domingo, 27 de setembro de 2020

DAILY || 10 Atividades Para Experimentar

Setembro é, à semelhança de Janeiro, um mês que associamos muito a recomeços, a formas de inovar e refrescar a nossa vida. E uma das coisas que tenho reparado na minha geração, é que perdemos hobbies. Associamos as atividades como um universo infanto-juvenil que já não pode existir na vida adulta e, a existir, tem de estar envolvido, de alguma forma, no universo profissional ou dar rentabilidade. Deixámos de querer aprender pelo gozo de aprender, de observar a nossa curva de aprendizagem e espairecermos a nossa rotina com algo novo, a trabalhar uma nova capacidade. Consumimos o pouco tempo livre que nos resta em scroll. Refugiamo-nos nas desculpas do tempo, do talento ou do “já não tenho idade para isso” para ficarmos confortáveis com os remorsos de não estimularmos a nossa capacidade de experimentar algo novo (e, muitas vezes, de falhar miseravelmente nas primeiras vezes). Deixo-vos 10 sugestões de atividades para experimentarem e contrariarem a tendência (e aceito outras sugestões nos comentários!). 

Aprender uma língua
Poucas coisas são mais incríveis do que sentirmos um novo dialeto a desvendar-se na nossa compreensão. Perdemos, sem necessidade, o hábito de estimularmos a nossa aprendizagem de línguas quando deixamos a escola. Não é verdade que “burro velho não aprende línguas”, e o talento para aprender uma língua não existe. Que tal aprenderem, finalmente, aquela língua que sempre acharam encantadora? Deixei aqui algumas dicas de aprendizagem. E aqui podem acompanhar o meu processo de aprendizagem do alemão.

Cerâmica
O trabalho manual é uma atividade que vamos perdendo com o crescimento pela ideia de que estão reservadas a crianças. Mas a verdade é que das nossas mãos podem nascer criações extraordinárias e um hobby que transforma 1H30/2H do nosso dia em horas mais felizes. Que tal procurar um workshop de cerâmica e experimentarem? Confesso que isto eu realmente quero, ainda, fazer! 

Costura
Para fazermos nascer as peças que habitam na nossa mente, para explorarmos a nossa criatividade, para aprender mais sobre moda, sobre o fabrico de uma peça de roupa, sobre tecidos e pontos. Talvez surja daqui uma marca de roupa. Ou talvez surja, apenas, peças incríveis que todos vão perguntar de que loja são. Ou então aprendem a fazer baínhas. 

Aprender a tocar um instrumento
É verdade que aprender música é um luxo que, em pequenos, nem todos pudemos investir. E, injustamente, muitos reservam o talento para tocar ou aprender instrumentos a crianças em tenra idade. A realidade é que, com outra idade e maturidade, a aprendizagem de um instrumento musical pode ser mais vantajosa, a começar por ser um investimento possível. Não se deixem desencorajar e confiem no vosso auto-conhecimento: mais velhos, conhecemos melhor as nossas rotina, reconhecemos as nossas fases de aprendizagem e identificamos mais facilmente as dificuldades. Não tenham medo das notas musicais e realizem um sonho antigo. Aprender a tocar um instrumento é um processo mas fica convosco para a vida.

Dançar
Metemos na cabeça que a ideia de nos exercitarmos, em idade adulta, só é possível num ginásio. A dança (e outras modalidades, na verdade) existe para nos provar o contrário, em qualquer idade. Seja no ballet, danças de salão, hip pop ou até sevilhanas, já existem aulas para todas as idades e graus de conhecimento. É uma forma incrível de testarem as capacidades do vosso corpo de uma forma diferente, divertida e com expressão artística (coisa que a passadeira não tem, garanto-vos). Não importa se têm dois pés esquerdos, basta terem vontade de aprender e vão encontrar o pé direito! 

Escrita criativa
Para trabalhar a nossa escrita, a nossa capacidade de escrever crónicas, textos de humor, desenvolver histórias ou personagens, as aulas de escrita criativa servem para colocarmos a nossa caneta ao serviço da imaginação. Já existem inúmeras aulas temáticas e professores ao dispor. Não precisa de nascer daqui o próximo livro. Desanuviar a nossa cabeça através de ideias é a razão perfeita para nos inscrevermos.

Clube do livro
Sermos ávidos leitores rodeados por pessoas que só leem descrições no Instagram, pode ser difícil para alimentar uma parte inevitável desta paixão que é comentar as histórias, recomendar livros e trocar experiências e sugestões. A vantagem de a literatura estar na berra, de novo, é o nascimento de clubes do livro! Escolham o formato que melhor se adapta às vossas rotinas e preferências. É uma excelente oportunidade para conhecerem pessoas novas e com gostos semelhantes. 

Fotografia
O sonho antigo de dominar a nossa câmara, de aprimorar o olhar fotográfico. Não faltam workshops, de iniciantes a avançados, que desafiam as nossas perspetivas e nos ajudam a gerir os detalhes técnicos e as configurações das nossas câmaras. 

Maquilhagem
A maquilhagem é, muitas vezes, etiquetada como um hobby fútil quando é uma forma de expressão artística genial, além de que estimula muito o nosso auto-conhecimento. Como são as nossas feições (e as dos outros)? Que cores podem resultar, que técnicas posso combinar? Sejam em tutoriais de Youtube ou num curso com a vossa maquilhadora preferida, elevem a vossa técnica (ou aprendam a fazer eyeliner, como eu ando a aprender)! 

Desenho
Contaram-nos uma grande mentira, quando éramos pequenos: o desenho está reservado aos prodígios. E embora existam ilustradores e pintores muito talentosos, o desenho trabalha-se, o traço aprimora-se e tudo começa com um esboço terrível. Com tantos cursos, professores e instituições a ensinar como pintar, esboçar ou ilustrar nos mais variados materiais, já não há desculpas para não avançar.

Qual foi a última vez que fizeram algo pela primeira vez?

Ilustração: Charlotte Trounce

4 comentários:

  1. O confinamento impediu-me de iniciar as aulas de costura presenciais e, infelizmente, o formato de aula que mais me cativou não é possível remotamente, mas já me inscrevi num curso de iniciação que me ajudará a dar os primeiros passos. Mais do que nunca, preciso disso!
    Ainda assim, nunca larguei os meus hobbies (o blog é um bom exemplo) e sinto que, em muitas épocas, é isso que segura a minha sanidade mental.

    ResponderEliminar
  2. Olá Inês! É tão bom experimentarmos atividades novas e sairmos da nossa zona de conforto. Uma excelente forma de estimular o nosso corpo físico e mental e também de conhecermos novas facetas nossas. Por aqui, quero dedicar mais temo à dança e à escrita.
    Um beijinho, Ana Rita*

    ResponderEliminar
  3. Acrescentaria: praticar desporto. Ao ar livre porcausa do covid :)

    ResponderEliminar
  4. Ainda sou "pequenina" e ainda mantenho a minha rotina de hobbies, no entanto já mais velha adorava regressar ao ballet ou fazer dança contemporânea. Acredito que um excelente hobbie é o journalling ou até o treino de caligrafia! Tudo excelentes sugestões, adorava aprender cerâmica, também!

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)