sábado, 16 de setembro de 2017

EVENTOS || Ludovico Einaudi no Campo Pequeno


Aguardei (muitos anos) ansiosamente por este dia, por este momento. Depois de ter enchido o Coliseu, no ano passado, Ludovico Einaudi regressou este ano para encerrar, em Lisboa, a tour do seu mais recente álbum, Elements.
Foram duas horas de puro espectáculo. Nada conversador - como já previa por já ter assistido a alguns concertos dele disponíveis no Youtube - mas muito sensível, apresentou-se com mais seis músicos que deram corpo às composições.

O concerto dividiu-se em vários momentos, todos eles deslumbrantes, que puxaram emoções diferentes de cada um de nós. Começou com muito ritmo, muita energia, muita química entre todos os elementos, efeitos de luz psicadélicos e que resultaram em músicas de tirar o fôlego, seguidos de momentos mais tranquilos e intimistas em que só estava Einaudi no palco a tocar para nós inúmeras composições de piano mais suaves. Para fechar, a energia regressou, os efeitos de luz também - desta vez mais fantasiosos e a brincar com o espaço e com a plateia - e deixou-me com uma sensação de tristeza quando me apercebi de que estava a acabar.

Logo à entrada, entregavam um programa com todas as músicas que iriam ser tocadas, e este foi o programa entregue em todas as cidades, mas Ludovico tocou muitas mais músicas do que as referidas no papel - acredito que o tenha feito por ser encerramento da tour mas nós, como público, não nos importámos nada -. Tocou todas as minhas preferidas mas, para mim, o momento mais inesquecível foi quando tocou a Four Dimensions, que eu sempre achei maravilhosa e com elementos muito suaves. Em palco, foi ainda mais envolvente, com pequenas luzes a acompanhar o ritmo harmonioso da música. Confesso que estava tão feliz, tão deslumbrada, tão emocionada por finalmente estar a assistir a tudo que verti umas lágrimas. Esta composição é belíssima, mesmo em faixa - recomendo imenso que a oiçam - e ver tudo aquilo ao vivo foi muito emocionante.


Outro pormenor crucial para o concerto ter sido ainda mais fantástico foram os efeitos sonoros. Ludovico tocou a Elegy For the Arctic - a que tocou nos glaciares e eu mostrei-vos aqui - e, se se recordam do vídeo, um bloco gigantesco de gelo cai quando ele toca os acordes mais graves. Durante o concerto, esse momento - que deu uma ênfase sonora intensa e poderosa à música - foi recriado através de um metal mergulhado na água, tocado com uma baqueta e o som captado foi o do metal mergulhado na água. Extraordinário como conseguiram transportar aquele som tenebroso para uma sala de espectáculos. Fiquei arrepiada.

Estava já a desanimar por os ver ir embora sem tocarem a minha adorada Choros - e já muita gente estava a abandonar a sala - quando todos eles regressam para a tocar. O meu coração saltou um batimento cardíaco e foi um desfile de cordas fenomenal. Eu tinha a certeza de que uma música destas ao vivo seria inesquecível, mas ultrapassou todas as minhas expectativas e deixou-me com um sorriso rasgado no rosto.

Saí deste espectáculo radiante mas, acima de tudo, grata por ter tido o privilégio e oportunidade de ter assistido a um concerto com uma qualidade imbatível - tanto das músicas como dos próprios músicos, que tinham uma suavidade a transitar de instrumentos que me deixava perplexa -. Achei o concerto absolutamente intimista e inspirador e simplesmente terminei-o de olhos fechados a agradecer por ter riscado mais um sonho que parecia estar contra mim para se realizar. Se alguma vez estive mais feliz e grata, não me recordo. Dos concertos da minha vida.

1 comentário:

  1. Bem, pela descrição que fizeste da Elefy for the Artic fiquei com uma vontade ainda maior de ter estado lá. Desde que escreveste essa publicação que tenho seguido atentamente este magnífico artista, sendo que, agora, também está na minha lista vê-lo ao vivo!
    A nutricionista Catarina Lopes também esteve por lá e partilhou alguns momentos (engraçado dizer alguns momentos depois do post que partilhei ontem) do concerto no InstaStory e eu fiquei boquiaberta com o jogo de luzes e com a harmonia de Ludovico com os outros artistas.
    Já estava com o bichinho atrás da orelha, porém, foi após ler as tuas maravilhosas palavras que fiquei absolutamente enternecida e nostálgica. Fico muiiiiiiito feliz que tenhas cumprido um sonho e que tenha sido ainda melhor do que esperaras. A sério, Nês! Estou aqui a sorrir por ti. Um beijo enorme fofita 💛

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)