sábado, 20 de abril de 2019

PASSAPORTE || Dublin Castle


Mandado construir em 1204, o Castelo de Dublin apresenta-se diante de nós com um convite a viajar no tempo. Rapidamente se tornou na fortificação mais importante na Irlanda e apresentou várias funcionalidades ao longo das épocas, desde sede do governo colonial a centro de poder político e militar. Hoje em dia, acolhe os eventos mais formais da república, sendo a tomada de posse da presidência um deles.




Uma vez mais, não costumamos optar por visitas guiadas mas voltámos a fazê-lo porque, além de todos os aposentos do castelo, existe, ainda, a Capela Real, alguns vestígios Viking e ruínas de torres que, doutra forma, não teríamos acesso e que valem (muito!) a pena ver. A funcionária que nos atendeu percebeu imediatamente a nossa dinâmica e sugeriu-nos que, ao invés de escolhermos o bilhete da tour completa, optássemos por uma vertente mais rápida (diferença de minutos), e onde a visita guiada se restringisse apenas aos locais reservados a tours. Saiu mais barato também e, se forem como nós, é o que vos recomendo.





A língua inglesa tem uma palavra excelente para descrever o Castelo de Dublin: mesmerizing. Todo o Castelo é encantador e cada aposento é mais grandioso, magnífico e sumptuoso que o outro mas sem dúvida que os meus espaços preferidos foram o Corredor de Estado — impossível não ficar boquiaberto e de olhos a brilhar —, A Sala do Trono, o Salão de São Patrício e a Capela Real, inaugurada no dia de Natal e de enorme beleza (já agora, quando lá estiverem e admirarem a sua maravilhosa arquitetura em pedra, batam com os nós dos dedos num dos pilares: sim, é de madeira! Como já não existia orçamento para materiais melhores e mais tradicionais, como o mármore, optaram pela madeira e chamaram os melhores escultores e pintores de toda a Irlanda para que a madeira se assemelhasse, o mais possível, a pedra, sem que ninguém desconfiasse — e, de facto, resultou!).





Todo o património é de enorme beleza e a atenção para os detalhes e pormenores é fascinante, desde maçanetas, tectos, mobília e tapeçarias. Não tão sofisticado, mas igualmente interessante, é poderem observar os jardins, local do Dubh Linn ou Lago Negro — e quem leu esta publicação, já está por dentro da referência!




O Castelo de Dublin está aberto todos os dias e os bilhetes correspondem a 8 para adulto (12 se optarem por visita guiada), 6 se tiverem cartão estudante (10 visita guiada) e 4€ para jovens dos 12-17 anos (6 com visita guiada). Com o Dublin Pass, a entrada é gratuita.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)