terça-feira, 6 de novembro de 2018

PASSAPORTE || Frida Kahlo: As Suas Fotografias


Foi o Centro Português de Fotografia, no Porto, que recebeu uma das mais exclusivas coleções relacionadas com uma das pintoras mais emblemáticas do mundo, Frida Kahlo: fotografias. Não deixa de ser inovador e refrescante — à semelhança de Frida — que exploremos uma exposição da pintora que nada tem a ver com a 3ª arte.

A exposição, dividida em três salas, revela alguns dos tesouros mais bem protegidos por Diego Rivera, marido de Frida Kahlo. Após a morte da pintora, Diego Rivera guardou alguns dos bens de Frida, deixando os restantes disponíveis para o público, que podem ser encontrados no Museu Frida Kahlo, no México. Este arquivo fotográfico permaneceu protegido e desconhecido durante 50 anos e, agora, esteve disponível para conhecermos os registos de várias figuras importantes no universo de Frida: os seus pais (o pai era fotógrafo), fotografias em criança e com as suas irmãs, Diego Rivera, os amantes de Frida e amantes de Rivera, os eventos em que compareceu e foi fotografada, revelando um contraste soberbo em relação às mulheres que acompanhava: enquanto todas elas ostentam vestidos charmosos, cabelos arranjados, pérolas e maquilhagem, Frida mantém-se fiel aos seus gostos e raízes e apresenta lindos vestidos ornamentados e de estilo mexicano, as suas flores e tranças, e a característica monocelha.


O espólio é variado e interessante, mas sem dúvida que o documentário transmitido numa das salas enriqueceu a visita. Confesso que as salas de transmissão de vídeos despertam pouco o meu interesse nos museus, em geral, mas a guia indicou-nos que o documentário estava prestes a começar e aproveitámos. É longo — cerca de meia hora, quarenta minutos — mas muito interessante e que acrescenta à visita. Recomendo que assistam primeiro ao documentário e depois passeiem os olhos pelas fotografias. Aprecio olhar para uma fotografia e conseguir encontrar história e informação. O documentário permite-o.


Frida Kahlo: As Suas Fotografias, instalou-se no Porto desde Julho e terminou no passado Domingo. Costumo dizer que Frida Kahlo, em relação a Portugal, é como um cometa: passa por nós de mil em mil anos. As suas exposições são raras e um autentico fenómeno, cada vez que cá vêm, pelo que não quis deixar passar esta oportunidade. Se chegar a regressar, não arrisquem deixar para a última e conheçam um pouco melhor uma das pintoras mais intimistas e genuínas da História.

3 comentários:

  1. Gostei tanto desta exposição! Espero que tragam uma exposição com os quadros um dia :)

    ResponderEliminar
  2. Não acredito que deixei mesmo escapar esta exposição. Estava na minha lista de coisas a fazer e não fiz, depois disto fiquei destroçada por não ver, mas feliz por teres vivenciado essa exposição.

    ResponderEliminar
  3. Como sabes, também tive conhecimento desta exposição, mas por motivos maiores não pude comparecer, o que me deixou com uma certa pena, pois gostava mesmo de ter tido esta oportunidade!
    Certamente, aparecerão outras (espero eu...)!

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)