quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

BOM GARFO || Amélia

 LISBOA

Celebrar a amizade à distância com encontros doces que se querem numa mesa que nos deixe bem pertinho; não me parece existir um encontro melhor do que este! A escolha de um espaço para saborear foi espontânea e pouco planeada, depois de uma visita guiada por Lisboa. Já todas tínhamos visitado o Nicolau e, portanto, decidimos conhecer a sua namorada, Amélia.


Localizado em Campo de Ourique, o Amélia destaca-se numa rua cinzenta e descaracterizante com o seu delicado e amoroso toldo rosa. Mas se tiverem dificuldade em encontrar esse pormenor, não se preocupem; o aglomerado de pessoas ao redor da porta dá uma ajudinha. A par do Nicolau, o Amélia é igualmente popular e concorrido. Em circunstâncias normais, teria evitado este lugar a um sábado à tarde. Mas para deixar uma Joaninha contente e porque a nossa tarde era única e especial — e o sofá de espera estava livre — esperámos o que foi preciso. Na verdade, demorámos mais a deixar o nosso nome na lista de espera do que aguardar pela mesa. Em todo o caso, recomendo-vos uma visita durante a semana.




Uma concrete jungle — é este o conceito do Amélia. Se não o é, foi assim que me senti. Um espaço de linhas industriais com apontamentos rústicos e uma grande influência natural. Aliás, a esplanada — aberta no inverno e com aquecedores exteriores, onde nem vão dar conta de que estão lá fora — assemelha-se a uma estufa e todos os pormenores são pensados com cuidado para que tudo combine. No Amélia, há um espaço para as crianças, livros na estante, cadeiras pitorescas e muitos tons de rosa e verde para apreciar...!




Julgo que a nossa escolha refletiu a nossa personalidade: uma taça de açaí com fruta e granola caseira, uma taça de iogurte grego com fruta, granola e mel, umas panquecas banoffee ('sem banana!') e um chai latte. Já sabem para quem foi a bebida, certo?







E o chai latte é uma delicia, dos melhores que já bebi, em Lisboa. Foi também neste lanche que provei açaí pela primeira vez e revelou-se uma agradável surpresa! Os nossos pedidos foram certeiros, no entanto, identifiquei vários aspetos a melhorar, a começar pela minha panqueca que, embora deliciosa — e correndo o risco de se tornar enjoativa, reconheço —, precisava de cozer um pouco mais. A massa tinha muito sabor e isso denuncia o tempo de preparação. Acredito que a afluência do espaço e o facto de se terem enganado no meu pedido, inicialmente, contribuiu para o desfecho da minha panqueca. Porém, a oferta em Lisboa está cada vez mais ilimitada e recheada de qualidade, o que significa que também me sinto mais exigente em relação aos lugares que visito e, para os preços que praticam — nada simpáticos e totalmente irrealistas para um lanche, advirto —, o mínimo é esperar que a qualidade de atendimento e do que nos apresentam à mesa seja proporcional ao valor da carta. Não encontrei isso.



Terminámos a nossa visita entre abraços e, inevitavelmente, será sempre um espaço especial pelo nosso encontro, mas não é o meu destino prioritário de regresso. Gosto de saber que existem vários lugares pela capital que já experimentei e posso confiar se, num momento espontâneo ou de improviso, precisar de um ótimo café por perto para me deliciar mas não sei se — pela qualidade do atendimento, pela afluência em demasia e pelo desequilíbrio da relação qualidade-preço — estará na minha rota de regressos propositada. Talvez só para beber um chai latte à janela enquanto leio um livro.
______________________________
Rua Ferreira Borges, 101, Campo de Ourique
Lisboa
Contacto: 213 850 863

1 comentário:

  1. Olhar para as fotos e reconhecer cada disparo, cada espera para que conseguisses a foto ideal, reconhecer os risos e os olhares cúmplices, ver a companhia de última hora e delinear a mesa que nos recebeu para conversas e partilhas de comida, deixa uma nostalgia muito alegre no meu coração.
    Depois de experimentar o Nicolau e a Amélia, de ter conhecido o casalinho e ter sentado nos seus jardins, não sei se voltaria com frequência, mas definitivamente gostei das duas experiências. Acho que há muitos outros sítios do género que quero experimentar para regressão tão cedo.

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)