sexta-feira, 28 de setembro de 2018

LIVROS || Como Ler Mais?


Acreditam que esta foi a questão que mais surgiu na caixinha de sugestões que disponibilizei nos instastories?  O tempo — a falta dele, mais especificamente —, o stress e correria do dia-a-dia, o cansaço ou a concentração limitada e a necessidade de desfechos imediatos com que nos temos vindo a deparar ao longo dos anos, podem comprometer a nossa vontade de ler mais. Desde que recebi esta questão, fui anotando algumas dicas que eu acho que podem ajudar a criar hábitos de leitura, ou reforçá-los. Acompanham-me?

Criar ambiente | Dá para ler em qualquer lugar? Claro, mas confesso que nada me dá mais prazer do que criar um ambiente que me dê vontade de ler. O nosso ambiente de leitura perfeito é muito pessoal e podem existir múltiplos ambientes com que se sentem confortáveis a ler. Por exemplo, eu gosto de estar num espaço repleto de luz natural, de acender uma vela aromática e de ouvir jazz instrumental. Mas também acho que um café sossegado é um ambiente perfeito. Transformar o espaço que nos rodeia num ambiente adequado à leitura pode ser o começo ideal para nos prepararmos para a leitura e termos desejo de nos embrulharmos num livro.

Levar o livro para todo o lado | Está dependente do peso do livro, inevitavelmente, mas se for um livro leve ou de bolso ou até mesmo um e-book, vale a pena transportá-lo, e não tem de ser apenas na nossa mala. Porque não no porta-luvas do carro, se utilizamos o veículo com frequência? Ter um livro connosco ajuda-nos a passar os tempos mortos e a criar um laço com a narrativa, em vez de o gastarmos em atividades irrelevantes no telemóvel.

Dedicar uma hora | Não é obrigatório que seja uma hora, podem até ser minutos! Mas estabelecer um horário de leitura — por mais pequeno, inicialmente, que seja —, da mesma forma que temos um horário para treinar ou para realizar outras atividades, pode criar a iniciativa de pegarmos num livro. Sejamos sinceros, muitas vezes ocupamos o nosso tempo livre de forma baldia — e é ótimo numas ocasiões, concordo! —, e nem nos apercebemos que podíamos ter gasto aqueles 15 minutos a vaguear pelo Instagram a ler um livro. Estabeleçam um período de leitura realista à vossa rotina e vão começar a viver o dia com vontade que chegue aquele momento para avançarem um pouco mais na história.

Respeitar cada ritmo | Meta de livros para ler num mês, num ano. Metas de páginas, metas de capítulos por dia. Metas, metas, metas (...) Eu admito: odeio. Odeio metas literárias porque não fazem sentido, para mim. E acho que prejudicam muito mais do que ajudam quando queremos criar hábitos de leitura. Compreendo a componente disciplinar que ajuda a manterem o objetivo ao longo do tempo mas, se não o cumprem, a frustração e desilusão podem comprometer todo o progresso. Aquilo em que acredito é que devemos respeitar o nosso ritmo de leitura. Leiam o número de livros, capítulos e páginas que vos apetecer. Leiam na velocidade com que se sentem bem e pausem a leitura quando assim o preferirem. Afinal de contas, é o vosso ritmo. Se o respeitarem, vão ter muito mais vontade de ler.

Me time | Sabem o que verdadeiramente gosto no ato de ler um livro? É um momento meu. Onde quer que estejamos, no momento em que abrimos um livro, estamos a permitir-nos um momento relaxante, de amor connosco próprios ao dedicar tempo para ganharmos um conhecimento novo, ou descobrir uma história nova, ou entrar num universo completamente diferente do que vivemos. Estamos entregues aos nossos pensamentos, à nossa imaginação e não nos é exigido nada mais do que a nossa concentração. É um momento de mim para mim, que me tranquiliza. É uma atividade perfeitamente desenhada para a desfrutarmos na nossa companhia. E todos devíamos oferecer-nos isto.

Partilhar interesses | É difícil ter hábitos de leitura quando ninguém ao nosso redor partilha da mesma paixão. Por vezes, a motivação para ler está escondida numa conversa onde podemos trocar opiniões, dicas e os mesmos interesses. Não há nada mais gostoso do que conversar com alguém sobre um livro que ambos lemos. E, hoje em dia, a internet pode ser a nossa aliada. Se não têm pessoas ao vosso redor com hábitos de leitura — ou com gostos literários muito opostos aos vossos — procurem contas literárias, nas mais diversas redes (Instagram, Youtube, Blogs, Tumblr...), com que se identifiquem. Encontrem grupos de leitura semelhantes aos vossos. E se conhecem alguém (pessoal ou virtualmente) que leu um livro que gostariam de ler, ou que até já leram e gostariam de partilhar pensamentos, abordem a pessoa e exponham esse interesse. Não tenham vergonha de se ligarem a pessoas com interesses que vão de encontro aos vossos. A introdução da discussão literária pode ajudar muito no incentivo a ler mais.

Ler o que nos faz felizes | O mundo da literatura é absurdamente gigantesco, com uma infinitude de géneros, e nem sempre todos vamos gostar dos mesmos. A questão é: nenhum género é melhor nem obrigatório de ler. Não importa se não têm paciência para clássicos ou livros técnicos; importa ler o que nos faz felizes, sejam eles grandes títulos da literatura ou não. Encontrem o género que vos dá prazer em ler e desfrutem, sem necessidade de insistir em livros que não combinam com vocês e que só leem porque todos leem, ou porque outros afirmam que é 'obrigatório' ou porque está numa lista de livros que 'têm' de ler. Recordem que a leitura é um momento que deve ser de prazer e satisfação. Não se permitam a nada menos que isso. Sem culpas.

Adaptar a leitura à nossa disposição | Vai ser difícil criarem um hábito de leitura se estiverem numa fase da vida ou numa disposição mais fragilizada e estiverem a fazer uma leitura pesada. Reparem, nós variamos tanto as músicas que ouvimos conforme a nossa disposição, mas insistimos em ler livros que não se adequam à nossa fase de vida. É totalmente válido escolher um livro mais adequado ao momento que estamos a viver, seja pelo cansaço, pela excitação e felicidade, pela tristeza, pela ansiedade, pela exigência mental do vosso dia-a-dia. Por exemplo, quando estou em fases em que a ansiedade está muito elevada, sei que ler banda desenhada é a minha melhor leitura, por ser leve, divertida e pouco exigente. E não me permito a fazer uma leitura que sei que será pesada. Reconhecer os nossos estados de espírito e extrapolá-los para a nossa leitura ajuda não só a criar um hábito — porque vamos ter prazer em ler o livro, foi escolhido a dedo por nós — como também a fazer as pazes com esta atividade. Um momento bom e não de obrigação.

Que me dizem das minhas dicas? Gostaram? Se tiverem mais dicas que acreditam que funcionam, partilhem aqui em baixo!

8 comentários:

  1. Eu tenho lido mais desde que mudei de casa. Precisamente porque tenho uma rotina diferente e decidi ler sempre antes de adormecer. Às vezes só consigo ler mesmo um capítulo mas já é mais do que o que lia em alguns dias! É óptimo acabar assim o dia :)

    ResponderEliminar
  2. Adoro ler! Foi um hábito que deixei perdido nos últimos anos, mas que re-adquiri à cerca de 1 ano. Foi um dos objectivos de início de ano! :)

    O meu local preferido para ler é na praia, a ouvir o mar <3 confesso que em casa tenho um pouco de mais dificuldade em encaixar este hábito na minha rotina, por isso vou utilizar algumas das tuas diquinhas. Obrigada :)

    Beijinho, Tatiana*

    ResponderEliminar
  3. Com a escrita da minha tese de mestrado, a leitura ficou para um canto... agora estou a tentar retomar esse hábito que tanta falta me faz. Tento ler todos os dias, principalmente antes de dormir, e acho que até durmo melhor, porque alivia a cabeça do stress do dia.
    Gostava de sugerir mais uma dica, dentro do que falas de "levar o livro para todo o lado". Quando eu ia para a universidade e já ia muito carregada, não me dava jeito nenhum levar um livro atrás... mas como passava cerca de 40 minutos na camioneta, tanto de casa para a universidade como ao contrário, queria aproveitar esse tempo e ler. Por isso, optava mesmo por fotografar algumas páginas do livro que estava a ler naquele momento, e assim tinha sempre forma de ir lendo, caso me desse vontade. Quase não dá trabalho nenhum, e ajuda bastante nisso de levar o livro connosco :)

    ResponderEliminar
  4. Eu ia escrever um post assim Inês, roubaste-me a ideia ahahahah xD. Fora de brincadeiras, são boas dicas, não teria nada a acrescentar.
    A segunda dica é a que me tem ajudado a ler mais. Sobretudo desde que tenho um Kindle, é bastante fácil levar um livro para todo o lado, e acabo por ler um pouco na paragem do autocarro, às vezes no intervalo das aulas ou quando almoço sozinha :).
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  5. Gostei muito deste post, acho que está muito completo. Só acrescentaria pelo lado financeiro, aderir à biblioteca do sítio onde moramos ou da universidade, por exemplo, para ter acesso a mais livros sem gastar dinheiro. Tenho algumas dificuldade em ler em tempo de aulas porque já tenho de ler as sebentas e os livros da faculdade mas leio sempre 10 minutos antes de dormir. São poucas páginas mas é melhor do que nada e costumo levar um livro para a faculdade. Como chego sempre cedo leio uns 10/15 minutos antes das aulas começarem. Acho que ler aquilo que nos faz felizes e que está de acordo com a nossa disposição é fundamental, se for uma obrigação rapidamente vamos desistir da leitura.

    ResponderEliminar
  6. Que dicas maravilhosas, concordo com tudo! Dou uma estrelinha especial para a parte do respeito pelos nossos próprios timings porque para mim é talvez a dica mais preciosa. Se queremos ler mais, deve ser pelas razões certas, para alimentar a nossa imaginação, conhecimento e capacidade de reflexão; para relaxar, distrair, envolver e divertir... cumprir metas parece-me uma instrumentalização muito pouco saudável de um hábito que deve seguir o seu curso natural... e até mesmo nós haveremos de ter ritmos diferentes conforme os momentos: há alturas em que leio desenfreadamente, outras em que fico meses sem pegar num livro, e está tudo bem. O importante é termos prazer na leitura e aproveitar o momento de degustação das palavras! :)

    ResponderEliminar
  7. Tenho lido tão pouco, é algo que gosto de fazer, mas tenho deixado sempre para depois, tenho-me dado à preguiça nesse campo. No entanto, quero muito fazer da leitura um hábito mais recorrente na minha vida e as tuas dicas vieram mesmo a calhar. Obrigada Inês :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  8. Esta publicação veio mesmo a calhar como te disse e houve 3 dicas que fizeram todo o sentido para mim, sem tirar nem pôr.
    Primeiro, li e reli a Me time. Nunca tinha pensado nisto assim, porque é mesmo verdade, mas esquecemos tantas vezes esta parte tão crucial.
    Em seguida, Adaptar a leitura à nossa disposição.... acho que é onde tenho falhado mais, pois, tenho andado numa altura mais low há muito tempo e continuo a insistir em leituras pesadas e que vão em tudo contra a minha vontade de viver. Por isso, acho que vou priorizar aquelas leituras leves que estão on hold há muito tempo.
    Por último, Respeitar cada ritmo é a dica. Damn! Tenho andado a insistir tanto com o «tens que acabar até ao final do mês» que, quando chega a altura, fico extremamente desiludida comigo e isto tem sido um loop constante na minha vida.

    Por isso, obrigada, meu amor. Esta publicação foi talvez uma bóia salva-vidas para as minhas leituras!

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)