quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

FILMES || O Regresso de Mary Poppins


54 anos depois da estreia do filme que encantou o nosso imaginário de infância e que nos fez acreditar que tudo era possível, Mary Poppins está de volta num filme que procura encantar as novas gerações e continuar a passar mensagens de valor às mais velhas.

Em O Regresso de Mary Poppins, regressamos a uma Londres de época e reencontramos Jane e Michael Banks, agora adultos e com um grande problema em mãos após sofrerem uma perda pessoal. Os três filhos adoráveis de Michael têm valores nobres mas toda a família Banks encontra-se mergulhada numa teia de desorientação e tristeza de onde julgam nunca mais conseguir sair. Mary Poppins, sempre solucionadora, regressa à mesma casa, 24 anos depois, para ajudar toda a família.

Embora o filme não seja, de todo, uma réplica e nos presenteie com várias referências ao seu antecessor, confesso que não consegui ignorar a total inexistência de um contexto que procure justificar a mudança óbvia de Mary Poppins. É inegável que Emily Blunt desempenha um trabalho extraordinário enquanto protagonista, mas a alteração de atriz e a total aceitação por parte de Jane, Michael e da própria governanta não me convenceram durante todo o filme, além de que a própria ama que todos adoramos desempenha um papel muito menos relevante. O maior encanto de Mary Poppins é fazer os mais incríveis fenómenos acontecerem sem dar a mínima satisfação e justificação de como surgem, e podemos agarrar-nos a este ponto importante da sua personalidade para justificar esta transformação mas senti que simplesmente utilizaram a personagem e o seu legado para darem força à história de uma família que, na realidade, precisava pouco dela e que, no meio do caos, era bastante funcional.

O Regresso de Mary Poppins não deixa, por isso, de ser totalmente encantador e de ter mensagens e momentos muito especiais que nos remetem para a importância de não esquecermos alguma da nossa essência de infância, de estimar as nossas pessoas e de acreditar que tudo é possível. Com aventuras absolutamente mágicas, Mary Poppins não traz de volta alguma da felicidade que a família Banks perdeu mas ajuda-os a encontrarem o caminho para uma vida mais alegre e menos vazia, com a ajuda do fiel — e também já conhecido — Jack. 

Com músicas originais e que ficam na nossa cabeça, uma fotografia de sonho e repleto de animações — como seria de esperar — O Regresso de Mary Poppins é um filme quentinho no coração que nos relembra a importância da família, de fazer o que está certo, do amor e de nunca desistir. Se procuram uma obra que vos traga algum aconchego e que possam assistir com toda a família, recomendo vezes sem conta.

3 comentários:

  1. Aii eu quero tanto ver este filme! Tu nem imaginas! Adoro o filme original e estou ansiosa por ver este!

    O blog tem uma nova cara. Vem descobrir as mudanças!
    Beijinhos
    THAT GIRL | FACEBOOK PAGE | INSTAGRAM | TWITTER

    ResponderEliminar
  2. É um dos meus filmes favoritos desde sempre e para sempre! Never get old! Adoro-o tanto, faz-me sentir uma magia tão boa e dá-me uma energia tão positiva! 💛

    ResponderEliminar
  3. Quero tanto ver esse filme! Principalmente por ter a Emily Blunt (uma das minhas atrizes favoritas!) no papel principal. Pelo trailer, ela tem ar de ser uma boa Mary Poppins.
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)