segunda-feira, 8 de fevereiro de 2021

LIVROS || Love Letters of Great Men


O nascimento deste livro tem uma história muito curiosa e que realmente demonstra o poder da influência do público; grandes fãs de Sexo e a Cidade certamente lembrar-se-ão de um momento em que a Carrie e o Mr. Big liam um para o outro um livro que compilava cartas de amor de celebres figuras da História e da cultura. A cena foi um sucesso tão grande que, no dia seguinte, todas as livrarias norte-americanas acusaram uma afluência inesperada do público da série a pedir para encomendar o mesmo livro. O detalhe curioso: o livro não existia. 

Foi o que motivou Ursula Doyle a satisfazer as massas e realmente compilar cartas de amor das mais variadas figuras que marcaram a História, arte e cultura. Neste livro pequeno e de rápida leitura, cada carta apresenta uma breve descrição biográfica do redator e um contexto de como, porquê e para quem essa carta foi redigida. De Napoleão a Mozart, passando até por Pierre Currie, o mais fascinante destas cartas é que não encerram só romantismo: há testemunhos de paixão, ciúme, desilusão, obsessão, mágoa, admiração e tristeza. No fundo, nestas simples cartas de amor, conhecemos um lado muito mais humano de personalidades que se destacam e permanecem na nossa memória por outros feitos. Mas para alguém, eles eram simplesmente... humanos. Alguns, o seu amor. Noutros, um homem perdidamente ciumento e manipulador. 

Mais do que um livro sobre amor, acho que é um livro sobre a Humanidade das emoções, onde nem o mais poderoso imperador consegue escapar. Sendo eu uma grande defensora da palavra escrita para os outros, passei toda a leitura a torcer para que as cartas de amor nunca morram, mesmo que o digital esteja mais vivo do que nunca. Dei por mim a fazer algo que nunca faço nos livros: sublinhar. 

Com o dia de S. Valentim à porta, não consigo imaginar um presente mais bonito e simbólico para a ocasião. Melhor só mesmo se colocarem no interior do livro uma carta de amor escrita por vocês. Algumas das cartas que mais gostei foram as de Alexander Pope, Denis Diderot, Schiller e Napoleão. Obrigada, Joaninha, por este presente tão incrível!

WOOK

Bertrand

Este artigo contém links de afiliado.

2 comentários:

  1. Confesso que não conhecia o livro mas fiquei curiosa (:

    http://arrblogs.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Não foi bem um presente de São Valentim, mas foi um presente cheio de amor daqui até aí. Beijo enorme, querida Inn, ainda bem que gostaste, mesmo!

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)