quinta-feira, 6 de junho de 2019


Maio foi um mês muito preenchido. Tive sensações temporais paradoxais. Por um lado, pareceu passar num piscar de olhos; por outro, parece inacreditável certos acontecimentos terem ocorrido ainda em Maio. Porém, estou muito contente com estes Favoritos — os meus preferidos, até à data! Relembram este mês bonito comigo?


Padrões não são a tendência que mais grita o meu nome mas o que eu acho mais interessante na moda — ou estilo, se preferirem — é sabermos pegar numa tendência e adapta-la à nossa personalidade. Definitivamente esta blusa, da Primark, tem tudo para dar certo comigo, a começar por não ser um padrão tão óbvio de animal e porque os tons são maravilhosos. A cintura marcada e o decote aberto potenciam a silhueta e a introdução de outros elementos mais subtis, como um top básico preto ou um bralette enriquecem o visual. É uma blusa mais fun mas que dá para usar no dia-a-dia e manter uma aparência arranjada e casual. E quando estiver um bocadinho mais morena — ou com o tom de um ser humano vivo — acho que vai ficar ainda melhor!


Ainda conversando sobre padrões, esta saia foi o presente de Natal que trouxe pensamentos controversos; amei o padrão e o estilo, mas não sabia se tinha coragem para a usar. Decidi apostar num visual de Inverno e sair com ela, o que resultou num amor definitivo. O tecido é claramente de verão mas acho que também pode resultar muito bem — como eu fiz — num visual para dias mais frios. Julgo que o truque será, tanto no Inverno quanto no Verão, deixar que a saia ganhe todo o destaque e manter todas as outras peças mais sóbrias. Para Inverno, combinei com uma camisola justa de gola alta preta, uns collants pretos não opacos e os moccassins desta foto, deixando o pop de cor da saia brilhar. Para a Primavera, que pede tons mais leves, aclarei o look e mantive a saia como protagonista. Por vezes dá um certo medo de usar uma peça mais diferentona e que faça as pessoas olhar mas, no fim, importa que gostemos do que estamos a usar. Somos nós que fazemos a peça, sempre!


Claramente este é um Favoritos de padrões mas finalmente fotografei estas sapatilhas que têm tornado os meus dias agitados — e raramente sentados — mais confortáveis. São divertidas mas com o nível certo de discrição para usar no dia-a-dia. Adoro combiná-las com as minhas calças aos folhos! Na fotografia parecem mais bege mas, na verdade, são num rosa clarinho muito amoroso. Também resultam super bem com gangas e visuais básicos que precisem de algo com mais personalidade para se destacar. Numa fase onde o grande volume do meu dia é passado de bata branca, cada vez mais valorizo o que uso nas pernas e pés e que saia dos padrões — usando padrões! As sapatilhas são da Mó!


Uma das vantagens de ser petite é... poder vestir roupa de criança! Não raras vezes vou à Zara Kids experimentar a roupa nos tamanhos maiores — que, por vezes, também esses me ficam largos! — e trago comigo uns achados giríssimos e que assentam muito melhor no meu corpo do que um tamanho de adulto — na Zara e na Mango, os XS ficam-me a nadar...
É caso desta blusa, que acho tão Inês e que fica um charme. Clássica, romântica, verosímil e versátil, resulta bem em visuais full white ou misturada com gangas. É aquela típica peça que parece que colocámos imenso esforço no nosso visual sem, de facto, o termos feito!


Um outro presente que implorava pelos dias mais quentes para experimentar. Morri de amores por estas calças da Mango assim que as vi; o cinto, o tom das calças, o tamanho — bem fluídas! Clássicas mas com um twist que me convenceu completamente! Gosto de as combinar com peças mais descontraídas, como t-shirts claras e sapatilhas brancas, como gosto de as usar em visuais mais charmosos, com camisas e sandálias. Uma vez mais, perfeita para o dia-a-dia, prática, confortável mas impecável para ocasiões mais especiais, não nos deixando ficar mal.

Tenho-me esforçado mais para vos mostrar os looks do dia-a-dia — até adicionei a hashtag #LookInn — mesmo não tendo a foto ideal. Durante imenso tempo não tinha registos das minhas peças porque não tinha alguém por perto para fotografar e quis contrariar isso através de fotos de detalhes do visual ou até mesmo de selfies. Vou usando o que é possível para ter sempre um registo meu para utilizar aqui nos Favoritos, contrariando a recorrência às imagens de catálogo mas... queria saber o que estão a achar! Gostam desta iniciativa ou não? Preferiam que só publicasse fotos de look quando tivesse alguém a fotografar-me ou os detalhes em modo selfie são acarinhados por vocês? Gostava de saber a vossa opinião — ou dicas, se tiverem!



Este foi o produto do meu mês! O meu dilema de um cabelo sem volume ficou fantasticamente bem resolvido com esta espuma mas queria deixar o meu cabelo com mais movimento. Recomendaram-me um texturizador e, sem grandes reviews ou recomendações por onde me agarrar, optei pelo Stylista Beach Waves, da L'oreal.

Feito à base de sal, o texturizador tenta recriar o corpo e movimento com que o cabelo fica num dia de praia ou perto do mar. Borrifo no meu cabelo seco e modelo-o com as mãos, embora o recomendado seja usar um modulador de cabelo para conseguir o penteado — mas ainda não testei. Não quero um cabelo nitidamente encaracolado, apenas um efeito de movimento natural, que consigo com este texturizador. O cabelo ganha imediatamente mais estrutura, movimento e não o seca. Genial!

Uma outra vantagem deste produto que me surpreendeu foi a sua utilidade para penteados. Ter um cabelo fino e liso significa que todas as madeixas fogem quando o apanho e que o penteado morre em mim. Quando o quero apanhar ou fazer um coque com mais volume, adere muito melhor ao elástico e dá volume suficiente para não 'colar' o cabelo à cabeça quando o apanhamos. Tem sido o meu parceiro, a par da espuma, para fazer do meu cabelo um eterno 'good hair day'!


Há uns tempos, pedi-vos no meu Instagram — @innmartinsm — dicas de protetores solares para o rosto que não deixassem a pele oleosa. E recebi tantas entradas de pessoas com recomendações de produtos quanto de pessoas que também precisavam de sugestões. E parti em busca dos produtos que me recomendaram.
Acabei por trazer para casa este da Babaria. Tem SPF 50+, está indicado para pele sensível e promete ser anti-envelhecimento e anti-poluição. Mas, acima de tudo, não deixa a minha pele oleosa. O produto é totalmente absorvido sem que questionemos a sua eficácia — sentimos que estamos protegidos — e a pele fica suave ao toque e sem resquícios de oleosidade. Não me maquilho mas arrisco-me a dizer que é perfeito para colocarem antes de fazer a maquilhagem. No entanto, devo advertir que demora uns minutos a absorver, portanto, não se alarmem se, no momento de colocação, ficarem com o rosto mais brilhante. Tem perfume, também — eu gosto, cheira a típico protetor solar. De entre a lista de produtos recomendados que depois partilhei convosco nos stories, este é o meu aliado pela relação qualidade-preço imbatível. Está disponível nos hipermercados, custou-me certa de 8 euros e cumpre o seu propósito na perfeição.
Maio foi o mês de regressar a alguns lugares e experimentar novos pratos. Foi um mês de sabores familiares, também. Muitas desculpas para reunir à mesa, muitos pretextos para reservar uma mesa... Eu amo quando o mês se desenrola assim!

Falei-vos, no ano passado, do quanto gostei do Italian Burger House e volto com uma nova recomendação: os hambúrgueres. Desta vez, pedi um Siena e foi de comer e chorar por mais. O grande truque deste espaço e que vos passo agora a sugestão, também, é o acompanhamento: peçam com o risotto a acompanhar e a vossa experiência a comer um hambúrguer será totalmente elevada!

Também já vos recomendei, há uns anos, o Taberna 22, na minha cidade. Entre petiscos e pratos principais, desta vez provei o risotto de camarão e fiquei completamente rendida. O sabor recordou-me um pouco o arroz de marisco mas a textura cremosa do arroz não deixa espaço para enganos.

E, para terminar, os melhores biscoitos do mundo: Tim Tam's. São australianos e nunca os vi em outro lugar que não na bagagem dos meus primos aussies, portanto, quando finalmente os tenho na mão, mato saudades e como cada biscoito com um peso no coração por saber que, depois de acabarem, só volto a ter no ano seguinte. Tenho descoberto que ganham popularidade noutros cantinhos do mundo mas o que gostava mesmo de saber é se existirá algum lugar, em Portugal, que os venda. Se souberem, digam-me e depois corram lá para comprar uma caixa. São dos melhores candy de sempre!

A aquisição improvável deste mês foi um Kindle e, contra todas as minhas expectativas, tem sido uma nova descoberta de leitura extraordinária. Fiz questão de dedicar uma publicação inteira à minha experiência com o Kindle e ainda respondi às vossas questões e dúvidas, portanto, se estão a ponderar adquirir um, espero que a minha review vos ajude!


Desde que tenho o Kindle, a minha rotina de leitura tem sido mais prática — e um pouco menos pesada! No entanto, assim que o e-reader chegou a casa, sabia que queria arranjar uma forma de o proteger das agressões do dia-a-dia; chaves a bater no ecrã no interior da mala, areia e água nos dias de praia... A solução era encomendar uma capa e foi o que fiz. Comprei no E-bay — foi a minha primeira aquisição neste site! — e nem chegou aos 3 euros de custo. Há centenas de cores mas achei que este tom combinava mais comigo. Gosto da textura da capa — parece de tecido mas não é! — e tem um sistema que coloca imediatamente o Kindle em on/off quando a abrimos e fechamos, respetivamente. Adoro!

Boa, IKEA! | "(...) um livro absolutamente interessante no que toca a entender o golden circle de uma marca; Qual o seu propósito? Qual a sua mensagem? Qual a sua estratégia? São princípios que a autora analisa ao detalhe e que, ainda hoje, identificamos quando entramos numa loja, assistimos a um anúncio televisivo ou até numa campanha nas redes sociais." — review completa aqui.

A semana final de Maio ficou marcada pela minha presença diária por Lisboa para receber formação. E depois de dias trabalhosos e exaustivos, permiti-me visitar a Feira do Livro de Lisboa. Desde que tenho o Kindle, sou muito mais ponderada em relação aos livros físicos que compro mas assim que vi O Diário Gráfico de Anne Frank — que já li, emprestado, e têm review aqui — em promoção, sabia que o queria trazer comigo. Não só porque era uma edição que gostava de ter na minha biblioteca como também acabou por registar um momento muito importante, que foi esta semana. Sou apologista de fazermos compras com algum significado agregado e este livro trouxe dois.

Souvenirs são sempre um presente especial, para mim. É uma forma muito bonita de mostrar que pensámos em alguém, não importa o cantinho do mundo onde estejamos. Tento sempre que os meus souvenirs tragam um pouco da identidade do destino ou da pessoa. O melhor mesmo é quando traz os dois. E o Rui é especialista nessa matéria — embora nem ele saiba muito bem como.
Da sua viagem para Amesterdão, trouxe consigo a galeria de Van Gogh em miniatura. Escusado será dizer que chorei de amor e que acho que não podia ser mais a minha cara. Tenho colocado ao lado da minha ilustração das portas de Dublin e não podiam ter casado melhor!


Nunca tive a vontade ingénua de mudar o mundo mas sempre tive vontade de fazer a diferença. Não precisava de ser algo grandioso, pequenos gestos e atenções chegariam. E, claro, sempre tentei levar este objetivo em todos os meus projetos de vida.
Querer é fácil mas é difícil saber quando o conseguimos. Muitas vezes não saio do meu trabalho a pensar que fiz algo de errado mas a questionar-me se fiz o suficiente. Se poderia ter sido mais ou melhor. E é sempre uma surpresa quando vejo pequenos gestos de volta.
É um porta-chaves. Cómico, de uma sardinha. Muito pouco diz a quem o observa mas diz-me muito sobre mim e sobre o meu trabalho. Sobre dar o meu melhor, sobre ser atenciosa, sobre ser rigorosa. Fiquei muito emocionada com este pequeno presente porque não o esperava nem torcia por o receber. Foi tão genuíno quanto a minha conduta e isso deixa-me muito orgulhosa de mim mesma. Estou a ser o melhor que posso e sei.

O mês de maio não ficou marcado por muitos vídeos no Youtube mas, os que assisti, foram inesquecíveis. A começar pela divulgação — ao fim de anos de promessa no seu podcast!!! — do espetáculo Impasse de Pedro Teixeira da Mota. Assistimos num serão despreocupado e foi tão divertido que precisava de partilhar convosco. Se quiserem algo descontraído e engraçado para assistir, recomendo muito!


Uma outra série de vídeos que não tenho perdido é O Resto da Tua Vida. Nesta série documentário, o humorista Carlos Coutinho Vilhena descobre que o ator que interpretava uma célebre antiga personagem dos Morangos com Açúcar — Kiko — vive agora longe dos holofotes, entre entregas de pizza e tentando levar para a frente a sua companhia de teatro, BRUTA. Ele decide que vai salvar a carreira do ator João André no espaço de um ano, ultrapassando as diferenças que conseguimos facilmente identificar entre os dois. O documentário decorre num limbo entre a realidade e o que é ensaiado, algo que eu adoro. Nunca pensei ficar tão rendida, uma vez que não era grande apreciadora de Morangos com Açúcar, mas os episódios são dinâmicos, vibrantes, divertidos e muito intrigantes. Observar a diferença de gerações, personalidade e a luta por reconquistar o sucesso é verdadeiramente interessante. Recomendo muito que assistam porque a qualidade é extraordinária e é dos melhores projetos nacionais que por aí andam!

Nem acredito que estou prestes a fazer esta afirmação mas... a playlist de Maio está bastante consistente e foi marcada por ritmos mais lentos e memoráveis. Talvez para contrariar um pouco os dias agitados, carregados de informação e estímulos, procurei refugiar-me nos tons mais lentos, nas vozes mais cândidas e nos ritmos mais espaçados.

Maio marcou o concerto de Novo Amor e, por isso, há que fazer um pequeno destaque nesta playlist, com Seneca. Mas quando estava a ouvir a playlist de Novo Amor, foram-me sugeridas duas canções dele, em parceria com Gia Margaret, que eu desconhecia e me vi rendida — como me vejo sempre com este artista.

Durante o concerto, também tive uma descoberta fantástica. O artista recomendou-nos ouvir Hailaker, no qual foi responsável pela produção e, já no sossego da minha casa, explorei a cantora e fiquei imediatamente rendida pelo voz melodiosa. Se procuram a versão feminina de Novo Amor, é esta.

Para destoar toda a onda de canções mais lentas, fiz uma descoberta muito power. 2WEI é uma dupla formada por um ex-integrante na equipa musical de Hans Zimmer e um responsável musical de anúncios. Juntos, criam músicas absolutamente dinâmicas e apoteóticas que resultam muito bem em trailers ou anúncios. Conseguem imaginar a genialidade? Tenho ficado rendida com todas as produções e sinto que finalmente tenho a banda sonora de ação que a minha vida merece!

Como sempre, deixo-vos algumas sugestões que não podem deixar de ouvir se não quiserem escutar a playlist inteira: Earthbound - Hailaker, Lucky For You - Novo Amor ft Gia Margaret, Survivor -  2WEI, Uma Frase Não Faz a Canção - Isaura ft Luísa Sobral e The River - AURORA.

Maio foi um mês longo que, em simultâneo, passou a voar e é esta a sensação que fica. Um mês de Sol e calor — que é sempre maravilhoso para recarregar energias, mas onde senti a primeira desmotivação severa do ano. 


Começou com alguma ansiedade mas com um feriado para compensar. Não houve semana que não tivesse um dia especial para celebrar. Ora registou os dois aninhos da Belka — dá para acreditar que este urso gigante é um bebé? —, ora marcou o dia da mãe, celebrado com a mãe, a avó e o bolo de chocolate que elas merecem, ora marcou o aniversário do pai, entre brindes e pratos especiais. 


Maio costumava ser um mês académico que cada vez mais só habita na minha memória e saudade. Marcou a Bênção de Finalistas de duas pessoas que trouxe da Faculdade para a minha vida e, por isso, trouxe-me de volta a um universo de capas negras e Fitas coloridas. 



Os dois bilhetes que tinha há muito guardados saíram, finalmente, da caixa. Fui assistir a Novo Amor com o Melvin e deixei uma lágrima cair quando ele cantou a Seneca — e todas as minhas outras músicas preferidas — num ambiente intimista e especial (cada vez adoro mais concertos pequenos, sem multidões). Fui também assistir a Modo Voo, de Guilherme Geirinhas, e soltar umas gargalhadas.



Entre dias de trabalho compridos, palestras e seminários, encurtámos a relação à distância entre momentos a dois que sempre valorizam os meus dias. Mas também houveram momentos só meus, com passeios pela cidade ao sábado de manhã, na minha própria companhia, que souberam extraordinariamente bem.



Foi um mês de novas aprendizagens, de projeção para o que está por vir — e que tem de ser bem preparado —, de conhecer pessoas novas e de chegar a casa com a sensação de agenda cheia, mas checkada. Mas há sempre tempo e, quando não há, invento-o. Para almoçar com os amigos de sempre, para passear de mão dada, para ser atacada por um exército de cachorrinhos, para ir à Festa do Cinema, para cumprir os momentos (incríveis) de mãe e filha, para apaparicar os avós, para trabalhar nos meus projetos pessoais e para apanhar um pouco de Sol e bronzear. Alguns dos dias foram marcados por manhãs que custaram a levantar, olheiras que não refletem só sono e um peso no peito que já não sentia desde 2018. E cedi um pouco, o que nunca ajuda. Mas os dias preenchidos e o pensamento objetivo e positivo ajudaram-me a olhar para Maio tal como ele foi: corrido, luminoso e caloroso.
Obrigada à minha família, pelo miminho que se revela sempre na forma de um beijo, de um abraço, de carinhos no cabelo ou numa travessa. Obrigada ao João por sempre me aligeirar o espírito. Obrigada à Belka, por existir na minha vida. Quis o universo que ela nascesse neste mês para me mostrar que podemos sempre amar mais um bocadinho. Obrigada aos meus pais, porque Maio é o dia deles e, sem eles, não era o que sou hoje. Obrigada ao Diogo, por me fazer sentir em casa em qualquer lugar. Obrigada Novo Amor, pelo concerto especial. Obrigada Guilherme Geirinhas, por falares sobre a ansiedade de uma forma refrescante. Obrigada Rui e Joana, pela vossa amizade.

8 comentários:

  1. Inês, não garanto que exista mas já tentaste encontrar os Tim Tam's na Glood? São umas lojas em Lisboa que têm produtos (comidinhas!) estrangeiros, sobretudo dos eua mas vale a pena espreitar ;) especialmente porque há lá tantas coisas boas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já tinha pesquisado no site, não tem :/ mas obrigada pela sugestão! :)

      Eliminar
  2. Ao pesquisar as bolachinhas Tim Tam (gulodices abrem sempre o apetite eheh), apareceu-me uma página, a Flavers (https://www.flavers.pt/categoria-produto/bolachas-tostas-biscoitos-pao/?filter_marca=arnotts). Parece que estão esgotadas, mas talvez com alguma paciência e persistência consigas! Boa sorte :)

    ResponderEliminar
  3. "ou com o tom de um ser humano vivo", tu és demasiado engraçada, amiga, mas a blusa já te fica a arrasar neste tom.
    #LookInn é de génio, porque tu estás sempre in e vai ser incrível seguir essa hashtag!!!!
    Miga, estive à procura e há muitos sites portugueses que vendem os Tim Tam's, não sei se são originais. maaaaas!!!

    Quanto ao porta-chaves que recebeste... quando é que vais perceber que tu inspiras todos os que tocas com palavras, gestos ou sorrisos no dia-a-dia?? És daquelas pessoas genuinamente inspiradoras.

    Gostei imenso de te ler, já tinha saudades. Fico mesmo feliz por saber que o teu Maio foi tão preenchido e bonito!

    ResponderEliminar
  4. https://www.flavers.pt/produto/tim-tam-classic-dark-chocolate-200g/

    ResponderEliminar
  5. Que mês bonito!
    As calças da Mango são mesmo lindas, adoro esse género de calça e gosto da ideia de fotografares em modo selfie :)
    Espero que junho seja tão bom como foi maio, um beijinho

    ResponderEliminar
  6. As tuas fotografias sempre foram incríveis, mas noto-as cada vez melhores e mais espetaculares!

    ResponderEliminar
  7. Este é capaz de ser, também, um dos meus Favoritos preferidos até à data. Muito preenchido, com fotografias bonitas, sugestões boas e momentos muito bons <3.
    Estou muito feliz por te teres juntado à team Kindle :). A tua capa é mesmo gira!
    O porta-chaves foi muito merecido e um gesto muito carinhoso por parte de quem to ofereceu. Compreendo essa tua sensação, eu por vezes também me pergunto se ando a fazer a fazer o suficiente... Mas acredita, tu és mais do que suficiente, és uma das pessoas mais genuínas que conheço, e a rubrica Favoritos é uma amostra do quão bem aproveitas os teus meses.
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)