quarta-feira, 14 de novembro de 2018

FILMES || Monstros Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald (sem spoilers)


Após dois anos de espera, finalmente estreou o segundo capítulo da mais recente saga de J.K. Rowling. Confesso, no que toca a Harry Potter, não sei gerir expectativas; quero sempre a melhor história possível e nunca me preparo para o pior. Entro na sala de cinema e volto a ser a miúda e, mais tarde, adolescente que acompanhou tudo com devota emoção.

Em Os Crimes de Grindelwald, o mundo observa a ascensão do pérfido e poderoso vilão — brilhantemente interpretado por Johnny Depp — e a sociedade mágica divide-se entre feiticeiros que acreditam no Bem Maior alimentado por Grindelwald e os que o resistem. Para ambos os lados, existe uma peça-chave que pode garantir a vitória.

O segundo filme de Monstros Fantásticos reforça alguma das sensações iniciais que tivemos na estreia do primeiro, distanciando-se de forma marcante do perfil inocente e juvenil da saga Harry Potter e posicionando-se totalmente como um filme para adultos, com uma história e ações mais pesadas que foram aliviadas através da comédia da personagem Jacob e das menções ao mundo fantástico que nos conquistou em primeiro lugar. De facto, e ao contrário do primeiro filme, não vão faltar referências ao universo de Harry Potter, o que nos encanta como fãs da saga mas reforça uma ideia que já desconfiava: o filme é mais difícil de acompanhar para quem nunca conheceu a história e há determinados pormenores relacionados com esta nova narrativa que só figuraram nos livros e nunca foram contados em filme. Se nunca leram os livros, esta é altura ideal para o fazer — a partir do Príncipe Misterioso, recomendo. Há muito mais enredo, os efeitos especiais estão absolutamente sublimes e há que tirar o chapéu à qualidade do ator Eddie Redmayne para desempenhar, de forma tão realista, o papel de interagir com os seus monstros. 

Durante os trailers, os principais focos de críticas foram as incongruências relacionadas com Dumbledore e a polémica em torno da participação de Johnny Depp. Embora a excentricidade do Director de Hogwarts não se manifeste nas roupas — como os livros sempre prometeram — as restantes incongruências estão muito bem explicadas, esclarecendo, assim, todos os fãs. E surpresas?, questionam-me. Não vão faltar e os rostos de choque serão garantidos. Mas sobre esses momentos bombásticos guardarei segredo!

A crítica caiu de forma pesada sobre Monstros Fantásticos e, colocando o coração de fã de parte, há certos pontos negativos a concordar, a começar pela banda sonora pouco ou nada memorável — o que é um sacrilégio, tendo em conta todas as obras cinematográficas deste universo mágico —, e a terminar por ser um filme confuso, em que o excesso de personagens cria uma série de histórias mal desenvolvidas e compete por um tempo de antena escasso, resultado num leque de personagens incríveis que, de momento, são totalmente irrelevantes para o decorrer da história. É neste emaranhado de informações, referências e revelações chocantes que as opiniões finais também se dividem, adorando ou não o filme. Eu adorei o filme e dei por mim muito mais agarrada a cada acontecimento do que no primeiro. No entanto, não acho melhor que os filmes de Harry Potter — como muitos já referiram — e tenho esperança de que, a seu devido tempo, a posição e relevância das personagens comecem a fazer mais sentido. No fim, o que podem esperar são duas horas de ação que vos vão prender e surpreender (muito!!!) do início ao fim, com a certeza de que podem sempre contar com monstrinhos fofos e incompreendidos, grandes gestos de amizade e lealdade, a prova de que as nossas Casas não definem as novas convicções e que há sempre fugas ao estereótipo — para o bem e para o mal — e um sentido moral por detrás de toda a narrativa, ao estilo a que Rowling já nos ensinou. E o final... oh my. Posso ver de novo?

6 comentários:

  1. Estou cada vez mais curiosa! Apesar de tudo, não é chocante que o Johnny Depp tenha desempenhado bem o seu papel... No final de contas é o Johnny Depp! O que me deixou mais espantada no trailer foi a parte da Nagini mas vou resistir a tentação e não ler spoilers!

    ResponderEliminar
  2. Podia ter sido eu a escrever esta review. Aquele final, aiii! Já fui ver e estou a pensar voltar a ver em cinema, até para poder acompanhar um grupo de amigos muito fã e delirar com as reacções deles :)

    ResponderEliminar
  3. Estou meeeesmo curiosa com este filme e adorava ter ido ver ontem. Infelizmnete não consegui, mas deste fim-de-semana não passa!

    Só um pequeno à parte: se com "Para raiva de todos nós" te referias ao facto do Johnny Depp bater em mulheres, ficou provado que ele é inocente. A Amber estava constantemente a contradizer-se, o que levou a uma investigação mais profunda sobre o caso.
    (Pelo menos foi a última noticia que vi sobre o assunto, claro)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente, penso que se confirmou (e não só com a Amber, julgo), o que originou uma grande revolta.

      Eliminar
    2. As ex-namoradas e ex-mulheres vieram em defesa dele, principalmente a Vanessa. Mas pronto, este tipo de coisas faz correr tanta tinta e tanta mentira que acaba por ser dificil saber a verdade.
      Só sei que, de todas as vezes que a J.K Rowling foi atacada por causa disto, sempre disse que não trabalharia com alguém que não fosse inocente neste caso.

      Eliminar
  4. Eu super curiosa e ansiosa para ir ver o filme ao cinema e ter o livro e muito mais coisas relacionadas com a historia, tudo o indica que é mais uma grande história, como todas as outras! (sinceramente, vindo da J.K. Rowling, não esperava outra coisa!) 🌟💚

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)