domingo, 11 de fevereiro de 2018

DESAFIOS || Preferias?


Há uns dias, lancei-vos este desafio e nunca pensei que o vosso entusiasmo fosse tão grande! Quando dei por mim, tinha quarenta e três preferias para responder e um friozinho na barriga por saber que a publicação iria ficar gigantesca. A piada destes desafios é responder o mais imediatamente possível e com a menor justificação possível, mas não é segredo para ninguém que eu sou uma tagarela e, de alguma forma, transporto isso para o meu próprio blog (ou não seria Inês e as minhas publicações gigantes). Ao mesmo tempo, não queria dividir o desafio em duas partes — considerei que iria perder toda a piada.

A solução foi simples; pedir à Bia — a amiga de todas as horas, a amiga de todas as festas, a amiga de todas as lágrimas, a que sabe tudo em primeira mão, a que lê antes de eu publicar, a que me dá coragem antes de enviar, a acompanhante mais fervorosa do meu blog. Com ela, a minha gargalhada é mais sincera e os meus pensamentos são mais orgânicos — que escolhesse 20 (praticamente metade) de todos os Preferias que me mandaram. Confiei-lhe a tarefa porque sabia que ela ia escolher os melhores, porque sei que ela me conhece melhor do que ninguém para saber quais é que realmente iriam ser desafiantes para mim ou aqueles que não me apetecia nada ter de decidir. No geral, achou-vos a todos muito carinhosos nos vossos desafios e esta decisão tornou tudo mais bonito: pude incluir, de alguma forma, a minha melhor amiga e a minha melhor conselheira blogosférica num momento incrível como a celebração do aniversário do Bobby Pins.

Espero que as respostas vos divirtam e que aceitem também o desafio e respondam nos comentários aquilo que preferiam! Quero muito que criemos uma interacção divertida nas respostas!


1. Preferias ler apenas a primeira página de um livro ou a última página de um livro?
Eu preferia ler a última página do livro. Infelizmente, a maior parte dos inícios de livros têm um começo pouco informativo e muito vagaroso, pelo que, pela primeira página de um livro, eu não conseguiria ter muitos detalhes para imaginar a história. Na última página do livro já não se verifica tanto esse pormenor. Já consigo ter alguma informação de nomes, relações, desfechos... E é giro imaginar uma história com o começo já feito, mas acho ainda mais desafiante imaginar uma história cujo final tem de ir ao encontro da informação que já obtivemos!

2. Preferias viajar todos os meses sem sair da Europa ou uma vez por ano por qualquer canto do mundo?
Antes de vos responder, tenho de vos revelar que esta pergunta gerou uma discussão de horas entre as minhas pessoas. Um verdadeiro debate foi estabelecido e muito divertido de assistir. Interpreto a questão da seguinte maneira: ou estou limitada pelo tempo, ou estou limitada pela geografia. Confesso, a minha resposta imediata seria viajar uma vez por ano por qualquer canto do mundo. Tenho imensos lugares fora da Europa que estou mortinha por descobrir mas, se formos realistas e observarmos a pergunta a sério, a questão é: preferes fazer doze viagens por ano ou doze viagens em doze anos? E o tempo assusta-me, portanto, o meu coração realista opta por viajar todos os meses sem sair da Europa. É claro que ia amar viajar todos os meses e nunca me iria faltar Europa para descobrir, desde lugares mais emblemáticos até pérolas pouco turísticas reservadas a aventureiros. Mas posso confessar uma coisa? Embora viajar todos os meses fosse um sonho, que bom que eu realmente posso viajar para fora da Europa e não tenho nenhuma destas condicionantes! Nenhuma delas iria deixar-me cem por cento feliz.

3. Preferias conseguir ver todas as exposições de arte dos teus artistas favoritos ou ouvir todas as tuas bandas do coração ao vivo?
Esta poderia ser difícil, porém, o meu coração soube de imediato a resposta. Embora eu adore a 3ª e 4ª arte — e vocês já tiveram as mais variadas provas de que sim — a música é a minha arte preferida e a mais bonita. Uma linguagem matemática e universal incomparável e que passa sempre uma mensagem (mesmo que seja má). A minha ligação com a música é e sempre será muito forte, e quando vou a um concerto, nunca é só um concerto; é um momento muito especial e emocionante para mim. A música vai sempre ganhar tudo do meu coração. E já faltou mais para ter esta opção checkada! YAY!

4. Ficar sem pestanas ou sem sobrancelhas?
Sem pestanas! Quando vejo montagens de pessoas sem sobrancelhas, fico chocada. São mesmo essenciais para manterem a nossa aparência equilibrada!

5. Comer pizza sempre que quisesses, mas nunca mais comer massa, ou comer massa sempre que quisesses mas nunca mais comer pizza?
A minha primeira decisão seria pizza mas, depois de ter pensado melhor, sei que é mentira. Eu iria escolher massa. Pizza é das melhores coisas de sempre, mas massa consegue ter mais variedade de sabores e combinações que resultem bem.

6. Regressar ao passado ou conhecer o futuro?
Esta também é relativamente fácil de responder, para mim: conhecer o futuro. Não me interpretem mal; é claro que também gostava de rever certos momentos que sei que não se vão repetir daquela forma nunca mais, ou de voltar a ver familiares (incluindo a Laika) que partiram e que me deixam de coração apertado com saudades sempre que penso neles. Como já partilhei convosco, a impermanência faz-me sofrer muito mas há algo que me reconforta no meio desse conflito: eu sei que vivi sempre tudo com intensidade no timing certo. Por vezes até com intensidade a mais. Nunca olhei para trás e pensei "não vivi aquele momento como devia ser" ou "devia ter dado mais importância aquele momento". Esta é a vantagem de alguém que, para o bem e para o mal, não vive a meio-gás; nunca deixas de dar importância, nunca te esqueces de valorizar, nunca te arrependes. Quando amei, amei demais. Quando sofri, sofri até ao fim. Quando estive com pessoas que já partiram, estive o mais possível presente e em força. Pelo que não poderia voltar a refazer algo que já fiz. Isso é o que me deixa plena e resolvida, no meio do meu conflito de saudades. Eu vivi na medida e intensidade que tinha de viver e é essa a fórmula de vivermos bem e sem remorsos, sem vontade de voltar atrás. Por outro lado, à medida que cresço, sou cada vez mais invadida com incertezas que me corroem, me deixam ansiosa e que me fazem questionar tudo. Conhecer o futuro, embora possa ser um presente envenenado, poderia (numa chance de 50%) trazer o alívio que procuro. Mas será que o desfecho do futuro que ia ver só aconteceria porque conheci esse desfecho? Talvez não seja a melhor pessoa para conversarem em festas (ups!).

7. A Belka destruir o teu livro preferido ou a tua peça de roupa preferida?
Talvez as redes sociais ou determinadas publicações que faço passem a mensagem errada mas eu tenho muito pouco apego com a roupa. Raramente invisto muito generosamente em marcas de roupa caras, não sigo tendências só porque sim, a maior parte das roupas que vêem nos Favoritos demoraram anos a serem encontradas ou já as tinha comprado há algum tempo. Adoro sentir-me bonita, arranjada e escolher roupas que casem bem comigo, mas não suspiro assim tanto por elas. Já os meus livros... Especialmente o meu livro preferido. É o único livro que tenho repleto de anotações e marcadores. E sou sincera: nem desconfio qual seja a minha peça de roupa preferida. Fiz algum esforço para me lembrar de algo com significado, mas nada me pareceu suficientemente relevante, portanto, eu preferia que a Belka destruísse a minha 'peça de roupa preferida', de longe.

8. Preferias não lavar o cabelo durante 5 anos ou apagar o blog?
Não meto a minha saúde (e isso inclui, evidentemente, a higiene) à frente de nada, portanto, embora goste muito do meu blog, eu preferia apagá-lo.

9. Partirias todas as tuas canecas ou rasgavas todos os teus livros?
Quando li esta pergunta, quis acabar a minha amizade com a Bia. Torci tanto para que ela não escolhesse esta questão e queria tanto poder passá-la à frente... A imagem dos dois cenários provoca-me uma enorme aflição e sei que ia sofrer a ver tanto uma quanto a outra. Mas tenho de escolher os livros. Chocante, eu sei. Mas os livros já li, já conheci a história e posso voltar a adquirir com relativa facilidade. Agora as canecas... As colecções terminam, algumas são de viagem... Jamais iria conseguir reavê-las. É duro demais só de pensar.

10. Se só pudesse haver uma festa por ano: Carnaval de Torres ou Natal?
Prefiro o Carnaval de Torres e a razão é simples; o Natal tem três significados elementares para mim: reunir a família, ter um pretexto para encher a mesa com sabores familiares e inesquecíveis, e criar a oportunidade de construir histórias memoráveis. E, sorte a minha, a minha família já o faz em centenas de ocasiões além do Natal. Eu celebro o Natal aos Domingos, nos nossos aniversários, quando alguém da família tem uma notícia maravilhosa, quando alguém tem um novo animal de estimação em sua casa, na Páscoa, no S. Martinho, nas almoçaradas de Verão. Na verdade, para nós, o Natal é só a oficialização do que já fazemos durante o ano todo. Não é universal, bem sei. Mas se tenho de escolher, prefiro o Carnaval porque posso — e já o faço — recriar o Natal de milhares de maneiras, mas este Carnaval? É inimitável. Não há festa que se lhe equipare e quem já foi ao Carnaval de Torres compreende na perfeição o que quero dizer.

11. Preferias não escrever para no blog durante um ano ou perderes tudo o que já tens aqui publicado para sempre?
Eu escolhia perder tudo o que já tinha publicado. Sobram as memórias, as outras coisas que escrevi (tantas!) e que não foram nunca publicadas por aqui, as versões contadas por quem me conhece na palma da mão, as fotografias... Terei sempre algo a mais para contar — mesmo quando acho que já não tenho —. E até teria oportunidade para reescrever certos temas e opiniões que já publiquei (gostava tanto!)

12. Preferias ver a Aurora Boreal na Islândia ou assistir ao nascer do Sol no Torres del Paine, no Chile?
As duas são experiências maravilhosas e que espero ter o privilégio de as viver, mas vou escolher a mais difícil e que exige mais planeamento: a Aurora Boreal! Este é o meu factor de decisão!

13. Preferias nunca mais ler nenhum livro ou nunca mais viajar?
São escolhas tão difíceis, mas eu escolhia nunca mais ler nenhum livro. Viajar permite-nos aprender, experimentar e sentir de uma maneira única e intensa.

14. Preferias nunca mais escrever no teu blog mas poder escrever sempre que quisesses ou então poderes escrever no blog mas nunca mais escrever nada para além do que lá escreves?
Eu preferia só poder escrever no blog. Não imaginam o prazer que me dá poder partilhar tudo isto convosco. Nos outros contextos, eu teria muitas mais formas de me comunicar.

15. Preferias deixar de escrever ou deixar de ler?
Tive vontade de chorar, nesta questão. As duas estão intrinsecamente ligadas a mim e não imagino a minha vida sem uma ou a outra. Mas sendo obrigada a escolher, prefiro deixar de escrever. Eu amo escrever, mas seria insensato perder a oportunidade de ler o que tantas outras pessoas geniais concluem (e sabem) do mundo que me rodeia. E poderia continuar a comunicar as minhas ideias e opiniões de outra forma.

16. Preferias ter mais tempo ou mais dinheiro?
Na realidade em que vivemos, o dinheiro compra o tempo.  Ter dinheiro permite-nos aceitar ou declinar os vários convites da vida (nas várias esferas) e dá-nos o poder de saber como querermos investir o nosso tempo. Portanto, preferindo mais dinheiro, inevitavelmente eu ganho mais tempo.

17. Preferias encerrar a tua conta de Instagram ou ter que acabar com o blog?
Preferia encerrar a conta de Instagram. É a minha rede social preferida, mas tenho muito mais carinho pelo Bobby Pins. E iria arranjar uma forma de adaptar o conceito do Instagram ao blog!

18. Se só pudesses comer uma comida para o resto da tua vida: arroz de marisco da tua avó ou risotto de cogumelos?
De longe, o arroz de marisco da minha (amada) avó. Risotto de cogumelos é bom, mas o arroz de marisco da minha avó destrói qualquer prato de arroz que exista no mundo!

19. Se tivesses mesmo de mudar um aspecto, preferias mudar a cor do cabelo ou a cor dos olhos?
Preferia mudar a cor do meu cabelo. Mas iria ser muito infeliz. Eu amo a cor dos meus olhos e a cor do meu cabelo. Jamais o pintaria.

20. Escrever no blog apenas sobre temas que alguém externo (sem ser família/amigos) escolheria por ti ou escrever o que quiseres mas não poderes ter qualquer tipo de feedback?
Muitos podem negá-lo, mas o propósito da existência de um blog é a interacção. É o feedback. Já o disse em vários contextos, milhões de vezes. A ideia "eu escrevo só para mim no blog" é um pouco falaciosa. Se assim fosse, optariam por diários, optariam por ficheiros no word, qualquer coisa. Ninguém escreve só para si quando abre um blog — ou, pelo menos, é isto que dez anos de blogosfera me ensinaram —. Portanto, optar por escrever o que quisesse sem ter feedback era o meu caminho para fazer uma espécie de diário e desistir do conceito de blog. Porém, escrever apenas sobre temas que alguém externo escolheria por mim pode ser mais difícil do que, superficialmente, parece. Podem ser temas sobre os quais não estou confortável ou interessada em escrever. Faz sentido escrever algo que não parte do nosso coração apenas para ter feedback? Escolho esta opção apenas porque acho que pode ser um desafio muito giro, numa das faces da moeda, mas jamais faria disso um caminho pela Blogosfera.

Estou tão curiosa para saber quais são as vossas respostas! Partilhem comigo. Gostaram do desafio?

10 comentários:

  1. Adoptares esta ideia que viste no youtube e trazeres para aqui, resultou lindamente! Mais uma publicação onde podemos conhecer-te melhor. Quem sabe, para o ano, teremos um video ;)

    ResponderEliminar
  2. Somos ainda mais parecidas do que aquilo que eu pensava! São pouquíssimas as respostas que seriam diferentes para mim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahah, nunca deixo de me surpreender! Agora fiquei curiosa para saber quais seriam diferentes para ti! :D

      Eliminar
  3. Gostei tanto, este desafio foi mesmo uma ótima ideia que tiveste :)
    Identifico-me em grande parte com as tuas respostas. Beijinho

    ResponderEliminar
  4. A minha pergunta é a primeira, heheheh xD. Eu, por acaso, responderia que preferia ler a primeira página de um livro ( odeio mesmo spoilers, mesmo que nunca leia o livro em questão) mas depois de ler a tua resposta, até mudei de opinião, faz todo o sentido.
    Gostei imenso de ler as tuas respostas, todas bem fundamentadas e não me importo nada que tenhas sido tagarela.
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  5. Adoro que a Bia tenha escolhido algumas das perguntas que te propus :)
    Fiquei absolutamente fascinada com a forma tão pessoal com que respondeste a cada uma das perguntas, mesmo à Inês. Engraçado, sabes, responderia àquelas que te perguntei exactamente da mesma forma. Também eu não conseguiria conceber um mundo onde não poderia ouvir os meus artistas de coração ao vivo, assim como, preferiria mudar a cor do meu cabelo - aliás, faço-o de vez em quando! - a mudar a dos olhos, algo nos meus olhos castanho escuros me tranquiliza mais do que eu algum dia esperei.
    Acho especialmente interessante que preferisses ler a última página de um livro, embora a primeira nem sempre nos diga grande coisa, a última nem sempre é aquilo que se espera de uma última página...
    O mais engraçado é ter lido as respostas e te ter reconhecido em cada uma delas, principalmente, naquelas que remetem para viagens ou livros.
    Embora digas o contrário, conversar contigo em festas deve ser bastante educativo e estimulante.
    Espero que nunca tenhas de tomar tais decisões na vida real, que possas continuar a ler, viajar, escrever e ser tu mesma sem pontos de interrogação.
    Um beijo enormeeeee ⚡💛

    ResponderEliminar
  6. Adorei esta ideia! Ficou super bem como post e nada cansativo, acredita! Que venham mais :)
    Beijinho, Ana Rita*
    BLOG: https://hannamargherita.blogspot.com/ || INSTAGRAM: @rititipi || FACEBOOK: https://www.facebook.com/margheritablog/

    ResponderEliminar
  7. Fiquei super feliz por teres selecionado algumas das minhas perguntas! Concordo no ficar sem pestanas (até pqe existe pestanas falsas, eheheh) e no conhecer o futuro (costumo ser que o passado é para ser relembrado e não revivido). Quando fiz a pergunta da peça de roupa pensei que pudesses ter alguma com um significado especial, mas fiquei muito feliz com a tua resposta. Adorei conhecer-te mais um pouco e acho que responderia da mesmo forma que tu a essas questões (embora algumas não se apliquem a mim, como a das canecas ou carnaval de torres)
    Por onde anda a Sofia?-Instagram

    ResponderEliminar
  8. Adorei o post! Este tipo de perguntas são ótimas para conhecermos melhor quem está desse lado, tiveste uma excelente ideia! Parabéns :)

    Beijinho grande
    https://whaaatifni.blogspot.pt

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)