segunda-feira, 30 de setembro de 2019

FILMES || Setembro • 2019


Dei por mim a ser convencida pelo meu primo a assistir a um filme de super-heróis — que, como já sabem, não sou apreciadora. As críticas fantásticas e o Óscar (merecido) para Melhor Filme de Animação acabaram por me deixar curiosa em relação à história de Miles Morales, um adolescente que acaba por receber os super-poderes do Homem Aranha e que descobre que não está sozinho na jornada. Acho que a forma mais fácil de vos mostrar que o filme é bom é a seguinte: eu não suporto filmes de super-heróis e amei. O argumento é bom, a fotografia é maravilhosa e adorei que a edição do filme fosse tratada como se estivéssemos a ler uma banda desenhada. O filme é dinâmico, interessante e divertido, e as personagens são carismáticas, prendendo miúdos e graúdos ao ecrã. É a escolha certa para um serão em família. Podem apostar. 

O filme acompanha Christine — auto-apelidada de ‘Lady Bird’ — no seu último ano de Secundário. Lady Bird é uma adolescente carismática, rebelde e com uma enorme necessidade de aceitação e auto-afirmação. Ao longo do filme, vamos observando a sua crise de identidade, o seu sonho de sair de perto das suas raízes, as suas primeiras relações e as mais mirabolantes histórias que inventa para se tornar mais interessante e desejável aos olhos dos outros. Embora se apresente como um filme sobre uma adolescente em processo de amadurecimento, Lady Bird é, na verdade, um filme sobre a relação disfuncional entre mãe e filha, onde o amor de uma pela outra é exteriorizado de uma forma reacionária, acutilante e nem sempre saudável. Gostei muito do filme (especialmente esta relação mãe-filha) e embora não seja a história mais dinâmica — tem um narrativa um pouco parada — é um ótimo filme se quiserem algo para assistir num domingo à tarde mas que vos agregue alguma coisa. 

Tenho de começar por referir que este filme deixou-me mais desconcertada do que alguma vez esperei. Não há nada mais perturbador do que observar como é que uma figura cheia de potencial e talento arruína por completo a sua vida por conta das pessoas com quem está rodeada. O filme é uma biografia de Tonya Harding, patinadora artística que durante os anos 90 deu cartas na patinagem, sendo a primeira mulher americana a executar um triplo salto e desafiando os costumes e tradições conservadoras da patinagem artística através do seu figurino, das suas escolhas musicais, da sua atitude e do seu talento desmedido. Tinha tudo para ser uma atleta pouco convencional e bem sucedida, mas uma série de polémicas giraram em torno de Tonya e arruinaram a sua carreira, chegando mesmo a ditar-lhe um ponto final. Ao longo do filme, vamos conhecendo personagens que pouco tiveram de secundárias na vida de Tonya e que rapidamente percecionamos que tiveram uma enorme influencia na sua vida, carreira e na própria forma como encarava a patinagem. Eu, Tonya, arranca o nosso coração em pedaços ao observarmos o declínio de alguém que apenas precisava do apoio e amor certo para vingar e ser melhor. A mensagem que fica na nossa cabeça é clara e dura: escolham bem as pessoas que querem manter do vosso lado. Mesmo as que não escolheram que entrassem na vossa vida, podem sempre escolher que saiam. De destacar a prestação brilhante de Margot Robbie.

Já assistiram a estes filmes? O que acharam deles? Qual têm mais curiosidade para assistir? Contem-me tudo!

4 comentários:

  1. Já vi todos, mas o meu favorito dos três é "Lady Bird", se bem que o "Eu, Tonya" não fica nada atrás.

    ResponderEliminar
  2. A primeira mulher americana a conseguir o triplo salto, porque a primeira foi Midori Ito :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela chamada de atenção, já está corrigido <3

      Eliminar
  3. Os dois últimos são daqueles que quero ver mas que nunca me lembro - já o primeiro, confesso, surpreende-me vê-lo aqui ahah! Talvez lhe dê uma hipótese também :p

    Jiji

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)