sábado, 11 de maio de 2019

PASSAPORTE || Cérebro — Mais Vasto que o Céu


Utilizando o poema de Emily Dickinson para dar nome à exposição, Cérebro — Mais Vasto que o Céu procura aproximar o público do órgão mais fascinante e importante que possuímos.
A sua história, a sua descoberta ao longo do tempo e a sua complexidade estão bem retratadas em várias salas de ambiente escuro mas organizado. É incrível como a exposição permite-nos confirmar que o cérebro é muito mais do que uma curiosidade científica, e que engloba tantas outras áreas, cada uma com uma interpretação própria, que nos aproxima.

Passeando pelas alas, podem encontrar um cérebro atual e outro com 500 milhões de anos, dois neurónios gigantes no tecto — que me fascinaram completamente — e um equilíbrio entre pontos informativos e outros mais interativos.

As nossas características mais preciosas, como a sensibilidade, perceção, linguagem, memória, são apresentadas logo no início da exposição, incluindo a abordagem a patologias cognitivas. Há também espaço para compreendermos a importância deste órgão em outras espécies e até comparar as suas capacidades cognitivas com as nossas. Ao longo da visita, procuram responder um pouco às questões tecnológicas e à relação do pensamento humano com o artificial.

Não faltam atividades, desde jogos de reação ou memória, competições entre visitantes para saberem quem tem maior poder de concentração — quem consegue fazer a bola chegar ao outro lado só com a força da mente?? — orquestras cerebrais, onde, através de um pequeno dispositivo, fazem a leitura de cinco ondas cerebrais às quais é atribuído um som para cada (no fundo, é a música do vosso cérebro!) e até desafios para diferenciarem inteligência artificial da humana (eu diferenciei, a minha companhia não!). A iniciativa conta ainda com mais duas programações complementares: 'O Cérebro no Cinema' onde exibem filmes, de alguma forma, relacionados com a temática e 'Diálogos do Cérebro', com ilustres convidados em conversa aberta sobre o cérebro (cada palestra com uma temática específica). Ambos os programas são gratuitos e sujeitos a lotação dos lugares.

Coesa e muito interessante, Cérebro — Mais Vasto que o Céu é a exposição perfeita para quem sempre se fascinou com o universo neuro. Estará na Fundação Calouste Gulbenkian até 10 de Junho de 2019, com horário alargado aos fins de semana. A exposição tem o custo de 5€, com 50% de desconto se tiverem idade inferior a 29 anos e gratuita se apresentarem o vosso cartão de estudante (mas apenas às sextas, a partir das 18H00). Visitem, vale muito a pena.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)