FILMES || The Incredibles 2


Depois de catorze anos de espera, finalmente saiu a sequela de The Incredibles e se já é de conhecimento público que não tenho qualquer tipo de empatia por super-heróis, também é verdade que há sempre valiosíssimas excepções. Deadpool foi um exemplo mas, antes disso, já a família Pêra tinha conquistado o meu coração — esta foi a melhor dobragem de apelido de sempre, não concordam? —.

Fui ver The Incredibles 2 praticamente aos pulos de felicidade mas com muita gestão de expectativas, em grande parte por ter observado que a opinião não era consensual. Já tinha visto um grande número de duras críticas ao filme, pelo que achei melhor prevenir-me e ver o que a Pixar podia entregar. Mas estamos a falar da Pixar: há como falhar? 

Saí de lá absolutamente maravilhada e a gostar ainda mais da sequela do que do filme original. São raríssimos estes momentos, mas a Pixar não só correspondeu às expectativas como as superou, tornando este filme mais interessante, com mais história e sem se manter à sobra do sucesso do êxito original. Com toda a sensatez, os criadores sabiam perfeitamente quem era o público-alvo deste filme e a história é completamente trabalhada para adultos.

Uma óptima forma de caracterizar este filme seria girl power, encaixando a história no contexto actual que temos vivido. Questões como feminismo, papel da mulher e do homem na família, inversão de tarefas e o contexto da mulher enquanto sustentadora da família são algumas das mais evidentes que vão poder encontrar nesta sequela. Os diálogos são maduros, a matéria de conflito poderá passar um pouco de raspão na camada mais nova, mas o humor inteligente e transversal, os gráficos soberbos, a central moral da história — a conformação e a entrega à tecnologia — e os valores da família e da amizade estão mais do que garantidos. Saí do cinema radiante e com a satisfação de saber que este é um filme que fala muito pouco sobre super-heróis com poderes especiais; fala sobre super-mães, super-pais, super-amigos, super-rotinas e super-desafios. Todos temos dentro de nós uma capacidade extraordinária que torna o mundo (o grande e o nosso, com as nossas pessoas) super, independentemente do género ou do grau parentesco. Ainda assim, temos muitos momentos incríveis, super poderes fantásticos e a introdução do melhor super-herói de sempre: o Zé-Zé, claro!

Para finalizar, deixo apenas duas importante recomendações: uma que só vi indicada minutos antes de o filme começar, no ecrã de cinema — e que achei que seria muito mais pertinente estar indicado no momento de compra ou nos cartazes de cinema disponíveis —: o filme não está indicado para pessoas que sofram de epilepsia ou que tenham fotosensibilidade. E tem, efectivamente, muitos momentos com violentos jogos de luz (faz parte da história) pelo que a precaução é muito recomendada. A segunda é que assistam no cinema para poderem ver a curta giríssima e muito comovente que a Pixar preparou.

8 comentários

  1. Fui ver ao cinema e também adorei, achei muito melhor do que o primeiro filme, apesar deste ser mais para adultos do que para crianças. E a curta é mesmo maravilhosa :)

    ResponderEliminar
  2. Também fui ver o filme ao cinema esta semana, mas confesso que ficou aquém das minhas expectativas.
    Adoro os Incredibles e já devo ter visto o filme umas 5 vezes, é um clássico lá em casa.
    Gostei da abordagem da mudança de papéis entre o Roberto e a Helena, mostrando que ser pai também é um super-trabalho, mas acho que a premissa de eles se tornarem uma família mais unida e se ouvirem uns aos outros foi idêntica ao do primeiro filme.
    Mesmo assim, o filme passou rápido, adorei o destaque que deram ao Ze-zé (o super-herói mais amoroso de sempre), a abordagem ao legal vs correto, o girl-power e as novas personagens.
    E admito, a curta-metragem era muito fofinha e emocionou-me um bocadinho :p

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  3. adorei o post!!
    beijinhos

    |último post|
    https://eyeelement.blogspot.com/2018/07/planos-para-o-verao.html

    ResponderEliminar
  4. Eu adorei o filme e, tal como tu, ainda mais do que o primeiro! E o Zé-Zé proporcionou gargalhadas imensas ao longo da sessão... muito bom!

    ResponderEliminar
  5. Oh ainda não vi! Queria ter ido ver, mas acho que ainda vou a tempo! Como sempre gostei imenso das tuas palavras a descrever o filme e a tua opinião!!

    Blog: http://bolacha-mariaa.blogspot.pt/
    Projeto: http://ajudaoplanetaesalvaomundo.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  6. Eu não vi as críticas antes de ir ver o filme, portanto não tinha a noção que as opiniões tinham sido assim tão pouco consensuais.
    Adorei tanto o filme. Um dos aspetos que adorei foi o facto de eles terem começado exatamente onde o outro filme terminou. E claro que adorei toda a onda de girl power do filme. Principalmente o facto de terem abordado a inversão de papéis na família.
    Também fiquei com essa sensação. Que este filme não se foca tanto nos super-heróis, foca-se mais na família e nas dinâmicas familiares. Se tirássemos tudo o que é relativo ao extraordinário, ainda teríamos uma boa história sobre família.
    Eu não consegui apreciar a curta que a Pixar criou porque tive todo o tempo stressada a pensar que tinha entrado na sala de cinema errada xD. Já me aconteceu isso uma vez e desde aí nunca mais fui a mesma, verifico sempre duas vezes a sala, e ainda assim fico stressada quando cenas dessas acontecem.
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  7. Ando em pulgas para ver! Mas entretanto estreou o Mamma Mia.
    Qual priorizar?

    JU VIBES | @itsjuvibes ❤

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Incredibles, como é óbvio! O título já promete o conteúdo do filme! :)

      Eliminar

Partilha comigo o teu comentário ou opinião sobre este artigo. Sempre que possível, respondo às perguntas diretamente no comentário. Obrigada por estares aqui :)

Desde 2014

Instagram


P.S: HÁ SEMPRE BOAS NOTÍCIAS AO VIRAR DA ESQUINA
_______________________
Bobby Pins. Theme by STS.