quarta-feira, 21 de outubro de 2020

EVENTOS || Até 2022, Carnaval!


No passado sábado, após a confirmação nacional das Câmaras e associações carnavalescas do cancelamento das festividades para 2021, os torrienses — eu incluída — foram surpreendidos com o anúncio do tema de Carnaval de 2021, uma tradição tipicamente divulgada no verão e que, dadas as circunstâncias, não esperávamos que viesse a ser considerada. 

Tenho alma foliona desde que me conheço e não houve um único dia da minha existência que tenha adormecido esta paixão, mesmo tendo sacrificado algumas das edições mais recentes pelas viagens. Continua a ser um evento pelo qual aguardo ansiosamente e com grande entusiasmo, todos os anos. Mas não nestas condições. 

A "Máscara" é o novo tema do Carnaval de Torres de 2021, um anúncio que tem divido opiniões e no qual eu me encaixo naqueles que se sentem desconfortáveis com o anúncio. Num evento em que dizemos tantas coisas sérias em tom de brincadeira (e ninguém leva a mal) o tema não só é absolutamente aborrecido (um trocadilho previsível e pouco criativo) como alimenta um receio partilhado por muitos: como se irão comportar os torrienses na época do Carnaval? 

Em tempos como estes, as regras são claras, e um evento que tão bem prima ajuntamentos (no bom sentido), (re)encontros e festa não tem sentido em concretizar-se sem ser na sua versão original, aquela que lhe dá graça, charme e identidade. O abraço das Matrafonas, as danças, o público a apreciar os corsos, as praças cheias de pessoas, brindes e disfarces. Há demasiada vida no nosso evento para manchá-lo com esta realidade tão estéril. Mas também é certo que será um evento sinalizado por muitos, em 2021, e nem todos saberão ter um comportamento exemplar; tenho receio que não cumpram com o definido e saiam às ruas em grupos regados a álcool. Que a máscara (a errada) seja uma desculpa para nos desresponsabilizarmos de comportamentos que têm de ser muito sensatos e que não combinam com a descontração do Carnaval de Torres.

Não sou ingénua ao ponto de pensar que a organização está a preparar um evento com a dimensão dos seus precedentes — seria um absurdo que nunca sairía do papel — e entendo que anúnciar um tema de Carnaval (uma tradição tão nossa) seja uma tentativa de aproximar 2021 de uma realidade mais familiar e de tentarmos adaptar (de forma contida e na segurança das nossas casas) um evento que nos diz muito. No entanto, não consigo esconder a preocupação de que tal favoreça e incite decisões irresponsáveis ou pior: que em tempos como estes, seja uma brincadeira de absolutamente mau gosto e de péssimo timing. Aqui, há vários motivos para se levar a mal.

Acabei de assistir ao anúncio do tema dividida, sem o mínimo entusiasmo de recriar este tema em casa (como já referi, não o achei inovador) e com mais medo dos ajuntamentos insensatos do que já tinha antes. Acredito na capacidade da organização para conseguir tornar esta decisão tão sensível e fraturante numa proposta de sucesso (tenho esperança de que realmente as pessoas sejam exemplares e que, das suas casas, saiam autênticas provas de que o Carnaval sempre esteve, na verdade, dentro dos nossos corações e não nas ruas) mas uma parte de mim sente que esta foi a forma errada e o timing desadequado para demonstrar uma mensagem bonita: continuamos a ser foliões, em segurança. Espero não me desapontar, em Fevereiro.

5 comentários:

  1. Este tipo de anúncios e tentativas de normalidade estão a ser frequentes e receio que sejam perigosos. Penso como tu, mesmo não gostando de Carnaval.

    ResponderEliminar
  2. Não podia estar mais de acordo. O nosso verdadeiro Carnaval não é possível ser vivido com distâncias e mais vale não o festejar do que dar origem a descuidos.

    Em relação ao tema, e visto que eles nunca se repetem nunca se repetem, até nem me importo que este fosse sem graça para não termos pena de não festejar com um bom tema.

    ResponderEliminar
  3. Revejo-me nas tuas opiniões, mesmo não sendo grande fã do carnaval. Espero que, mais breve do que nunca, volte a folia, a festa e os teus disfarces giríssimos. Espero que, dentro do possível, corra tudo pelo melhor.. :/

    ResponderEliminar
  4. Não sou fã do Carnaval mas, independentemente disso, acho que nesta altura tal não deveria ser sequer considerado. É verdade que é uma tradição e que muitos desejam que aconteça, mas será realmente seguro? Não estaremos a querer forçar um regresso "à normalidade" que está ainda longe de vir a ser exequível?

    ResponderEliminar
  5. Nos próximos meses não haverá festas, nem carnaval, nem reveillon ... Haverá Natal?

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)