segunda-feira, 11 de setembro de 2017

ISTO É TÃO INÊS || Inês Esquisitinha?


Em Janeiro deste ano tomei uma importante decisão: ia deixar de ser esquisitinha com a comida. Eu sempre comi sopa e este é um elemento que faz muito parte da rotina cá de casa. E, embora seja possível consumir a quantidade diária recomendada de hortícolas através da sopa - que era o que eu fazia, até fruta metia e passava tudo - cheguei a uma fase em que não me chegava, não me sentia bem nem plena com isso. Durante muito tempo chegou-me, mas agora sentia-me controlada e presa por alternativas, em vez de me sentir bem à mesa. O meu prato não era colorido e isso assustava-me, confesso. Além de que me sentia prisioneira às minhas esquisitices e obrigava involuntariamente as pessoas ao meu redor a conformarem-se e a adaptarem-se a isso. Enfim, não é nenhuma novidade para vocês que eu não gostava, de todo, desta característica em mim. Odeio-a, aliás.

Então decidi que ia reeducar-me a comer. Ia aprender a conhecer as texturas e a gostar dos sabores. Não foi fácil. Não está a ser fácil. A prova disso é que estou a escrever isto em Setembro e estou desde o primeiro dia de 2017 a batalhar. E a diferença tem sido cada vez mais notória, não só em mim mas nos outros também, que reparam e sabem o quanto eu tenho lutado para me reeducar. 

Ainda não consigo não me considerar uma esquisitinha, porque o sou e vou ser durante muito tempo. Tenho muito ainda para melhorar e não atingi nem metade dos objectivos alimentares que reservo para mim. A fruta está a ser muito, mas mesmo muito difícil, ao contrário do que acontece na maioria das pessoas - é mais fácil começarem a gostar de fruta. Também ainda não consigo gostar de todos os hortícolas e a maior parte dos que como ainda não o faço com prazer (tirando o pimento, cebola, cenoura, alho francês e tomate). Já descobri que alguns não gosto mesmo - e estou nesse direito - e outros ainda nem no prato os consigo ver, quanto mais provar. Mas não desisto! Estou a lutar e já fiz mudanças absurdas, que me deixam contente e motivada.

O que mais me perguntam, quando me vêem no meio deste processo é: como consegues? Que truques utilizas? Que dicas tens? E a verdade é que, como em qualquer mudança na nossa rotina alimentar, só existe uma forma de fazer tudo acontecer: ter força de vontade. Acreditem que eu posso trazer uma lista de cinquenta dicas, posso escrever mais dez textos iguais a este e até conversar pessoalmente para vos motivar. E nada vai mudar se não meterem na cabeça de que vão querer fazer isto. Porque não é fácil e sem força de vontade para se reeducarem, sem se obrigarem a experimentar e a comer uma, duas, três, vinte vezes uma coisa pela qual torcem o nariz, sem meterem na cabeça de que tem mesmo de acontecer, não vão sair do lugar. 

Esta foi uma das minhas maiores mudanças deste ano - da minha vida, aliás - e, como já referi, está longe de estar a meio, sequer. Mas estamos perto da recta final do ano e mantenho-me firme nesta mudança, o que significa que quero mesmo continuar por este caminho e isso deixa-me orgulhosa, razão pela qual eu estou a partilhar uma das mudanças e mini-vitórias mais importantes da minha vida: a minha alimentação. O meu prato é, agora, mais variado e fico tranquila por saber isso. Fico feliz por ver tantos alimentos benéficos como forma de acompanhamento além da possível batata, arroz ou massa. Fico ainda mais radiante se forem os únicos acompanhamentos. Sinto-me orgulhosa por estar a sair vencedora e por ter dado uma chance para ser ainda mais saudável e para apreciar mais texturas e sabores. Espero, um dia, transformar-me completamente e passar a amar todos estes alimentos que, agora, fazem parte da minha rotina e que antes só apareciam passados num creme. Não estou a fazer um favor a mais ninguém senão a mim. Um dia serei um bom garfo.

23 comentários:

  1. Estou a passar por um processo semelhante... Felizmente, sempre gostei de fruta, embora não tivesse o hábito de a comer diariamente, coisa que tenho alterado. Mas no que toca ao resto, também sou "esquisitinha", ao ponto de nem alface conseguir comer. Antes! Por agora já como e já consigo fazer uma refeição baseada apenas em alface e bife e peru, por exemplo. Foi uma vitória tão grande para mim, que entendo perfeitamente aquilo que escreveste aqui! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alface é mesmo o único alimento que me é totalmente indiferente para comer, uma vez que só é rico em água. Não tem qualquer valor nutricional. Havia um professor meu que dizia "alface não é um alimento, é uma cor" e, no fundo, ele até tem razão x)
      Muita força para essa batalha porque sei o que estás a passar! :D

      Eliminar
  2. Se há coisa que eu gostava de gostar é de bananas. Já tentei em panquecas e em batidos e nem assim. Por vezes ainda coloco meia banana num batido mas o sabor nunca é muito do meu agrado. A fruta, no geral, não me agrada, exceto morangos e meloas. O que vale é que adoro legumes xd
    Beijinhos!

    MARY WITH LOVE

    ResponderEliminar
  3. Eu adoro fruta, tomate, alface, etc. Mas a minha relação com os legumes não é de todo a melhor! Eu como-os na sopa, todos os dias, e já tentei incluir no prato legumes cozidos, mas não consigo. Talvez precise mesmo dessa força de vontade, mas só de pensar que tenho que os comer... O único que escapou e que adotei sem problemas foi o pepino, de resto, bróculos, couve-flor, repolho, cebola, pimento, etc, não posso ter no prato (só na sopa!).

    ResponderEliminar
  4. Sempre fui um bom garfo. Desde miúda que todos se admiravam porque não existiam rigorosamente nada que eu não comesse. Hoje em dia sou mais esquisita, confesso, mas só no que diz respeito a carne e peixe. Existem peixes com um sabor muito forte que não consigo gostar e existem certas partes da carne que também me fazem imensa impressão mas, muito honestamente, nem me preocupo muito. Estou a reduzir o meu consumo de peixe e carne portanto não me faz diferença nenhuma.
    Gostei dessa "alface é só uma cor" :D Vou passar a utilizar isso cá em casa porque é um legume que como mas sem prazer nenhum :p

    ResponderEliminar
  5. Está toda a gente ocupada a dizer o que gosta e não gosta de comer mas eu quero dar-te os PARABÉNS porque já te sigo há algum tempo e dava para ver que não gostavas mesmo de ser assim, por isso, mereces toda a força e parabéns do mundo por tentares mudar algo que não gostavas em ti. A maior parte não o faria, acredita

    ResponderEliminar
  6. Ai Inês, de esquisitinha para esquisitinha és a minha heroina ^^ A sério... eu leio isto tudo não consigo ter um 1/10 da tua força de vontade! Muitos parabéns! Um dia quero ser como tu e ser capaz de me obrigar a mudar a minha alimentação! Eu faço uma alimentação muito limpinha em termos de alimentos processados, doces e afins mas as restrições alimentares que tinhas são as que tenho e é complicado viver assim, é efectivamente é muito limitativo... especialmente quando se vai jantar fora com amigos. Mas já comecei a tentar fazer pequenissimas mudanças nem que seja a dizer sim quando me dizem para provar algo! ^^ Passito a passito... Boa sorte daqui em diante e que continues o bom trabalho e que consigas atingir o teu objectivo! Vai dando feedback sobre a luta :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Farei update, sim! :D
      Muito obrigada, Ella! Espero que um dia tenhas força para fazer esta mudança também! :D

      Eliminar
  7. Tudo vai da força de vontade e da motivação. Se conseguiste encontrar um objectivo que te permite manter focada, não o largues. Estás no bom caminho! E parabéns pela força de vontade e um grande beijinho de uma Inês NADA esquisita com a comida :)

    ResponderEliminar
  8. Não sou (nem nunca fui) esquisitinha com a comida, mas deduzo que deva ser muito difícil habituares-te a tantos alimentos novos. Muita força e parabéns pelo que já conseguiste até agora!

    ResponderEliminar
  9. Inês admiro a tua força de vontade e iniciativa. Eu não gosto de nada verde a não ser alface. Portanto, brócolos, espinafres, agrião, ervilhas e todos os amigos deles, eu não gosto. Consigo comer em sopas (se for bem passadinho, menos o agrião, não gosto de todo) ou saladas misturado com alface e tomate. Recentemente comecei a ler mais sobre alimentos e a interessar-me mais por isso. E comecei a comer o básico como alho francês e courgette que faço como se fosse à braz e junto batata-palha. A courgette meto em pizzas ou espiralizo para comer com carne, na verdade não tem grande sabor. No fundo, não estás sozinha nesta luta. É muito chato estarem sempre a apontar-nos o dedo como esquisitas, parece que não temos direito de gostar das coisas, mas temos, sim. Parabéns pelas tuas conquistas e vai contando como corre, porque assim também me sinto incentivada. Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Eu sou assim um pouco esquisitinha com a comida, mas admito que nunca fiz o esforço aprender a gostar como tu tens estado a fazer. Isso deve ser uma das coisas que te deixa orgulhosa de ti mesma, pois nem todos nós estamos dispostos a isso e nem todos conseguem certamente. Parabéns!

    https://norwegian-heart-portuguese-blood.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  11. Parabéns pela força de vontade, Inês! :)
    Eu também já fui muito esquisita com a comida. Ainda hoje estou a aprender a gostar de algumas coisas. Tudo vai da persistência. Já li que é necessário dar a provar um alimento a uma criança (se ela não gostar dele) em 7 vezes diferentes. O paladar vai-se acostumando. Eu já experimentei e realmente funciona (não com tudo, e como tu dizes, estou no meu direito).
    Boa sorte e continua, estás a fazer muito bem à tua saúde :)

    Beijinhos
    Maria
    Words of Mary

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que referiste está muito correcto, devemos apresentar os novos alimentos sete vezes e um alimento novo de cada vez com um intervalo de duas semanas entre cada alimento novo, para garantir que qualquer tipo de reação alérgica é imediatamente identificada ;)

      Muito obrigada, Maria! Força para a tua luta também! Um grande beijinho :)

      Eliminar
  12. Dou-te os parabéns. Eu ando desde o início do ano a aprender a gostar de tomate e está complicado >.<
    Sou boa boca, mas tomate cru é um castigo para mim. Não sei se é do ácido ou o raio, tem sido muito complicado. Mas os hábitos dão trabalho e até que nos acostumemos a algo, leva muito tempo.

    Força nisso, eu acredito que vais conseguir :D

    Make it flower

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Começa com tomate cherry! É mais doce e tem um gosto mais fácil de te habituares. Depois transitas para o tomate :)

      Eliminar
  13. Tem sido dura mais vais sair vencedora desta luta se assim continuares. Existem alimentos que não como mesmo tais como o tomate ou o camarão ou outros que evito tal como o leite mas tive que aprender a deixar de ser esquisita com os escuteiros, ou comes ou passas fome! Não havia grande caminho escolher, fiz assim que comecei a comer e a cada vez gostar mais de leguminosas que abomiava por completo! Força campeã!

    ResponderEliminar
  14. Admiro-te a vontade de querer mudar.
    Acredita que insistir muda os nossos paladares!

    ❥ Biju da Ju,
    juvibes.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  15. olá Inês! desculpa a intromissão, e isto é muito off-topic, mas estava a ler esta publicação e lembrei-me de ti no ponto 3 :) acho que faz mesmo falta à colecção!

    https://www.buzzfeed.com/robinedds/weird-and-brilliant-ideas-thatve-made-the-world-better?utm_term=.crwNLeKqj#.cqNJy8zEY

    engraçado como parece que vamos conhecendo algumas pessoas por alguns textos publicados online :)

    beijinhos

    ResponderEliminar
  16. * peço desculpa, ponto 4! xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma caneca assim seria de sonho! Muito obrigada por te lembrares de mim, Marta! <3

      Eliminar
  17. Muito bem, Inês, parabéns! Não é maravilhoso quando sentimos que estamos a ultrapassar barreiras que, outrora, se mostravam incontornáveis? :D
    Também eu estou a reeducar-me desde Março deste ano, e tem sido fantástico reparar em pequenos detalhes que antes passavam despercebidos no meu dia-a-dia, principalmente os erros. Apesar das trocas e substituições conforme as minhas necessidades, não é algo que me custe, mas que me dá realmente prazer em fazer!
    E só quando me mentalizei de que tinha de ser, é que realmente começou a resultar como antes! E tem sido do caraças! ☆

    Continuação de grandes conquistas, Inês! Beijinhos,
    LYNE

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)