domingo, 19 de maio de 2019

PASSAPORTE || Dicas e Factos Sobre a Irlanda pt II


1. Um impermeável é um essencial de viagem. A Irlanda é uma espécie de Sintra em grande escala, com variações de clima frequentes e imprevisíveis. Além de ser um país húmido, é conhecido pelos seus aguaceiros. Num dia, podem ter sol, chuva e neve — aconteceu connosco. Escolham, também, o calçado em conformidade com este tipo de clima!


2. Fazer refeições fora em Dublin não é, de todo, barato, mas um detalhe com que podem contar é com água grátis. Quer peçam ou não, é-vos sempre servido um jarro de água que podem usufruir durante toda a refeição a custo zero. Geralmente é água da torneira mas devo confessar-vos que tem um gosto melhor que a engarrafada e muitas vezes vem aromatizada com limão ou hortelã. Não deixa de ser uma forma de pouparem na vossa refeição!


3. Dublin é considerada uma das cidades mais seguras do mundo e isso verifica-se. A criminalidade é baixa e a sensação de segurança foi frequente em toda a viagem. No entanto, há zonas desaconselhadas a visitar e uma delas é a zona Norte de Dublin, uma zona onde os raros casos de violência e criminalidade que ocorrem na capital têm lugar. Nunca chegámos a estar nessa zona mas, no caminho para o Great Famine Memorial, tivemos um pequeniníssimo vislumbre da zona Norte e o contraste é bem visível. Tenham este detalhe em atenção na hora de procurar alojamento.


4. A primeira Primark do mundo é irlandesa e não se chama Primark! O seu nome original é Penneys e é assim que as vão encontrar em Dublin. A primeira loja foi inaugurada em Mary Street, em 1969 com grande aparato e ainda hoje pode ser visitada. O seu nome apenas permanece em Dublin, uma vez que 'Penneys' é um nome registado, pelo que, ao ser franchisada no resto da Europa, teve de ser batizada com um novo nome (Primark, como já todos conhecemos). O nome 'Penneys' é em referência aos seus produtos tão baratos, que só custariam 'a penney'. Tem três andares, serviços de cafetaria e esteticista no interior da loja e, ao contrário de Portugal — e como na maioria dos países da Europa — não sofre qualquer tipo de preconceito e é absolutamente organizada, arrumada e apelativa ao olhar (mesmo em dias de maior afluência!).


5. A Irlanda é conhecida pelo seu carácter fortemente religioso e conservador. O divórcio só foi instituído nos anos 80 e, nos anos 70, na República da Irlanda, os contracetivos eram ilegais. Um grupo de feministas decidiu iniciar uma revolução, dirigindo-se de comboio para Belfast a fim de comprar preservativos e pílulas — na Irlanda do Norte era legal — e conseguiram comprar os primeiros, no entanto, não conseguiram comprar pílulas porque o fármaco só podia ser adquirido através de receita médica passada pelo médico local. Com o objetivo de quererem causar impacto na sua revolução, as mulheres compraram aspirina e saíram pela estação de Connolly agitando as caixas de aspirina, para criar efeito sonoro, engolindo-as à frente das forças de segurança (que não deram pela diferença) e distribuindo-as por todas as mulheres dublinenses alegando que eram contracetivos orais (uma péssima ideia, admitamos). A revolução criou grande aparato e gerou um marco na liberdade da mulher no país. A revolução foi chamada de Contraceptive Revolution e o comboio que transportou as feministas foi chamado, durante muitos anos, The Contraceptive Train. Foi noticiada por todo o mundo e é considerado o marco de separação entre a Igreja e o Estado.

6. Uma outra forma de pouparem nas vossas refeições — especialmente ao jantar — é aproveitarem os Early Bird Menus. Estes menus de jantar foram criados com o propósito de responder aos pedidos de clientes que queriam realizar esta refeição antes de atenderem a um espetáculo ou concerto. Por essa razão, costumam ser mais baratos e também são servidos mais cedo. É uma excelente opção se quiserem experimentar um restaurante mais exclusivo por um preço mais baixo. O único senão é mesmo o horário do menu. Geralmente, o menu está disponível entre as 17H00 e as 18H00 mas já existem alguns restaurantes que alargaram o horário até às 19H00. A diferença de preços é notória, vale a pena pesquisarem, se tiverem um restaurante em mente!


7. Tragam um adaptador. As tomadas na Irlanda são, tipicamente, as mesmas de Inglaterra, no entanto, são raros os lugares que possuem um adaptador para as nossas tomadas. Num momento de emergência — ou se estão a dividir um airbnb em grupo — pode ser crucial.

8. Façam-se acompanhar do vosso cartão de estudante. Os museus e a maioria das atrações principais de Dublin são gratuitas, no entanto, as que não são, conseguem ter bilhetes bastante caros. O preço de estudante dá uma ajuda preciosa!


9. Dublin é uma cidade que procura ter uma grande sensibilidade ambiental, com uma grande redução de plástico, métodos para economizar na luz e água, entre outros fatores. Em todo o meu tempo por lá, nunca me entregaram um saco de plástico — e se preferirem este tipo de sacos, têm de os pagar. Por outro lado, não senti que a cidade fosse particularmente limpa nas ruas, o que acaba por ser um pouco paradoxal. Encontrei muitas beatas de cigarros, bilhetes e talões no chão, inúmeras garrafas e copos de plástico vazias durante o fim de semana. Tudo é devidamente limpo posteriormente, mas talvez falte um pouco de consciência entre os cidadãos — e não é por falta de aviso. Quase todos os caixotes do lixo tinham mensagens fortes e diretas para quem não depositasse o lixo nos devidos lugares.


10. Um dos monumentos mais conhecidos de Dublin é The Spire, a agulha gigante que brilha na ponta e orienta a cidade. Tem 120m de altura, situa-se em O'Connell St e foi pensada aquando da restauração desta via. Os locais e visitantes usam-na como guia de orientação, uma vez que a luz brilhante se destaca no céu.

11. Todos os símbolos nacionais e oficiais fazem-se acompanhar de uma harpa — até a cerveja Guinness, já reparam? A época em que este instrumento se tornou uma insígnia nacional é um bocado nebulosa, mas uma das lendas é que o Rei Brian Boru se fazia acompanhar por ela em inúmeras batalhas. Não é uma lenda propriamente fidedigna nem coesa mas a harpa que deu origem ao símbolo nacional é bem real e pode ser encontrada em Trinity College.


E assim terminamos a nossa viagem juntos pela Irlanda. Como sempre, deixo-vos à vontade para colocarem questões sobre Dublin que não tenha respondido ao longo das publicações e que tenham curiosidade em saber! Gostaram de viajar comigo?

3 comentários:

  1. Dublin está na minha lista há anos! acho que vou gostar muito quando for!

    ResponderEliminar
  2. Muito giro, não fazia ideia dessa história dos contracetivos :)

    ResponderEliminar
  3. Todos os teus posts sobre viagens deixam-me incrivelmente curiosa com os locais.
    Gostei muito da publicação, pois fiquei a saber mais um pouco. Não conhecia essa história dos métodos contracetivos e dessa luta das mulheres :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)