segunda-feira, 1 de outubro de 2018



Setembro foi quentinho no coração — e fora dele também, onde esteve o tempo de outono? Embora não tenha sido o mês mais outonal, gosto sempre de Setembro por ser o mês onde se inicia a minha época preferida.
Olhando para trás e fazendo o balanço, Setembro foi um mês longo mas não no sentido depreciativo; eu gostei que fosse um mês comprido porque pude saboreá-lo com calma. Adoro quando esta época se faz passar lenta. É quase como um presente para mim: vá, aproveita, lambuza-te de outono.



Encontrar um desodorizante sem alumínio e derivados foi a minha maior batalha até há bem pouco tempo. A sua relação com o cancro da mama é absolutamente aterradora e via-me refém de um que, na ausência de melhor, servia (não tinha alumínio mas tinha pedra de alume, o que vai dar praticamente ao mesmo). Cheguei a ter uma fórmula caseira em creme, totalmente natural, no entanto, com a chegada do tempo quente, percebi imediatamente que a fórmula em creme não resultava comigo e regressei para os roll-on (que prefiro). E este mês, descobri o verdadeiro jackpot após anos de procura: um desodorizante roll on sem alumínio — nenhum, nem sequer pedra de alume! —, sem álcool, sem SLS, sem parabenos nem OGM, e é vegan! É da GoldenSilk e encontrei à venda no Jumbo.
Uma das particularidades que mais adoro neste produto é o facto de ser de camomila e de não ter aquele perfume horrível típico dos desodorizantes. O cheiro é muito suave, quase impercetível e a fórmula funciona na perfeição, mesmo nos dias de calor abrasador. Resulta muito bem comigo e não podia deixar de recomendar, é um mega favoritão!
Tenho uma Yämmi. Afirmação rápida e sem paninhos quentes para que possam processar a informação com calma. Porque sei que as perguntas standard vão surgir, quero desde já respondê-las: sim, a casa ainda está de pé; sim, eu já trabalhei com ela; sim, eu uso-a muito mais do que para fazer sopas. You go, Inês!

Fora de brincadeiras, a Yämmi entrou na minha vida com luzes e cantos de anjos porque funcionamos. Nunca pensei que um robot de cozinha pudesse ser tão compatível comigo, mas cá estou eu, apaixonada por ele e — não espero menos que isso — ele por mim. É prático, fácil de mexer, suja muito pouca loiça, compreende que os meus braços de T-Rex não aguentam nada, tem as receitas oficiais online e posso estar a fazer outras coisas enquanto a comida surge. Enfim, já compreenderam que estou feliz. Acredito que, se de facto investirem tempo inicial para perceberem as potencialidades do robot, torna-se num aliado muito útil. Como não queria que este robot se juntasse ao clube de Yämmis e Bimbys renegadas das sopas, lá dediquei um certo tempo para nos conhecermos e dali já surgiram sopas, sumos, sobremesas, pratos de massa e bolos. E tudo estava incrível. A que tenho é a Yämmi I e aceito sugestões de receita a qualquer altura — se as têm, partilhem comigo! Se realmente gostariam de ter algo na cozinha que vos facilite na hora de cozinhar — em especial se odeiam cozinhar, e estou a apontar para mim, neste momento — e que vos permita adiantarem outras coisas enquanto a receita é preparada em segurança, não podia recomendar mais.


Tinha eu partilhado há pouquíssimo tempo a minha descoberta de natinhas quando troco olhares com este frasco gigantesco de natas para colocar no chá ou café. Quem estava por perto, testemunhou uma miúda aos pulos na secção de refrigerados.
É prático, é uma só embalagem e, embora tenha uma tampa de plástico atroz, acaba por ser menos plástico em relação aos outros pacotes pequeninos e com muito mais quantidade. Encontrei no Continente!

Quase um ano depois da minha estreia, regressei ao Don Costini — também para celebrar um aniversário — e, desta vez, decidi provar o lado americano da carta e pedir o hambúrguer Don Costini. Foi desta forma que descobri que quer estejam servidos de pizza, quer estejam servidos de hambúrgueres, vão sair muito satisfeitos do restaurante e que o molho de batatas é ma-ra-vi-lho-so!


Setembro fica registado como o mês em que descobri um sabor de gelado divinal: fior di basílico, da gelataria Nannarella. Gostei tanto deste gelado que já só penso no regresso ou numa caixa XL só para mim. Um sabor fresco de verão para encerrar a estação, que me relembra os dias quentes, a zona pitoresca de Lisboa e os Santos Populares (afinal de contas, manjericão).


O Átrio tem vindo a conquistar o meu coração mês após mês sem tréguas, especialmente desde que os pratos começaram a ter uma assinatura já conhecida e acarinhada por todos nós. O talento do Daniel — não desmerecendo os restantes chefs, todos eles incríveis — é indiscutível e finalmente tivemos oportunidade de provar a sua maior especialidade, que já conquistou muitos bons garfos: risotto de lima e camarão. Que dizer? É tão bom que é o meu novo risotto preferido!!
Bem sei que os risottos não são os pratos queridinhos da maior parte das pessoas, em parte porque os mais tradicionais — de cogumelos — têm um sabor forte e podem tornar-se enjoativos. Mas o risotto de cogumelos sempre foi um dos meus pratos preferidos de sempre e vi-me arrebatada quando dei por mim apaixonada por este risotto. O sabor fresco e cítrico da lima liga harmoniosamente com a textura cremosa do arroz, e o camarão é o toque final perfeito para ficar um risotto mais leve e gostoso. Muita gente que não é fã do risotto tradicional rendeu-se a este e eu já salivo pela próxima vez que vou poder saboreá-lo. Com uns hot rolls de salmão para entrada, como sempre!


Fechamos com chave d'ouro, com um miminho dos Açores. Quando lá fui, um dos lugares que mais gostei de visitar foi a Fábrica do Chá Gorreana — não fosse eu uma amante de chá. Recordo-me de a fábrica ter vários pontos onde podíamos pegar nuns copos e servir-nos de chá preto Gorreana quentinho. Escusado será dizer que passei em todos os pontos, radiante da vida.
É assim que sabemos que as nossas pessoas nos conhecem bem. Quando o miminho de viagem é um saquinho amoroso, lindíssimo, cheio de chá Gorreana. Existirá souvenir mais Inês?
Os Meus Problemas | "Os temas abordados em cada crónica são, ainda hoje, muito atuais. Alguns com a devida adaptação para a atualidade, outros com as devidas exceções. Mas não é uma leitura ao passado. Pelo contrário. O passado relembra-nos de que já se discutem estes assuntos há algum tempo." — Consulta a review completa aqui.
Meia-Noite em Paris | "Com uma fotografia amorosa — afinal de contas, é Paris —, um toque de humor muito agradável e as mais notáveis referências ao mundo da literatura e do cinema, Meia-Noite em Paris é a escolha ideal para conhecer uma história bonita e inspiradora que nos revela que, por vezes, é no presente que temos tudo o que precisamos." — Consulta a review completa aqui.

Velas são um objeto mais do que garantido nos meus espaços e dei baixa de umas quantas nos meses passados. Dei por mim com um par de velas que só gosto de acender no início desta época mais outonal — a maior parte são cheiros de Natal, até. Nas épocas mais quentes, gosto de aromas florais, frutados e frescos, como é o caso desta vela de amora, que adquiri na loja Casa. Um cheiro doce, porém suave quando acesa, que envolve qualquer divisão com um perfume gentil e verosímil. Comprei-a mesmo na época de encerramento do verão, mas não faz mal. Já foi — e será — muito utilizada.


Pensem numa Inês muito feliz; foi assim que me senti quando recebi um presente — 'com o tipo de papel de embrulho que tu gostas e tudo!!!' — que revelava talentosas técnicas de embrulho. No seu interior estava um fantástico insuflável de pizza. Num universo onde os flamingos e cisnes dominam as águas das miúdas da berra, existe uma Inês muito feliz com uma fatia de pizza flutuante. O timing do presente não foi o melhor — receber um insuflável no final do verão é sempre doloroso, queria tanto experimentá-lo já, agora, imediatamente... — mas para o ano podem aguardar elegantes fotografias de piscina na minha adorável Extra-Queijo.

Este mês, os meus vídeos prediletos são poucos e, portanto, têm tempo de antena por aqui. A começar por este vídeo delicioso do Eddie Redmayne lendo um dos seus capítulos preferidos de Harry Potter. A poucos dias do meu aniversário, resta-me apenas perguntar: posso receber um Eddie Redmayne só para ele ler os meus livros? Arrisco até dizer que se ele lesse faturas, toda a gente ia tolerar um pouco mais recebê-las.


Adoro vídeos de hacks que funcionam. A avó-mesinhas que vive dentro de mim delira e sinto que tenho um poder secreto em mãos que resolve de imediato inconveniências que, à partida, pareciam não ter solução. Com exceção para o eyeliner — que não me parece ter ficado muito bom — amei todas as dicas e já me vi em situações em que tive de as usar (e funcionaram!).


Gostava que este vídeo fosse publicado em todas as escolas porque concordo com ele com todos os átomos da minha existência. E sendo Setembro um mês tipicamente tão académico, precisava de o partilhar convosco porque é real. Tantas e tantas vezes que romantizamos a rotina de determinadas profissões que não são nada do que parecem ser. Eu recomendo vivamente aquilo que a JoutJout disse e não acho disparatado ou fantasioso. Procurem um profissional da área que vos interessa e peçam para conversar com ele e questionem tudo (quando digo tudo, é tudo, sem vergonha). Peçam para o acompanhar, para conhecerem a rotina. Um dia até, como dia a Youtuber. Porque transforma a vossa perspetiva e coloca-vos em mãos uma rotina, função e responsabilidade que, na maior parte das vezes, vocês nem imaginavam existir. E ter um conhecimento um pouco mais real da profissão que querem pode ajudar não só a fazerem o vosso caminho académico e profissional, como a descobrirem-se melhor. Quando fui para o 9º ano, comecei a pensar na nutrição e fui ter com uma nutricionista clínica. Fiz-lhe todas as perguntas que possam imaginar. Se estão na escola, faculdade, com vontade de mudar de emprego: façam isto. Tenham uma conversa e contacto real com a profissão.

Mais um mês, mais uma salada musical. Setembro trouxe músicas mais outonais, que eu tanto gosto de ouvir nesta época, mas também trouxe alguns lançamentos surpreendentes, mas muito aguardados e outras tantas descobertas animadas que sempre dão gosto em ouvir. Os meus destaques vão para öölaps!, um rap da Estónia que o meu pen pal partilhou comigo — aparentemente, tem sido um enorme sucesso por lá e, embora não compreenda uma única palavra, tem um som muito divertido e animado —, All Star, Utican e Another Friday Night — talvez a minha favorita do mês —, novos lançamentos de LAUREL, Novo Amor e Ben Howard, respetivamente. Podem encontrar todas — e outras tantas mais, giríssimas — na playlist do mês.


O mês de Setembro fica marcado por momentos bonitos e que aquecem o coração. Foi o mês da despedida da praia e das remodelações. De pintar móveis e não correr bem — ainda há salvação, acredito. Setembro esteve recheado de momentos pequeninos, simples, mas muito especiais, que fizeram tudo valer a pena.


Tive miminhos inesperados e as reuniões familiares de sempre, aos domingos. Experimentei novas receitas e deliciei-me a comprar novos livros para a minha biblioteca. A vida de tartaruga não me deu tréguas, mas quem me esperava na estação depois de todas as viagens sim, sempre.



Houve direito a cinema e jantares especiais; uns no aconchego do lar, outros fora, com sabores extraordinários e ainda uns muito simples e improvisados à beira rio e com o Tejo a favorecer-nos sem vento e sem cheiro, para podermos dividir uma pizza enquanto conversámos à luz da cidade. 



Setembro é sempre o mês dos aniversários e o mais especial é sempre o da melga, mas houve espaço para muitas outras celebrações de aniversário! Este mês, muitas velas foram acesas nos respetivos bolos. Revi os amigos de sempre que todos os verões fazem o voo migratório para o Algarve e revi os amigos de sempre, com quem estou sempre, e fico sempre um bocadinho mais feliz em todos os encontros.



O mês finaliza em grande com mais uma edição de Noites no Observatório onde pude estar presente — muita gente confessa-me que, por desatenção, nunca conseguem apanhar as inscrições a tempo, portanto, tenho partilhado o evento sempre que o encontro! Com um imenso orgulho como Madrinha ao ver o meu Afilhado ser Presidente e com tardes tranquilas na companhia do meu pequeno melga a jogar os jogos de tabuleiro mais insólitos. O que importa, no final, faça o que fizer, é a companhia (e incluo a minha própria).



Setembro celebra o Dia Mundial da Gratidão e é engraçado como, quando vi este dia no calendário, pensei neste segmento dos Favoritos. Costuma ser um dos vossos preferidos por ser autêntico, orgânico e... bom, diretamente do coração. Curioso como pratico, todos os meses, a minha gratidão para com aquilo que me faz sentir feliz, viva e bem, seja o que for. Já agradeci a tantas coisas diferentes, sendo que encontro sempre um padrão de obrigados habitual. Por vezes, sinto-me a repetir, mas digo-o uma vez mais, porque nunca me farto quando me mimam e eu espero que quem amo também não.

Porém, este mês fui eu que escutei muitos obrigadas e quase explodi de carinho. Pensei que, se as minhas pessoas sentirem o que eu senti este mês com tantos momentos de gratidão para comigo, então vale a pena repetir, todos os meses, estes obrigadas. Este mês fica assim, com um pequeno momento de amor para comigo, de me permitir a enrolar-me nesta manta quentinha de obrigados que fui amealhando ao longo dos dias e no qual sossego em paz, quentinha. Em Outubro, volto a sair da toca para considerar-vos uma vez mais. E uma vez mais. E uma vez mais.
Porque nunca me falta o que agradecer.

E que comece o meu mês preferido!

3 comentários:

  1. Yeyy favoritos da Inês! Seguir-te no instagram foi das melhores decisões que tomei! As fotografias são tão lindas e os instastories são sempre o máximo, até fico contente quando vejo que publicaste alguma coisa, mesmo antes de ver o que foi!

    ResponderEliminar
  2. Que bom que tiveste um mês tão quentinho e gracioso, Setembro também costuma ser um bom mês para mim :)
    É sempre delicioso ler os teus favoritos, um excelente mês de Outubro para ti, Inês.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Giiiirl, adoro se te afirmes como uma cozinheira inata e mesmo assim continues a batalhar na cozinha, quer seja através da yammi, quer seja através de chás que são a tua praia.
    Fiquei extremamente interessada no desodorizante e vou ver se o encontro no celeiro ainda hoje, alguns ainda me fazem alguma alergia e causam incómodo.
    A minha parte favorita dos teus favoritos é SEMPRE os momentos,porque dizem tanto de ti e de como interpretas as tuas pessoas, é mesmo genuína e querida. Fico completamente quentinha por saber que tens tão bons momentos com as tuas maravilhosas pessoas.
    Que outubro (o teu mês!!!!!) seja cheio de surpresas e momentos deliciosos e bem aconchegantes ����

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)