domingo, 10 de janeiro de 2016

EVENTOS || Dicas para o Carnaval de Torres Vedras


Tema | O elemento diferenciador do Carnaval de Torres é a seleção de um tema para inspirar os disfarces. Cada ano é composto por um tema diferente, do mais variado e aleatório possível, e no qual os participantes do Corso têm obrigatoriamente de o cumprir para poderem competir para o prémio de melhor grupo de mascarados. O Corso é o desfile da cidade mas não é composto por escolas de dança ou samba e sim pelos grupos de pessoas que se inscrevem antecipadamente para atender, não sendo necessário estarem vinculados a alguma instituição ou associação. Para quem não participa no Corso, cumprir o tema não é obrigatório (até porque, quando são principiantes, pode ser difícil pensar numa máscara original relacionada com o tema) mas é sempre divertido pensarem em algo relacionado com o conceito proposto, além de que se integram com mais facilidade.

As Matrafonas não são Travestis | É fácil observar de fora a tradição da Matrafona e associa-la aos travesti mas são conceitos diferentes. A arte Travesti é um hábito de vida enquanto que a Matrafona propõem-se a uma caricatura aos primórdios do Carnaval de Torres. Nos primeiros carnavais, as mulheres não eram autorizadas a participar neste tipo de eventos. A ideia de os homens vestirem-se de mulher surgiu de uma necessidade — ninguém tinha disfarces, portanto, aproveitavam as roupas das mulheres para encarnarem um personagem — e alertar para a exclusão da mulher neste tipo de festividades.

Quebrem o pudor | Para quem nunca celebrou Carnaval e planeou visitar Torres Vedras nesta época, é surpreendentemente comum a tentação de ir vestido à civil. Um erro que aconselho fortemente a evitarem, mesmo que nunca se tenham mascarado ou que não seja um hábito vosso. O desconforto de estarem rodeados de mascarados com vestimentas normais é algo que, contado, parece insólito mas que é muito real. Aqui, a regra de se mascararem é cumprida a rigor e as roupas de civil são deixadas no armário durante uns dias. Mesmo que a vossa máscara não seja o cúmulo da originalidade, apostem nela. O espírito de inclusão e participação é forte por aqui e ninguém quer ser deixado de parte. Além disso, os participantes têm tendência a serem mais 'chatinhos' com quem não se mascara — identificam-vos automaticamente como forasteiros — e a probabilidade de sofrerem partidas é maior.

Libertem-se da masculinidade frágil | Muitos homens rejeitam a ideia de se mascararem de Matrafonas unicamente pela ideia de se personificarem como o género contrário. Há uma ideia de perda de virilidade que, para nós, não faz o menor sentido. Ninguém questiona a vossa masculinidade por andarem de peruca na cabeça durante três noites em Torres Vedras. Há tantas Matrafonas em Torres Vedras que ao fim de uma noite de folia já nem estranham. Sim, elas vão querer dançar convosco, sim, elas vão dizer que têm nomes femininos e vão meter-se (de forma saudável) convosco. Dependendo do nível de compromisso de cada uma, há umas mais arranjadas e arrojadas, e outras mais discretas. Todas são bem vindas. Não é hora de vergonhas!

As pessoas vão meter-se convosco | Este é um Carnaval muito brincalhão que puxa à criatividade das pessoas e à sua capacidade de fazer humor e de sermos bem dispostos. Isso significa que será muito provável estranhos mascarados quererem falar convosco só para dizerem que a vossa máscara está genial, ou que uma Matrafona apareça à frente do vosso namorado para o tentar 'conquistar'. Também é provável que pessoas vos parem a meio do caminho para perguntarem onde conseguiram determinada peruca ou como fizeram determinado fato. Em nenhum destes pontos as pessoas o fazem com um propósito abusivo ou de assédio, pelo menos a maioria. Aconselho que tenham cuidado e precaução, como sempre, mas que não as encarem no imediato como uma situação maldosa. Raramente as pessoas são chatas, perseguidoras ou insistentes. Sejam cautelosos, partilhem o que achem que devem partilhar mas sem comportamentos agressivos ou defensivos no primeiro impacto. 

Os melhores dias (ou, neste caso, noites) | O Carnaval de Torres é de Sexta a Segunda, numa constante vibração, e todos os dias são dias intensos e grandiosos mas Sábado e Segunda são tradicionalmente os dias com mais gente, com mais animação e com mais coisas para explorar. É no Sábado que o Corso nocturno começa, com os famosos carros alegóricos muito bem dispostos e com as praças cheias de música e cheias de gente também. Por excelência, são os dias de verdadeiro Carnaval, embora Sexta comece a ser bastante forte também. São os dias com mais enchente e movimento também, portanto, preparem-se para multidões e não deixem que isso vos impeça de se divertirem.

Praças e Ruas | O verdadeiro Carnaval de Torres é o que não passa na televisão. Se o que se vê nos Jornais é o Corso e os carros (que são muito giros e que nunca deixo de ver) a verdadeira diversão está nas praças e ruas, no percurso pelas ruas do Castelo. Todas as ruas estão cheias, todos os bares estão abertos e todas as praças de Torres Vedras têm palco. Tradicionalmente, a praça mais famosa é a Praça da Batata. É também a praça com a afluência mais jovem. Existe também um parque de estacionamento mesmo ao lado que também é muito forte e o palco do Mercado com uma afluência mais controlada, o ideal se não quiserem muitas multidões. Qualquer um destes lugares é facilmente indicado por qualquer pessoa no Carnaval. As ruas preferidas são as do Castelo, onde têm muita gente e, geralmente, a mais velha, a veterana. Não sabem onde ficam as ruas do Castelo? Não há problema. É só seguirem a corrente humana. Não dá para chegarem a outro lado. No Carnaval, todos os caminhos vão dar ao certo.

Não há samba, mas há brasileiradas | Não temos os carros alegóricos cheios de penas com brilhantes nem mamilos ao ar em pleno Fevereiro europeu mas a maior parte das músicas que passam nas colunas são as típicas brasileiradas, concertos de Ivete Sangalo, os funks mais horríveis e, em algumas praças, músicas mais antigas e que puxam à nostalgia. Algumas músicas já são bem clássicas do Carnaval, outras vão surgindo conforme as tendências ao longo dos anos. Não é a altura para criticas e gostos musicais, é simplesmente a música mais propicia para se saber o refrão depressa e para dançar animadamente sem a necessidade da música 'de martelinhos' de discoteca.

Vão às rolotes de comida ANTES das praças encerrarem | Há tradições fundamentais neste Carnaval e uma delas é terminar a noite de folia (ou deverei dizer manhã?) com uma sandes de cozido. Mas a verdade é que os menus já estão mais do que variados, entre pães com chouriço, churros, hamburgueres e kebabs. Em todos, a dica é a mesma: passem pelas rolotes antes das praças encerrarem a música. Espaços públicos ao ar livre estão protegidos por lei ao encerramento de música ao fim de determinada hora. E o que fazem milhares de pessoas quando a música acaba? Lembram-se de que têm fome. As filas são absurdas e muitas das rolotes não vêm preparada para a afluência de esfomeados, esgotando o stock. Visitem as rolotes antes para não perderem o vosso menu e fazerem o pedido sem dramas.

Comprem o passe do Túnel ANTES do começo do Carnaval | O Túnel é a discoteca mais famosa do Carnaval. Dura a noite toda até ao meio-dia do dia seguinte. É a preferida e aquela que todos os principiantes querem visitar porque a descobriram no dia do Carnaval, depois de verem que toda a gente dirigir-se para lá. Mas façam por comprar o passe (a pulseira) antes do Carnaval para evitarem a inflação de preço.

Comprem o Kit se vão ao Carnaval mais de dois dias | Em Torres, o Carnaval não é pago todos os dias, mas nos mais fortes há um custo simbólico de entrada, tanto de dia como de noite. Depois das duas da manhã, em qualquer noite de Carnaval, a entrada fica gratuita, mas se escolherem esta alternativa saibam que só vão aproveitar 2h de praça e que o Corso já terminou. Uma boa escolha é o Kit de Carnaval. É vendido todos os anos e inclui uma pulseira de entrada para todos os dias e ainda alguns brindes simbólicos do evento e que vão de acordo com o tema, além de que é mais barato do que comprar a pulseira nas bilheteiras do recinto.

Vão ao Carnaval com um Torrense | Tentem ir ao Carnaval com um Torreense. Porque ele vai saber todos os truques, todas as ruas mais giras, os percursos, as praças, vai saber onde conseguir os melhores preços de bebida e comida e ainda vos ajuda no alojamento, máscaras e outros detalhes que envolvem todo o "custo" de ir a um evento destes. Eu sempre disse isto e confirmo: ir ao Carnaval sem um Torreense não é a mesma coisa que ir com um e a maior parte das pessoas acaba por perder imensa coisa quando é de fora.

Obrigada, Margarida, pela ideia de publicação! Espero que seja útil!

15 comentários:

  1. Adorei as dicas, Inês! Não sou a maior fã de Carnaval da forma como é realizado na maior parte das cidades portuguesas mas essa ideia de celebrar na rua agrada-me imenso. Ainda não é desta que irei a Torres mas espero que te divirtas ainda mais do que nos anos anteriores! As dicas parecem-me super pertinentes para quem é de fora e não se lembra sequer disso.
    Só não entendi uma coisa... se o Carnaval é celebrado na rua, como é que é pago e exigem uma pulseira? Como controlam as "entradas" se é feito em praças e espaço público?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fazem um perímetro à volta do centro de Torres (que é o que tem as ruas e as praças com animação a ocorrer) e criam entradas em pontos diferentes da cidade com as bilheteiras, com o controlo das entradas e com polícia. Depois das duas horas vão embora e entra quem quiser.

      Eliminar
    2. E quem vive no centro da cidade recebe pela Câmara Municipal uma pulseira de morador para poder entrar e sair sempre que quiser em alturas em que o perímetro esteja fechado. Basicamente quem vive no centro da cidade tem sempre entrada gratuita - faz todo o sentido -. E as vias são cortadas e desviadas para outros caminhos :)

      Eliminar
  2. Nunca fui grande adepta do Carnaval mas o teu entusiasmo pelo de Torres convenceu-me. Um dia hei-de lá ir! Obrigada pelas dicas!

    ResponderEliminar
  3. A cada ano que passa, graças a ti, fico com mais vontade de visitar o vosso Carnaval! Este ainda não é o ano porque não estarei disponível nessa altura, mas pode ser que para o ano não falhe :D Boas dicas!

    ResponderEliminar
  4. Que orgulho torreense, quem não é de TV! Tem mesmo de vir e perceber que temos o melhor Carnaval do Mundo!
    As melhores dicas, Inês! Beijinho grande

    ResponderEliminar
  5. Haja paciência para a infestação do Carnaval brasileiro em Portugal. Desse não gosto! Alias gosto mas no Brasil onde é realmente espectacular e não versão gelada e sem graça como é cá. Cada tradição na sua terra. Logo nunca achei muita graça ao Carnaval e não me mascaro desde miudinha XD Mas adorava! Para ir a algum Carnaval só mesmo ao de torres que ainda é Português. Mas o pessoal à minha volta é todo um bando de mariquinhas e não gostas dessas coisas. E ir para torres só mesmo com alguém de lá caso contrario perde um bocadinho a graça XD

    ResponderEliminar
  6. Que bom post! Ultimamente tenho ido ao Carnaval de Ovar - sendo do Norte, é o que está mais perto - e de facto a animação na rua é mesmo o melhor! E o Carnaval é para brincar - não há cá vergonhas!

    Jiji

    ResponderEliminar
  7. Adorei as dicas e adorava dar um saltinho a Torres :)

    http://perdidanomar.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  8. Compensa comprar o Kit se fores só dois dias para não teres perder tempo em filas ;) E o trio eléctrico também é boa opção para quem quer saltar muito com pouco espaço principalmente nos corsos diurnos em que as praças estão "paradas".
    E o Carnaval de Torres Vedras é o melhor do mundo e está quase, quase aí!!!!

    ResponderEliminar
  9. Mil obrigadas Inês! Estamos todos super entusiasmados, só falta ver dos disfarces!

    ResponderEliminar
  10. Gostava muito de ir ao Carnaval de Torres, até porque não é assim tão longe de minha casa mas falta-me um grupinho e sítio onde ficar. Já agora conheces algum sítio para ficar? Pode ser que em 2017 seja o ano em que finalmente vá ao Carnaval mais Português de Portugal :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens imensas pensões e hostel espalhados pela cidade e ainda o Stay, o hotel que fica mesmo no centro de Torres e do corso do Carnaval. E ainda há pessoas nesta época a alugar casas... É uma questão de fazeres uma pesquisa personalizada com que procuras :)

      Eliminar
  11. Olá, Inês!
    Gostei muito destas dicas!
    Será que podias fazer uma publicação (se não te incomodar) com ideias e truques, que com certeza deves conhecer, para disfarces, especialmente para quem pensa ir ao Carnaval de Torres Vedras este ano pela primeira vez?
    Obrigada e um beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Anónimo!
      Muito obrigada pela sugestão mas, para mim, o pedido que fazes é na minha opinião desnecessário uma vez que não há uma fórmula, uma dica ou uma regra a seguir para encontrar ou fazer disfarces perfeitos nem precisas de vir a Torres ou ser de Torres para o fazer. Sinto que isso é a típica pergunta de quem nunca lá foi porque, se fosses, irias concordar comigo porque o que mais há no Carnaval são disfarces diferentes, de materiais diferentes, de ideias diferentes, e às vezes até 15 disfarces da mesma coisa interpretados de maneiras completamente alternativas. Não há ciência nem truques. Simplesmente decides o que te dá na gana mascarar e procuras o que de melhor houver para te caracterizar na tua escolha. Tão simples quanto isso :)

      Eliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)