha muito pouco de narrativa típica de super heróis e focava-se numa questão importante: a saúde mental. Em Joker, observa-se o quanto a falta de apoio social pode agravar uma doença do foro psicológico. O filme já recebeu algumas críticas negativas e concordo que pode ser redutor olhar para uma doença psicológica simplesmente assistindo a Joker — nesta altura do campeonato, o ideal seria não ajudarmos as pessoas a reduzirmos as doenças mentais a alarmes para potenciais assassinos ou destruir a empatia do público em geral para ajudar pessoas com transtornos mentais. Um indivíduo com doença mental não se reduz à hipótese de criminoso. Porém, numa perspetiva global, eu achei o filme muito bom e que levanta questões importantes sobre o quanto precisamos de apoiar e quebrar o tabu da doença mental. É um filme muito melancólico e angustiante — não recomendo que assistam se estão numa fase de vida mais agitada — com uma banda sonora de luxo e uma fotografia extraordinária. Recomendo muito e, embora seja uma afirmação demasiado antecipada, espero que seja este o filme que vai garantir a Joaquin Phoenix o tão merecido Oscar de Melhor Ator.

BlacKkKlansman
No início dos anos 70, Ron Stallworth — um jovem polícia negro — decide infiltrar-se no Ku Klux Klan — uma organização que se apresentava com ideais públicos que procuravam ocultar os seus reais propósitos — para expor toda a organização. Para o plano dar certo — e tendo em conta as óbvias circunstâncias — o polícia precisa da ajuda de uma equipa de detetives brancos que dará vida e força a toda a investigação. A melhor parte desta premissa? É baseada em factos reais! BlacKkSlansman tem uma componente humorística inesperada e que torna um filme muito agradável de assistir, além de todo o fascínio por vermos cada uma das ideias arriscadas a ganhar vida. O filme ganhou o galardão de Melhor Argumento Adaptado nos últimos Oscars e, agora que assisti, comprovo que foi mais do que merecido.

Veio atrasado mas com carinho!

Sem comentários:

Publicar um comentário

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)