sábado, 10 de setembro de 2022

PASSAPORTE | Kaiser Wilhelm Gedächtniskirche


São raros os vestígios evidentes da passagem da Segunda Guerra Mundial por Berlim. Olhos mais atentos reparam em memoriais e remendos, mas nada tem tanto impacto quanto olhar para Kaiser Wilhelm Gedächniskirche. 

A igreja do Imperador Guilherme I é um dos poucos monumentos de Berlim que não foi restaurado propositadamente, com os efeitos da guerra e dos bombardeamentos à vista. 


Esta igreja foi edificada entre 1891 e 1895, composta por cinco torres das quais apenas restou de pé a mais pequena. Todo o altar e o que resta dos vitrais estão hoje a céu aberto como um memorial do tanto que perdemos quando nações inteiras se destroem umas às outras. 


Aqui, sente-se peso e tristeza, e se o clima nublado e sombrio não chegasse, este lugar reserva ainda mais um acontecimento triste: testemunhou o atentado de 2016 num mercado de Natal que decorria na praça em frente a esta igreja. O lugar é agora protegido para impedir o acesso de veículos e um memorial foi criado em homenagem a todas as vítimas – cujos nomes estão lapidados nas escadarias de acesso à igreja. 

Em frente ao que resta da Igreja do Imperador Guilherme I encontram um edifício circular e sóbrio que vos convido a visitar, já que é uma igreja muito especial, também ela um memorial. 


É talvez uma das igrejas mais memoráveis que já visitei; está coberta por milhares de vitrais quadrados que criam um efeito visual fabuloso. O padrão de cada um dos vitrais foi criado à mão e é sempre diferente do outro, num simbolismo à Humanidade (diversa, mas, no seu todo, igual). As paredes têm também isolamento do som exterior, apagando o caos lá fora assim que entramos. Este som abafado, combinado com o efeito visual azul no interior da igreja, faz com que nos sintamos debaixo d’água, no oceano. 


É aqui, também, que encontram uma cruz muito interessante: foi oferecida pela Inglaterra e é composta por pregos que pertenciam à Catedral de Coventry, também ela destruída por um ataque aéreo – neste caso, alemão. A oferta desta cruz procura ser um símbolo de paz e reconcilio entre as duas nações, e não me parece que exista um melhor lugar para ela estar. Uma visita pesada, mas importante.

1 comentário:

  1. Apesar da sua destruição e da tristeza que carrega, fiquei curiosa em visitar.

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)