domingo, 17 de março de 2019

PASSAPORTE || Phoenix Park


Phoenix Park era a nossa paragem mais 'fora de mão', e por ser um espaço exterior, combinámos que a visitaríamos assim que tivéssemos certezas de que não íamos sofrer pelas intempéries Irlandesas, o que acabou por acontecer logo no primeiro dia. Embora refira que está 'fora de mão', a expressão é injusta, uma vez que tudo em Dublin é perto e que chegámos aos enormes portões do parque após uma pequena caminhada.


Com cerca de 707 hectares, Phoenix Park é consagrado o maior parque da Europa e encaixa perfeitamente na gaveta do Louvre e doutras atrações que não conseguimos ver, na totalidade, num dia. Não faltam espaços verdes em Dublin, mas é para este parque que a cidade se dirige quando procura dar um passeio tranquilo, fazer um picnic com as crianças, andar de bicicleta, correr ou ir para os seus treinos e torneios de jogos coletivos.


Em Phoenix Park, há um pouco de tudo; vários campos de rugby e futebol, uma casa de chá — sobre a qual lhe dedico um pouco mais de tempo num outro artigo, combinado? —, um jardim zoológico (que foi inaugurado em 1830 e que, no dia da inauguração, só contava com um animal — um javali!), a casa do embaixador americano, a residência do presidente irlandês e uma cruz para marcar o lugar onde o Papa celebrou uma missa, além dos já tradicionais elementos típicos de um parque, entre relvados de perder de vista, bancos e autênticos bosques por onde se podem perder sem se cruzarem uma única vez com alguém.


Mas a grande atração de Phoenix Park é para lá de amorosa e está relacionada com a própria história do parque; Phoenix Park foi inaugurado em 1662 e destinava-se a ser uma reserva de cervos. Apenas em 1745 é que se tornou num parque público, porém, estes pequenos e dóceis animais permaneceram em grande número neste lugar e, se os encontrarem, podem alimentar e dar alguns carinhos!



Como são selvagens, não existe propriamente um lugar específico onde os possam encontrar e vão ter de contar um pouco com o factor sorte, no entanto, eles têm uma certa predileção pelo bosque perto de Pope's Cross, portanto, foi por aí que iniciámos as nossas buscas e onde acabámos por os encontrar, pelo que vos recomendo que façam o mesmo. Uma outra opção é irem ao encontro de algum ranger do parque e perguntarem se ele já os viu e se vos pode indicar o caminho.


Os cervos estão à solta e, na verdade, não existem quaisquer tipos de guardas por perto — nem para os proteger a eles nem a nós, no caso de algum incidente — pelo que convém que levem numa mão comida saudável e adequada ao animal e na outra o bom senso. Tenho a sorte de ter um parceiro entendido no mundo animal que me recomendou que levasse fruta ou legumes cortados aos quadradinhos. Regra geral, se forem sossegados, não há nada a temer: eles não são violentos nem desconfiados e só querem mesmo umas 'guloseimas' e umas festinhas. Basta estenderem a mão e fazerem uma vénia e todos ficarão vossos amigos!

Foi um dos pontos altos da nossa viagem — logo na estreia, para um começo em grande! — e uma das experiências mais amorosas que já vivi. Estar rodeada por estes seres imponentes e adoráveis deixou-me radiante, e o meu lado potterhead não podia deixar de pensar na quantidade de Patronus que se aproximavam de mim para lamber a minha mão e deixar-me dar festinhas. A experiência é imperdível e mais do que recomendada — especialmente se forem acompanhados de crianças, vão adorar!

6 comentários:

  1. Tão giro!
    Deve ter sido uma experiência incrível, já para não falar que eles são fofos 🥰

    ResponderEliminar
  2. Mas que maravilhoso!!! Deve ter sido uma experiência em tanto!!!

    ResponderEliminar
  3. Tive o azar de estar a chover imenso quando fui ao Phoenix Park, o que me impediu de tirar fotografias tão bonitas como as tuas, mas não deixei de soltar um "paiiiii, são mesmo como o bambi!!!!"

    ResponderEliminar
  4. Esse sítio deve ser tão giro, que incrível!

    ResponderEliminar
  5. Um javali??? Desculpa, mas só retive isso!!! Um javali........ que zoológico original e diverso que era no início!!!

    Quanto ao parque e a todos os detalhes que paertilhaste: MA-RA-VI-LHO-SO!!! Não acredito que estiveste mesmo rodeada desses animais fofinhos e queridos!!! Vou anotar a dica dos legumes ;)

    ResponderEliminar
  6. Que experiência gira :) Estou a adorar estes posts sobre Dublin, não conhecia muito sobre a cidade.

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)