domingo, 3 de novembro de 2019


Outubro é sempre o mês onde reservo alguma expectativa. É o mês do meu aniversário e do outono em pleno — a minha estação preferida. No entanto, este ano, não contava que Outubro me reservasse tantos momentos especiais e coisas boas. Foi uma caixinha de surpresas que abri de coração aberto e sorriso no rosto!


As mangas balão são a mais recente tendência e receber esta blusa branca foi a prova de que vale a pena esperar pelo artigo certo para transformar uma peça-tendência em algo mais intemporal. Gosto que o corpo da blusa seja bem simples e que todo o protagonismo vá para as mangas, que me fazem sentir um pouco Fada da Primavera!! Embora seja, claramente, uma peça que combine mais para ocasiões especiais, espero conseguir encaixa-la em looks mais casuais.
Depois de um Bom Garfo inexistente nos últimos Favoritos — a primeira vez, creio eu — regresso em forma com momentos gostosos que não podia deixar de partilhar! Começo com uma receita perfeita para estes dias de outono que já começam a chamar — baixinho, baixinho — pelo Natal: a receita de bolachas da Mel! Experimentei-as numa manhã de stress e enchi a casa com aromas que me fazer recordar esta época do ano! No entanto, quando repetir a receita, vou achatar mais as bolachinhas. São doces, aromáticas e maravilhosas para acompanhar numa tarde de chuva. Se são fãs de canela e baunilha, podem fazer sem medo de serem felizes!

Outubro não registou estreias em lugares novos — confesso que já tenho saudades — mas marcou regressos, nomeadamente, a panqueca de red relvet do Nicolau. Estas panquecas são tão populares que não resisti em ter o meu próprio veredito e... amei! São fofas, saborosas, o recheio é típico do red velvet — confesso que tinha medo que fosse apenas um chantilly sem graça — e os frutos vermelhos por cima elevam a experiência. São duas panquecas bem grandes e não fui capaz de terminar tudo, portanto, peçam com consciência! Acho que será o lanche de Natal perfeito, depois de uma missão bem sucedida à procura dos presentes ideais!


Ainda na temática red velvet, não podia deixar de destacar o meu bolo de aniversário — red velvet, pois claro! Sinto que todo o meu aniversário seguiu uma temática vermelha inesperada, desde as flores, o bolo, a própria decoração do restaurante...! E o bolo era sensacional, fofo, com um recheio guloso! Foi também a quebra de um ciclo de tradições com Bolo de Chocolate Delicioso mas, por incrível que pareça, gostei desta mudança. Acho que representou bem o que desejo para os meus 25: uma nova página, com novidades boas e sem esquecer as coisas especiais que fazem parte das minhas memórias e identidade.

Para finalizar em grande, o arroz de marisco da minha avó. Feito com carinho, talento e amor no meu almoço de aniversário, foi o prato principal que eu não dispenso nesta data especial e o melhor presente que ela me podia ter oferecido. Há miminhos sem preço, este é um deles!

Beautiful Boy | "A razão principal está na premissa do livro; ao contrário da maior parte deste tipo de relatos (...), Beautiful Boy é a história de como Nic se entrega ao vício, narrado pelo próprio pai. É um testemunho verídico de como um miúdo carismático, inteligente, cheio de projetos e sonhos se entrega às drogas numa queda vertiginosa aos olhos do seu progenitor. Eu achei esta perspetiva muito intrigante porque o mundo da droga não arruína apenas o utilizador."

A Paciente Silenciosa | "Se estão com bloqueio literário há muito tempo, se têm a sensação de que já não se sentem presos por um livro ou não sabem como recomeçar hábitos de leitura, vão neste de olhos fechados. A Paciente Silenciosa é um thriller psicológico que nos prende logo no primeiro capítulo e que só conseguimos largar depois de sabermos o que aconteceu. O final é bem inesperado e nada no livro está relatado em vão. Não vão sentir que alguns capítulos apenas servem para empatar, compreendem?".

Confesso que andava um pouco saturada de apenas encontrar postais giros e acessíveis na Tiger. Continuo a achar algumas das ilustrações o máximo mas basta-me por um pézinho lá fora — onde a cultura de enviar postais e cartões ainda sobrevive — para me sentir injustiçada com a variedade e qualidade que existe por , sem chegar aqui. Acabei por mergulhar no mundo do Aliexpress para tentar encontrar cartões giros e saí vitoriosa com dois conjuntos de cartões pequeninos. Por vezes eu só quero mesmo um cartão para complementar o que estou a enviar com uma pequena mensagem ou nota e não preciso do espaço inteiro que o tamanho de um postal comum tem para oferecer. 

O primeiro conjunto que escolhi foram estes cartões com pinturas do Van Gogh. Tenho a sorte de estar rodeada de muitas pessoas apreciadoras de arte e que sei o quanto iriam adorar receber um detalhe tão único! Além disso, como são pequeninos, tornam-se muito versáteis para decorar a agenda ou o bullet journal — para quem faça. A caixa traz 28 pinturas. 


O segundo conjunto é mais democrático e irresistível! Os padrões com animais amorosos e os tons pastel conquistaram-me, já para não falar da qualidade da impressão no cartão. São perfeitos para o que quero fazer e para adicionar um toque mais único nas minhas correspondências. Confesso: alguns vou ter dó de deixar ir, mas se vão fazer quem está do outro lado mais contente, eu abro mãos. 


Dediquei uma publicação mais detalhada por aqui mas sem dúvida que o meu bloco de 365 Dias de Gratidão foi um favorito do meu mês. A começar, porque foi um total gesto de leitura de pensamentos, uma vez que já queria começar algo do género e a Carolina simplesmente adivinhou e transformou essa ideia num presente de aniversário. E foi tão especial ter começado nessa data, especialmente depois de um momento tão feliz...! Tenho escrito deste então e é extraordinário como, de facto, transforma a nossa forma de ver o dia. Não é que eu não reparasse nos momentos bonitos que me faziam sentir grata, mas agora dedico-lhes o tempo de antena necessário e suficiente para transformarem a minha disposição e perceção. Um pormenor que não referi quando escrevi a publicação é que tenho colado nas páginas elementos físicos associados ao dia e que me ajudam a recordá-lo — bilhetes de cinema, etiquetas especiais, notas aleatórias... Enfim, o que for possível de acrescentar sem tornar a escrita disfuncional e que seja liso para fechar o livro sem problemas. Acho que está a tornar este livro aprimorado e mais a minha cara. Estou a gostar muito! 


Uma vez que eu própria andei — e ando — na busca dos postais e cartões perfeitos para oferecer, é com encanto que recebo o gesto de volta através de cartões especialmente pensados para mim e com mensagens que dizem o mundo em duas linhas. “Nós escrevemos sobre coisas eternas”, numa ilustração e citação d’O Principezinho que a Catarina escolheu em Maio (!!!) para me oferecer nesta data especial, junto com uma mensagem personalizada e muito carinhosa. Identifiquei-me muito com a frase — e acho que era esse o objetivo — e espero que assim se mantenha: escrever, sempre, sobre coisas eternas. 


Não é novidade para ninguém que uma das minhas maiores paixões é viajar e descobrir novos lugares, portanto, qualquer presente que siga essa temática é vencedor, como foi o caso deste journal da Moleskine totalmente pensado para viajantes. Não é rosa — e não sei o que andam a fazer se não apanharem esta referência!!! — mas tem tudo o que um viajante precisa (e se quiserem saber mais detalhes, é só ler o artigo que escrevi em exclusivo sobre o journal aqui). É, sem dúvida, o presente perfeito para um viajante e mal posso esperar para planear uma próxima viagem naquelas páginas! 


Nos últimos tempos, guardava dentro de mim um desejo que nunca se tinha materializado até então: ter a caneta. Sempre fui fiel a um tipo de ponta e tinta de caneta mas não tinha uma onde eu simplesmente recarregasse a tinta e não a descartasse. Uma caneta fiel para escrever, para apontar os compromissos na agenda, para escrever notas, para assinar documentos, para ter à mão na mala ou bem presa na bata. A minha caneta. Não queria uma caneta demasiado impessoal ou que não combinasse com a minha personalidade — canetas de tinta permanente com ponta em pena e de corpo preto e pesado não têm nada a ver comigo. Descobri a marca Lamy de uma forma natural que conversou com a minha forma de ser. Foi assim que escolhi — no meu presente para mim própria — a minha caneta: esferográfica, de tinta preta, muito suave e confortável para escrever sem borrar, num tom pastel azul para lá de amoroso, no modelo Safari Blue Macaron.


Fico sempre feliz quando alguém contribui para a minha coleção de DVD da Disney crescer — sim, continuo nessa missão e vou atualizando regularmente aqui! Desta vez, foi graças à minha doce amiga Catarina que me presenteou com os Aristogatos, um filme que andava desesperada para ter! E foi tão maravilhoso rever a história, os diálogos, as canções dos gatos mais charmosos de Paris!

Ainda na saga dos DVDs, juntou-se à minha outra colecção — do universo Harry Potter — o 'Monstros Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald'. O tempo, embora delicioso para uma sessão de cinema caseiro, não está longo, mas conto daqui a uns tempos poder voltar a apreciar este filme e voltar ao mundo mágico que me fascina desde miúda!

Não foi a primeira vez que recebi flores, mas arranjos sim. Chegou no meu aniversário e tem todo o simbolismo e romantismo que se espera num gesto destes, tão especial e terno. Abracei as minhas cinco rosas vermelhas com o sorriso que só quem se sente apaixonado consegue recriar e tenho cuidado delas deste então — embora comecem a apresentar os primeiros sinais de despedida. Não estou pronta!


Por nunca ter recebido arranjos, dei por mim sem jarra para colocar as minhas rosas. O recipiente improvisado não durou muito depois da minha visita ao Torres Market — que veio mesmo no timing perfeito! — onde pude conhecer, finalmente, as peças do Aqui Há Peça. Sobre o conceito da marca, falei aqui mas o que quero mesmo destacar é a jarra escolhida, num tom cru com textura que acho que combinou na perfeição com o ambiente. Adoro a linha minimalista!


Outubro marca o início oficial do Outono e há cheiros que eu associo sempre a esta estação que me é tão querida. Um deles é o da canela, que se prolonga desde a queda das folhas até aos preparativos de Natal. É um aroma que me acompanha sempre no último trimestre do ano e que me reconforta. E quando descobri que existia no formato de mikados, fiquei rendida! É difícil encontrar um aroma de canela que não venha acompanhado de um outro frutado (normalmente, a maçã). Sentir que o ambiente cheira a outono, bolinhos e a desejos de Natal dá-me uma sensação aconchegante e evoca-me para momentos felizes.


Quando a Leonor me ofereceu um retrato meu, em Junho, estava longe de imaginar que ia ter o privilégio de receber outro pelo meu aniversário, desta vez, no lugar mais feliz da Terra. Veio cuidadosamente embrulhado — pelo carinho e atenção da Leonor por mim e pelo planeta — e deixou-me completamente encantada, uma vez mais, com o seu talento e traço. Sinto que nunca irei conseguir retribuir com o mesmo talento que a Leonor tem e merece mas permito-me a ficar muito grata por ter pessoas como ela por perto para fazer da minha vida, esse sim, o lugar mais feliz da Terra.

Este mês, descobri e subscrevi a newsletter Girls' Night In, que se propõe a, todas as sextas-feiras, enviar para a nossa caixa de e-mail uma espécie de revista onde podemos ler e consultar os mais variados temas, mas principalmente focado na auto-estima, rotina de cuidados e feminismo. Cada newsletter tem um tema associado onde todos os segmentos são publicados de acordo com o assunto proposto. Podem encontrar de tudo, desde sugestões de artigos para lerem, produtos, séries para assistir e conteúdos leves e divertidos. A missão é entregar, semanalmente, conteúdo enriquecedor para mulheres à procura de inspiração e acho que cumpre o prometido. Quando subscrevo uma newsletter, é mais ou menos isto que procuro e é maravilhoso chegar ao fim de mais uma semana com um miminho destes na caixinha, portanto, passo a sugestão para vocês. Podem subscrever aqui. É grátis!

Desde que comprei os auscultadores sem fios que mostrei aqui, sabia que precisava de uma capa para prevenir desgraças com a própria caixa de armazenamento dos auscultadores — que os carrega, também. Acabei por optar por esta, que acho muito Inês e que definitivamente lhe dá um ar irreverente. Aviso-vos, no entanto, que se tiverem os auscultadores da mesma marca que eu, as capas dos Airpod não servem — são muito pequenas. Queria mostrar-vos o link da que comprei — no tamanho adequado — mas já não a encontrei. 

Talvez não consigam imaginar o tamanho do sorriso com que escrevo que finalmente tenho o novo CD das Anavitória. É verdade, eu podia ter simplesmente adquirido na altura em que foi lançado mas estava sempre com uma pequena centelha de esperança de que, desta vez, viesse coberto por um embrulho bonito e fui adiando... Até que, efetivamente, apareceu! Eu adoro quando as minhas pessoas são criativas e não precisam de qualquer gift guide para adivinhar o que eu iria adorar e como me surpreender, mas também há o reconforto mágico de recebermos exatamente aquilo que desejávamos, sem tirar nem por. Aquela sensação perfeita de termos alguém do outro lado que cede ao capricho, que dá o miminho que andamos há tanto tempo a namorar, que torna o nosso desejo realidade, como uma Fada Madrinha. É uma sensação deliciosa que eu recordo toda a vez que coloco o CD a tocar nas minhas viagens. Obrigada, Catarina!

E o que andei a ouvir, em Outubro? Uma descoberta musical chamada Woodlock e que é perfeitinha para esta época outonal, o novo lançamento da Maro e dos The Script, as duas novas músicas que os Coldplay me ofereceram como presente de aniversário para despertar a curiosidade sobre o novo trabalho que aí vem. Rendi-me à banda sonora de Joker — visceral, vibrante, melancólica — e a alguns hits com ritmo para animar as corridas e motivar o dia. Curiosamente, a minha música preferida deste mês não está na playlist porque foi tocada ao vivo, mas há aqui muito para escolher e ouvir. Como sempre, alguns destaques para quem não quiser escutar a playlist toda: Lemons, Why, Bathroom Dance, Orphans e Something Has To Change. Pelo Spotify, pois claro!

Outubro revelou-se um dos melhores meses de 2019 sem que nada o fizesse prever. As minhas expectativas estavam bem baixinhas pela agenda cheia de tarefas chatinhas, deadlines a cumprir e pela melancolia que eu sentia em relação ao meu aniversário. E as primeiras semanas de Outubro assim foram: um stress desmesurado, uma angústia e frustração que nunca antes tinha sentido, uma impaciência brutal e um sofrimento global que só terminou quando li uma mensagem e um e-mail que arrancaram 80kg de cima de mim e abriram a minha caixa torácica para eu respirar de novo. E depois de toda esta saga exaustiva, a última coisa que estava nos meus planos era programar um aniversário — de tal forma que, em muitos momentos, me esqueci que fazia anos neste mês.


Mas Outubro guardava-me surpresas especiais que fariam com que tudo valesse a pena. A começar, o meu aniversário surpresa, preparado com carinho e detalhe para que eu não desconfiasse de nada. Entre brindes, gargalhadas e conversas, entrei nos 25 rodeada de amigos queridos, tons de vermelho e a sensação que eu mais precisava: uma página em branco.


Em Outubro, cumpri o meu dever enquanto cidadã e fui votar, recebi o e-mail mais decisivo de 2019 e comecei a minha contagem decrescente. Houve direito a jantares de pizza e lanches com amigos, poucos serões de sofá, mas todos eles muito gostosos e verdadeiramente recarregadores de energias. Foi o mês dos pequenos dates com a mãe e das tardes de chuva a trabalhar e a preparar conteúdos para o blog. O Bobby Pins chegou ao meio milhão de visitas, um pequeno presente de aniversário que me deixou ligeiramente emocionada e me deu a motivação que precisava para conseguir incluir este meu amado projeto na agenda — ainda que cheia.



Fui ao Torres Market, passeei pela cidade, iniciei os lanches quentinhos dentro de cafés especiais e à janela, revi amigos que mereciam encontros mais frequentes, aumentei a minha dívida de cafés por combinar e aprendi a gerir esta culpa de quem não consegue fazer tudo nem estar em todo o lado, o que me trouxe uma paz que já não sentia há muito tempo.


As papeladas foram protagonistas, este mês, mas as minhas pessoas também, que me tiraram do loop para respirar um pouco, rir um bocadinho, curtir um pedacinho do outono. Fui muito mimada — talvez mais do que devia!!! — mas soube bem este carinho desmedido, esta atenção e este 'lembro-me de ti'. Esta pequena retribuição de dedicação.


O meu mês preferido termina com passeios matinais, aniversários surpresa — não sou só eu, mas o meu correu um pouco melhor no factor 'surpresa!', ups! — , miminhos musicais muito queridos e uma missão divertida.

Novembro, vamos lá. Coragem.

3 comentários:

  1. Continua a ser a minha categoria favorita. És implacável. O meu coração fica sempre extremamente apertado com estas publicações tão mimosas e bonitas. Sério! <3

    Folgo em saber que o teu Outubro foi tãoooooo cheio, íntimo e bonito. Desculpa não ter feito mais parte dele. Adoro-te, miúda. Gosto de te ver bem!

    ResponderEliminar
  2. Obrigada eu, por seres a apreciadora de arte que és e por me fazeres sentir tão bem com cada miminho que ofereço. Sempre gostei mais de dar do que de receber e é incrível ver o meu amor por dar inflacionar contigo. Fico feliz por teres tido um outubro à tua medida, mesmo tendo sido duro em alguns aspetos. Eu sabia que conseguias! Que publicação amorosa e que privilegio lê-la!

    ResponderEliminar
  3. Que bolo maravilhoso :) Essas mangas de balão fazem-me lembrar um episódio de "Anne with an E" em que ela anda desesperada a tentar arranjar um vestido com essas mangas. Já agora, se nunca viste a série, acho que vais gostar muito :)

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)